web analytics

Chances de estarmos sós no Universo recém diminuíram mais ainda

Chances de estarmos sós no Universo recém diminuíram

O Hubble Ultra Deep Field, onde descobriram mais 72 galáxias, além das 10.000 já encontradas nesta pequena região.

Onde está todo mundo?

Essa é a pergunta que Enrico Fermi fez aos seus colegas de trabalho no Laboratório Nacional de Los Alamos em 1950, quando ponderaram porque, se há bilhões de estrelas na Via Láctea, nossa galáxia, maiores do que o nosso Sol, com uma alta probabilidade de terem planetas semelhantes aos Terra, nunca tivemos contato (que eles soubesse) com outras civilizações – avançadas ou não. A questão continua sendo conhecida hoje como o famoso paradoxo de Fermi.

Recalcule os números, Enrico. Eles acabaram de encontrar mais 72 galáxias!

Se eles estivessem vivos hoje, esta poderia ser a reação de seus amigos para a notícia de que os astrônomos que conseguiram a visão mais profunda do Universo acabam de descobrir pelo menos mais 72 galáxias. Mesmo usando estimativas conservadoras, são mais alguns trilhões de estrelas e, se elas têm em média 8 planetas como o nosso, muitos trilhões de planetas mais, dos quais uma porcentagem pequena, mas agora maior, poderia manter a vida.

Onde está todo mundo?

Não é um quebra-cabeça … é um paradoxo.

Vamos primeiro dar uma resposta fácil. Em um comunicado de imprensa nesta semana, os astrônomos do ESO (Observatório Europeu do Sul) anunciaram que apontaram o instrumento MUSE (Multi Unit Spectroscopic Explorer) do Very Large Telescope (VLT) do ESO no Chile, em uma pequena região do espaço, conhecida como Hubble Ultra Deep Field (HUDF). Localizada na constelação Fornax, esta região foi observada pela primeira vez pelo Telescópio Espacial Hubble, de 24 de setembro de 2003 a 16 de janeiro de 2004. Esse dado permitiu aos astrônomos olharem para trás 13 bilhões de anos e, combinados com observações posteriores usando a Wide Field Camera 3 ( WFC3), estimaram que a pequena região continha cerca de 10.000 galáxias.

Então veio MUSE. Foi instalado no VTL em 2014 e os astrônomos o usaram por cerca de dois anos (137 horas de tempo de telescópio) para estudarem mais o HUDF e detectarem galáxias 100 vezes mais fracas do que antes, as quais emitem radiação Lyman-alfa, uma indicação de que elas estão extremamente distantes, e são galáxias jovens e de baixa massa. Setenta e duas destas galáxias foram contadas, com algumas estimadas de terem sido formadas apenas 800 milhões de anos após o Big Bang.

Como sempre, com descobertas como estas, se houver uma galáxia emissora de Lyman-alfa (ou, neste caso, 72), provavelmente há mais, então a análise do Hubble Ultra Deep Field com o explorador espectroscópico de unidades múltiplas continuará, juntamente com observações planejadas usando o próximo telescópio espacial James Webb (após atrasos, espera-se que ele seja lançado em junho de 2019) e o Telescópio Espacial de Grande Abertura de Tecnologia Avançada (ATLAST), que ainda está no estágio conceitual.

De volta ao Paradox de Fermi:

Esta descoberta aumenta a probabilidade de outras formas de vida no universo? Sim.

O fato de que essas galáxias recém-encontradas têm quase 13 bilhões de anos significa que as formas de vida serão mais antigas e mais avançadas do que nós? Mais antigas – definitivamente. Mais avançado – quem sabe?

Se elas forem mas avançadas, Enrico mais uma vez fica com as últimas palavras:

Onde está todo mundo?

(Fonte)

Ousarei responder a questão formulada por Fermi:

Elas estão aqui nos observando, mas não se manifestam abertamente, pois somos perigosos… muito perigosos.

Mas posso estar errado.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh