web analytics

Sol artificial da China deverá ficar pronto este ano


A China planeja concluir a construção do dispositivo HL-2M Tokamak, o sol artificial, neste ano, atingindo uma temperatura de 100 milhões de graus, disse um funcionário da Corporação Nacional Nuclear da China no domingo (3).

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.)

Sol artificial da China deverá ficar pronto este ano
Público visita o modelo de sol artificial em Hefei, capital da província de Anhui, no leste da China, em outubro de 2006. Através do modelo, eles podem saber como a máquina gera eletricidade. Foto: VCG

Duan Xuru, também membro do 13º Comitê Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, fez as observações à margem da sessão anual do principal órgão consultivo político que começou naquele domingo.

Alcançar uma temperatura de íon acima de 100 milhões de graus C é um dos três desafios para atingir a meta de aproveitar a fusão nuclear, e acredita-se que o núcleo do Sol seja de 15 milhões de graus C, o que significa que o íon no núcleo do dispositivo será de sete vezes maior que o do Sol.

O dispositivo Tokamak foi projetado para replicar o processo de fusão nuclear que ocorre naturalmente no Sol e nas estrelas, para fornecer energia limpa quase infinita através da fusão nuclear controlada, que é frequentemente apelidada de ‘sol artificial’.

Os outros dois desafios são conter a fusão dentro de um espaço limitado a longo prazo, e fornecer um perfil de densidade suficientemente alto, informou o Science and Technology Daily na segunda-feira (4).

Duan disse à imprensa:

O plasma do sol artificial é composto principalmente de elétrons e íons, e os dispositivos Tokamak existentes no país alcançaram uma temperatura de elétrons de mais de 100 milhões de graus C no seu núcleo, e uma temperatura iônica de 50 milhões de C, e é o íon que gera energia no dispositivo.

Para elevar a temperatura dos íons para mais de 100 milhões de graus C, precisamos de parâmetros mais altos, injetar e absorver mais energia, e operar com um modo de trabalho mais avançado.

O novo dispositivo HL-2M possuirá essas capacidades e, espera-se, elevará o nível atual de corrente elétrica de plasma de 1 trilhão para 3 trilhões de amperes, o que melhorará muito os parâmetros do plasma e a potência do dispositivo, fornecendo um suporte técnico principal para a participação da China no experimento e operação do Reator Termonuclear Experimental Internacional (de sigla em inglês ITER) e no projeto independente e construção de futuros reatores de fusão, relatou o site Science and Technology Daily.

O ITER é um grande projeto científico internacional, que é uma colaboração global de 35 países, incluindo China, Rússia e EUA.

(Fonte)


Energia livre? Certamente que não, pois a população terá que pagar.

n3m3

…E se você ainda não acessou nossa página principal, está perdendo um universo de informações.

Visite também nosso site associado, otimundo.com, para mais artigos interessantes, clicando aqui!

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh