Cientistas descobrem “universo multidimensional” no cérebro humano

Tempo de leitura: 2 min.

Atualmente, existem pessoas que possuem a capacidade de ouvir cores ou degustar palavras. Para a biologia, é o que se conhece como “sinestesia”: uma sensação secundária que ocorre em uma parte do corpo quando outra é estimulada.

Cientistas descobrem "universo multidimensional" no cérebro humano
Cópia digital de uma parte do neocórtex, a parte mais evoluída do cérebro (à esquerda). Formas de diferentes tamanhos e geometrias na tentativa de representar estruturas que variam de 1 dimensão a 7 dimensões e mais. O “buraco negro” no meio simboliza um complexo de espaços multidimensionais ou cavidades (à direita). Crédito: Projeto Blue Brain.

Essa condição neurológica não patológica é o que nos permite entender o mundo em 4 dimensões.

No entanto, um novo estudo científico realizado por especialistas do Blue Brain Project da Suíça descobriu que o cérebro humano pode criar estruturas de até 11 dimensões. No entanto, elas são impossíveis de serem vistas no sentido clássico.

Estruturas de 11 dimensões

Publicado na Frontiers in Computational Neuroscience, o estudo revelou que as estruturas do cérebro humano operam em até 11 dimensões.

Henry Markram, diretor do Blue Brain Project e professor da Escola Politécnica Federal de Lausanne, na Suíça, declarou que “encontraram um mundo que nunca imaginaram“.

Ele disse:

“Existem dezenas de milhões desses objetos, mesmo em uma partícula do cérebro, em 7 dimensões. Até mesmo encontramos estruturas com até 11 dimensões em algumas redes.”

Ao estudarem o cérebro humano, os especialistas descobriram que as visões matemáticas tradicionais não podiam ser aplicadas porque eram ineficazes. Markram explicou que a matemática que normalmente é aplicada para estudar redes geralmente não é capaz de capturar as estruturas e espaços de alta dimensão que eles agora veem claramente. Portanto, eles decidiram aplicar a topologia algébrica. Este é um ramo da matemática que usa ferramentas de álgebra abstrata para estudar espaços topológicos.

Os cientistas do Blue Brain Project foram auxiliados pelos matemáticos Katheryn Hess, do Instituto Federal de Tecnologia de Lausanne, e Ran Levi, da Universidade de Aberdeen, para aplicar essa disciplina ao estudo.

Hess explicou que a topologia algébrica é como um telescópio e um microscópio ao mesmo tempo. Você pode ampliar as redes para encontrar estruturas escondidas e ver os espaços vazios, as clareiras. Tudo ao mesmo tempo. Usando a topologia algébrica de uma forma nunca antes usada em neurociência, os pesquisadores descobriram todo um universo de estruturas geométricas multidimensionais e espaços dentro de redes cerebrais.

A verdadeira capacidade cerebral

Também foi evidenciado que as estruturas surgem quando um grupo de neurônios forma uma união ou grupo; cada neurônio se conecta a outro neurônio do grupo de uma forma muito específica que gera um objeto geométrico muito preciso. Quanto mais neurônios houver nessa gangue neural, maior será a dimensão do objeto geométrico.

Depois de muitos testes em tecido cerebral virtual, descobriu-se que as estruturas cerebrais multidimensionais descobertas não apareceram por acaso. Em testes em tecido cerebral real, foi confirmado que o cérebro se ‘religa’ continuamente durante o desenvolvimento para construir uma rede com tantas estruturas dimensionais quanto possível.

Ao menor estímulo, o tecido cerebral virtual cria momentaneamente buracos ou cavidades de alta dimensão.

Ran Levi explicou:

“O aparecimento de cavidades de alta dimensão quando o cérebro processa informações significa que os neurônios da rede reagem aos estímulos de maneira extremamente organizada. É como se o cérebro reagisse a um estímulo construindo uma torre de blocos multidimensionais, começando com barras (1D), depois tábuas (2D), depois cubos (3D) e depois geometrias mais complexas com 4D, 5D, etc. A progressão da atividade através do cérebro se assemelha a um castelo de areia multidimensional que se materializa na areia e depois se desintegra.”

Se os mundos 4D ampliam nossa imaginação, aqueles com 5 ou mais dimensões são complexos demais para entendermos. É aqui que entra a topologia algébrica.

Não há dúvida de que o cérebro é um órgão misterioso, com uma capacidade que vai além da compreensão humana. Razão mais do que suficiente para justificar as antigas crenças de nossos ancestrais sobre o ‘poder’ da mente e nossa capacidade cerebral.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Frontiers in Computational Neuroscience.

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!