Onda de encontros com objetos submarinos misteriosos na Noruega

Tempo de leitura: 4 min.

Quando a maioria das pessoas pensa em objetos misteriosos não identificados circulando, elas podem pensar imediatamente em OVNIs, aqueles fenômenos aéreos intrigantes que nos deixaram coçando a cabeça por muitas décadas.

Onda de encontros com objetos submarinos misteriosos na Noruega
Imagem meramente ilustrativa.

No entanto, tão estranhos e não tão relatados são esses objetos manobrando pela água, entrando ou saindo de lagos, rios ou mar, e geralmente mostrando que eles têm mais de um domínio neste planeta.

Tipicamente chamados de “objetos submarinos não identificados” ou “objetos subaquático não identificados”, OSNIs, eles ocupam seu próprio canto estranho do fenômeno OVNI, e aqui veremos uma série muito estranha de tais encontros que ocorreram no país da Noruega.

O primeiro relato de algum tipo de objeto voador não identificado voando dentro e fora dos rios e lagos da Noruega supostamente ocorreu em 18 de julho de 1946 no Lago Mkøsa. Por volta do meio-dia de um dia claro, um “forte assobio” foi ouvido pelos moradores, que olharam para o céu e viram um objeto metálico em forma de charuto com asas no nariz que pareciam bater “como se fosse feito de tecido” vindo voando em direção ao lago, tão baixo que as copas das árvores balançavam quando passava.

O objeto parecia muito com um foguete, mas nenhuma chama ou qualquer fonte de propulsão podia ser vista e não se parecia com nenhum foguete conhecido que alguém já tivesse visto antes. O objeto então voou sobre a água e fez um mergulho repentino para entrar sob a superfície, não causando nenhuma explosão e apenas um respingo de água. Algumas testemunhas alegam que o viram cruzar a água antes de descer para as profundezas escuras.

O Alto Comando de Defesa da Noruega supostamente conduziu uma investigação, mas seu relatório nunca foi divulgado. O que teria sido essa coisa?

Outro caso aconteceu em 1952, quando em outubro daquele ano uma testemunha com o nome de Johannes Nordlien estava no rio Lågen quando foi surpreendido por um “uivo, som de jato”. Ele então viu um grande objeto em forma de disco, medindo 4 metros de diâmetro, voando não muito longe. O objeto misterioso então mergulhou em direção à água e o som uivante parou, após o que foi direto para o rio. Nordlien afirmaria que quando se aproximou do rio, a água estava borbulhando, agitando e fumegando como se estivesse fervendo.

Apenas alguns anos depois, em 1º de junho de 1958, quatro pescadores testemunharam um silencioso “avião desconhecido” descer para entrar no fiorde de Alta e enviar para cima uma coluna de água. Pensando que talvez fosse um avião acidentado, eles contataram a Mariha e, quando a fragata KNM Arendale e o submarino KNM Sarpen chegaram para investigar, não encontraram nenhum sinal de uma aeronave caída, mas sim assinaturas de sonar de um ‘objeto móvel’ submarino desconhecido movendo-se em alta velocidades.

No ano seguinte, no inverno de 1959, a testemunha Lorentz Johnsen viu um objeto misterioso descrito como “um pequeno ônibus com várias janelas ao lado” indo em direção ao fiorde de Namsen. Enquanto voava sobre a água, de repente brilhou intensamente e parece ter sofrido uma explosão de algum tipo. Johnsen diria sobre o que aconteceu:

“Parecia que uma espécie de capa foi arrancada do objeto em uma única peça. Isso, junto com uma série de outras coisas, caiu na água. Notei especialmente três ‘colunas’ pretas, com cerca de dois metros de comprimento e meio metro de diâmetro. A capa em si foi rasgada em um pedaço e me lembrou de uma folha curva de metal. Esta era vermelho-fogo no início, mas ficou preta antes de chegar à água.”

O objeto então aparentemente atingiu a água, mas então se moveu para as profundezas sob controle aparentemente inteligente.

Em novembro de 1972, testemunhas relataram ter visto um objeto que parecia um avião cruzando as águas do fiorde de Sogne. Mais tarde naquela noite, outro conjunto de testemunhas afirmou ter visto um objeto brilhante movendo-se rapidamente pela água na mesma área, e na semana seguinte cinco policiais viram um objeto semelhante a um submarino, mas movendo-se muito rapidamente na mesma vizinhança geral. Fragatas da Marinha foram trazidas para procurar o objeto e até o localizaram em um ponto do sonar. No entanto, quando eles lançaram cargas de profundidade, não tiveram efeito, e o objeto subaquático não identificado acelerou a uma velocidade muito superior à que qualquer submarino seria capaz.

Na noite seguinte, quatro “foguetes” silenciosos que pareciam bolas vermelhas de luz foram vistos saindo da água em Hermansverk, na mesma região geral, e no dia seguinte a Marinha mais uma vez localizou um misterioso objeto subaquático que eles almejaram com um míssil antissubmarino, mas a explosão aparentemente não teve efeito sobre ele e ele disparou para águas mais profundas. Uma busca massiva seria lançada envolvendo mais de 30 navios da Marinha, mas o objeto não pôde ser encontrado, embora alguns dos navios tenham relatado contato do sonar com algo muito rápido em águas profundas. O que estava acontecendo aqui?

No ano seguinte, 4 de julho de 1973, um Erling Bakke e sua esposa estavam na mesma área quando avistaram uma “embarcação peculiar” que se movia pela superfície da água em alta velocidade, estimada em 8 metros de comprimento e 1,8 metro de altura, com algum tipo de saliência estranha no topo.

Bakke disse isso sobre o caso:

“Quando avistamos pela primeira vez o objeto estranho, ele tinha uma velocidade de pelo menos 100 km/h ao longo da água. A princípio pensamos que tinha que ser algum tipo de lancha, e ficamos surpresos com as pessoas indo tão rápido. Mas, de repente, o objeto subiu em um ângulo de 45 graus e, um momento depois, desapareceu. Então minha esposa e eu tomamos conhecimento de ter testemunhado um OVNI de perto. E foi uma experiência maravilhosa.”

Nos anos posteriores, temos outra onda de encontros misteriosos desse tipo. Em 27 de abril de 1983, um grupo de mergulhadores no fiorde de Husnes avistou uma “embarcação semelhante a um submarino” e relatou às autoridades. Uma busca foi lançada pela Defesa Norueguesa envolvendo navios, submarinos e aeronaves, e no final da tarde eles fizeram contato de sonar com um objeto subaquático em movimento rápido ao sul de Leirvik, na Ilha Stord. Eles dispararam um míssil antissubmarino nele, mas o objeto acelerou e não pôde ser atingido.

Na noite seguinte, o objeto foi detectado novamente, mas desta vez não foi avejado por causa do medo de que o míssil atingisse um submarino norueguês próximo.

Nos próximos dias, os militares jogaram um jogo de gato e rato com o objeto misterioso, detectando-o e disparando contra ele várias vezes com mísseis, torpedos e cargas de profundidade. No total, o objeto foi bombardeado com dezenas de mísseis e cargas de profundidade, mas toda vez era imperturbável ou capaz de evitar o ataque.

Alguns anos depois, em 1990, um navio militar norueguês, o KNM Stavanger, teve um contato de sonar com um “submarino desconhecido” perto do farol de Ona. Quando o navio enviou sinais de alerta internacionais, eles não receberam resposta e começaram a disparar três mísseis sem nenhum efeito. O que quer que tenha sido fez várias manobras submarinas consideradas impossíveis para qualquer submarino conhecido, antes de disparar para as profundezas a uma velocidade surpreendente. Uma busca na área não deu em nada.

Aparentemente, foi feita uma gravação da assinatura do sonar, mas as autoridades norueguesas nunca a divulgaram. Outra embarcação na mesma área na época supostamente também teve um encontro com o estranho objeto subaquático quando passou diretamente por baixo deles, circulou-os e depois acelerou antes que qualquer ação de retaliação pudesse ser tomada. Em outro encontro, outro navio relatou ter visto um objeto brilhante ejetado do mar e voar para o céu.

É tudo muito estranho, e ficamos imaginando. Por que esses objetos assediavam as águas da Noruega durante esses anos? O que eles queriam e o que estavam fazendo? Existe uma explicação talvez racional para todos esses relatórios e, em caso afirmativo, qual é?

Certamente é tudo uma adição bastante convincente e bizarra ao fenômeno OSNI, e mais uma evidência de que estranhos objetos não identificados não podem ser encontrados apenas em nossos céus, mas também sob nossas águas.

Brent Swancer

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares..

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!