web analytics

Será que os ETs desfrutariam das mesmas coisas que nós?

* Conteúdo da matéria baseado em opiniões pessoais, ou declarações de testemunhas ou pesquisadores sem o respaldo de provas concretas, mesmo se tratando de vídeo ou foto. (Missão do OVNI Hoje)

Será que os ETs desfrutariam das mesmas coisas que nós?

No filme de ficção científica Alien Nation (br Missão Alien; pt Os Novos Invasores), de 1988, um grupo de imigrantes alienígenas chega à Terra e tenta se assimilar na sociedade, começando com uma “colônia” em Los Angeles. Retratado no ano de 1991, o filme explora muitos dos temas comuns predominantes em tais filmes, que incluem xenofobia, invasão extraterrestre e vida alienígena em geral.

Os alienígenas do filme, que são chamados de tenctoneses ou, informalmente, os ‘recém-chegados’, são na maioria muito parecidos com os seres humanos na aparência, exceto que ambos os sexos têm cabeças calvas que apresentam padrões exóticos. Apesar de sua aparência semelhante, eles possuem várias diferenças fisiológicas; ou seja, o contato com a água salgada é mortal para os recém-chegados.

Além desta diferença primária, os recém-chegados na Nação Alienígena são mais ou menos parecidos com humanos… Mas se e quando eventualmente encontrarmos vida inteligente em outras partes do universo, o quanto realmente ela será diferente de nós? Os alienígenas gostam do mesmo tipo de coisas que os humanos – como comida, artes e entretenimento – e, se não, como seriam diferentes?

Tanto quanto ter uma apreciação para as artes, alguns argumentaram que os alienígenas seriam absolutamente como nós nesse aspecto. Escrevendo para a Space.com em 2010, Clara Moskowitz observou que “a arte pode atrair alienígenas mais do que acadêmicos, porque qualquer civilização extraterrestre com a qual possamos entrar em contato provavelmente será muito mais antiga do que nós e tecnicamente mais avançada”. Moskowitz, reportando na Conferência SETIcon sobre a busca por inteligência extraterrestre realizada naquele ano, observou que os especialistas presentes estavam otimistas sobre o interesse de ETs no lado cultural da existência humana.

Parte disso tem a ver com o fato de os alienígenas provavelmente não estariam tão interessados ​​em aprender sobre matemática e ciência conosco. Especialmente se eles podem viajar para o nosso planeta a partir de outras partes do cosmos, já que isso exigiria conhecimentos mais avançados de física do que já possuímos. “No entanto”, escreveu Clara, “nossa arte e música é singularmente humana, e poderia ser fascinante para uma espécie alienígena”.

Ao mesmo tempo em que se saciam da cultura terrestre, os alienígenas certamente se sentirão inclinados a experimentar nossas ofertas culinárias também. No entanto, os alienígenas podem querer absorver mais do que apenas o que a Terra tem a oferecer aos clientes interestelares, de acordo com a cientista social e chef Christy Spackman, da Escola para o Futuro da Inovação na Sociedade da ASU (Arizona State University). Spackman começou a pensar sobre os estereótipos comuns sobre alienígenas, que emergem em representações comuns de ficção científica.

Isso a levou considerar o que um “banquete sensorial” compartilhado com os alienígenas poderia ser, se eles visitassem a Terra. Entre as coisas que podemos oferecer, incluem-se “banquetes de luz” e como isto interage com os olhos (isto é, se os alienígenas em questão têm órgãos oculares como o nosso). Também estavam na lista as festas olfativas (mais uma vez, como antes, se os alienígenas têm narizes, ou algo semelhante que ajuda na detecção de aromas), e uma série de outras coisas.

Spackman disse sobre seus banquetes sensoriais:

Exige generosidade de espírito, tanto naqueles que estão produzindo como naqueles que estão consumindo, e na disposição de dizer: “Isso nunca será perfeito, então temos que nos satisfazer com o ‘bom o suficiente'”.

Além disso, se os alienígenas são realmente como nós, depois de participar de uma festa, eles podem precisar de um pouco de tempo para tirar uma soneca. Então, novamente, uma teoria popular sobre a nossa incapacidade de encontrar alienígenas envolve a noção de que é porque eles podem estar em hibernação, e nesse caso voltar a dormir pode não ser tão atraente. No entanto, parte do raciocínio para essa teoria envolve vida alienígena que se formou além do estágio da biologia; isto é, alienígenas que perderam seu estado natural para habitar formas artificiais ou sintéticas, que são hipoteticamente capazes de sustentar-se em ambientes hostis onde a biologia simplesmente não poderia prosperar.

Robert Hart em uma colaboração da ASU com a Slate em 2017, escreveu:

Tendo essencialmente colocado suas mentes em computadores poderosos, as civilizações que escolheram fazer isso poderiam melhorar suas capacidades intelectuais ou habitar com facilidade alguns dos ambientes mais hostis do universo,

A ideia é que tais alienígenas possam se recuperar – isto é, passar um período particularmente quente em um estado de dormência quase completa – aguardando um período no futuro em que o universo tenha esfriado a ponto de poderem operar com mais eficiência (entropicamente falando, é claro).

Se quisermos saber até que ponto os alienígenas podem acabar sendo como nós, eles provavelmente precisarão ter algo mais em comum com os humanos: assim como nós procuramos por outras formas de vida, eles provavelmente terão que procurar por nós. É claro que, enquanto continuamos a procurar por vida inteligente em outros mundos, resta mostrar se realmente temos ou não muito disso neste mundo … talvez com o tempo e um pouco de sorte, os alienígenas finalmente nos encontrem e possam lançar alguma luz sobre essa antiga questão terrena também.

(Fonte)


Aparentemente, pelo forma que o autor finalizou o artigo acima, ele não leva em consideração todas as indicações documentadas em nossa história, de que os alienígenas já nos encontraram.

Mas se eles já nos encontraram e realmente são os responsáveis pelo fenômeno OVNI que temos visto por séculos, por que não se manifestam abertamente para nós?

Para mim a razão é muito simples: se eu fosse eles, também não me manifestaria para uma raça de seres que pela maior parte é instável, egoísta, beligerante e violenta. Ficaria só de longe estudando, com alguns pouquíssimos contatos mais próximos aqui e ali, em como eles têm feito através da história.

Mas é claro, isto é só uma tese de minha parte, a qual pode estar completamente errada.

n3m3

…E se você ainda não acessou nossa página principal, está perdendo um universo de informações.

Visite também nosso site associado, otimundo.com, para mais artigos interessantes, clicando aqui!

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh