Pensadores da Grécia Antiga consideravam a vida extraterrestre

Tempo de leitura: 3 min.

Havia escolas de pensamento na Grécia Antiga que especulavam sobre a vida extraterrestre na tentativa de responder às muitas perguntas sobre o universo.

Pensadores da Grécia Antiga consideravam a vida extraterrestre
Crédito da imagem: Pexels/karatara

A visão de mundo aristotélica de um cosmos unificado e finito sem extraterrestres foi muito influente no pensamento grego antigo.

No entanto, a possibilidade de vida além da Terra começou no mundo grego antigo, originando-se pelo menos já no século IV a.C.

Anaximandro (c. 610- c. 546 a.C.), um filósofo que viveu em Mileto, contribuiu com uma ideia-chave. Ele foi o primeiro a propor que a Terra é um corpo flutuando em um vazio infinito sustentado por nada. Esta foi uma visão primitiva da estrutura do nosso universo.

Além disso, ele especulou sobre o início e a origem da vida animal e afirmou que os humanos se originaram de outros animais que viviam nas águas.

De acordo com sua teoria evolutiva, os animais surgiram do mar há muito tempo, nascidos presos em uma casca espinhosa, mas, à medida que envelhecessem, a casca secaria e os animais seriam capazes de quebrá-la.

Tais ideias estavam tão à frente do tempo de Anaximandro que se poderia pensar que era impossível para o homem entender tanto sobre a origem dos humanos.

[Para instruções de como ativar a legenda em português do(s) vídeo(s) abaixo, embora esta não seja precisa, clique aqui.]

Grécia Antiga: Introdução à ideia de vida extraterrestre

As primeiras especulações sobre vida extraterrestre que se tornaram populares na Grécia antiga foram as dos filósofos epicuristas.

Demócrito e Epicuro acreditavam que o universo era o resultado de uma colisão casual de átomos e acreditavam que não era apenas altamente provável que houvesse outros mundos no cosmos, mas também que eles fossem habitados.

O discípulo de Epicuro, Metrodorus de Lampascus, considerou a ideia de nosso “mundo” ser o único como improvável, semelhante a “se uma única espiga de trigo crescesse em uma vasta planície”.

Essas hipotéticas “outras terras” eram planetas distantes além do nosso.

Aristóteles, por outro lado, acreditava que a existência de outros mundos era impossível.

Os seguidores de Aristóteles achavam o conceito de mundos múltiplos muito abstrato. Eles queriam observar as coisas em vez de apenas imaginá-las.

Existem teorias de que o famoso Mecanismo de Antikythera, datado do século II a.C., não poderia ter sido criado pelo homem da época, mas por uma inteligência superior, presumivelmente extraterrestres.

Além disso, no século V a.C., o poeta Pindar escreveu sobre estátuas que ganhavam vida como criaturas que se moviam e respiravam. Hoje, chamaríamos esses de robôs, mas o que realmente inspirou Pindar a escrever sobre essas estátuas?

Pitágoras e Astraios

A história de Pitágoras e Astraios se destaca na mitologia grega. Diz-se que, um dia, Mnesarchus, o pai do filósofo, encontrou uma criança abandonada debaixo de uma árvore, olhando para o Sol.

Mnesarchus nomeou a misteriosa criança Astraios, que significa literalmente “criança estrela” em grego. Ele então deu a criança a Pitágoras para ser seu servo e aprendiz.

Alguns disseram que a criança havia sido enviada à Terra por extraterrestres para ensinar ao gênio matemático grego suas grandes teorias em matemática e trigonometria, que ainda se aplicam hoje.

Os romanos seguiram os gregos, como tantas vezes fizeram, expandindo o conceito grego de vida extraterrestre.

O poeta epicurista romano Lucrécio escreveu:

“Nada no universo é único e singular e, portanto, em outras regiões deve haver outras terras habitadas por diferentes tribos de homens e raças de animais.”

“Os deuses gregos eram seres extraterrestres”

Em seu livro, “A Odisséia dos Deuses”, o escritor suíço Erich Von Daniken sugere que os deuses gregos eram na verdade seres extraterrestres que chegaram à Terra há milhares de anos.

Usando evidências arqueológicas duvidosas e os escritos dos antigos, incluindo Aristóteles, Von Daniken tenta provar que os deuses alienígenas do Olimpo cruzaram com humanos, realizaram experimentos genéticos e geraram criaturas míticas, como centauros e ciclopes.

No livro, o autor suíço que também escreveu duas dúzias de obras sobre seres extraterrestres se misturando com pessoas e moldando a civilização humana, sugere que o que chamamos de mitologia grega é, de fato, história real.

Ele afirma que o local do Oráculo de Delfos era uma estação de reabastecimento de aeronaves e que a busca de Jason pelo velo de ouro era uma busca por um componente essencial da aeronave.

Outra de suas teorias é que as antigas cidades de Tróia e Atlântida eram uma e a mesma, e foi destruída em uma guerra entre alienígenas ou seus descendentes.

(Fonte)

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!