web analytics

Quando abduzidos por alienígenas são vigiados por ‘eles’

Em 1987, o livro Comunhão de Whitley Strieber foi publicado. Cinco anos depois, no final de 1992, a família Strieber começou a receber telefonemas perturbadores, tarde da noite. Às vezes, eles eram muito depois da meia-noite. É claro que, sempre que qualquer um de nós recebe um telefonema nas primeiras horas da manhã, pensamos imediatamente no pior: é alguém ligando com más notícias. Felizmente, não eram esses tipos de chamadas, mas foram, com certeza, traumáticas ao extremo. Tipicamente, a voz do outro lado da linha não fazia mais que explodir o que Strieber chamava de “riso assustador e zombeteiro”. A explicação mais óbvia seria que esse era o trabalho de brincalhões, ou alguma pessoa maluca que tinha conseguido o número particular de Strieber e pensoui que seria divertido sacudi-lo um pouco. Talvez muito. Exceto, esse não foi o caso, como Strieber foi capaz de provar.

Quando abduzidos por alienígenas são vigiados por 'eles'

Cansado de receber os telefonemas, Strieber conseguiu que o identificador de chamadas fosse anexado à linha telefônica da família. Foi uma decisão muito sábia, pois revelou algo notável. As ligações não vinham de alguém da ovnilogia/ufologia. Em vez disso, eles vinham de uma instalação particular de propriedade de uma empresa chamada E.G. & G. Compreensivelmente irritado, e intrigado também, Strieber chamou-os para ver o que estava acontecendo. Ele foi direto ao assunto e disse à recepcionista que não só tinha recebido ligações intimidadoras, como também tinha provas – via Caller ID – de que as chamadas vinham da E.G. & G. Em outras palavras: toma isso.

O que soava como a voz de um homem idoso de repente veio ao telefone e garantiu a Strieber que ele ‘investigaria’ o fato. Nenhum telefonema adicional foi feito à casa de Strieber, o que é extremamente revelador.

No entanto, Strieber não parou por aí. Ele assumiu o papel de detetive e cavou profundamente o mundo da E.G. & G. No processo, ele descobriu que a empresa tinha laços com a NASA, com o Departamento de Energia e até mesmo com a base secreta mais conhecida do mundo (que é certamente o oxímoro final), Área 51. Era alguém da E.G. E G. tentando desestabilizar Strieber com todos esses telefonemas tarde da noite? Talvez sim. O fato de Strieber ter reagido – e rebatido com força também – rapidamente destruiu as técnicas de guerra psicológica daqueles que não estavam contentes com o trabalho de Strieber e a tremenda quantidade de exposição que ele recebia desde 1987. Havia, no entanto, mais coisas a vir.

Um ano depois, em 1993, disse Strieber, e depois de ter recebido informações aparentemente sigilosas sobre onde os dados ultrassecretos de OVNIs do governo americano poderiam ser encontrados, “espiões começaram a rondar minha vizinhança ao norte do estado. Um associado foi abordado em um avião por um grupo de homens que usavam crachás, alegando estarem com a Agência de Segurança Nacional (de sigla em inglês, NSA), e o questionaram sobre nossas atividades por algumas horas.” Esses mesmos agentes estavam supostamente procurando por tentativas de penetração de Computadores do Departamento de Defesa.

Então, em uma ocasião, no ano seguinte, em 1994, alguém conseguiu entrar sorrateiramente na cabana de Strieber, habilmente desativando seu sistema de segurança no processo e verificando o conteúdo de seu computador. Claramente, Strieber era uma pessoa de profundo interesse para mais do que algumas pessoas no sombrio mundo de espionagem governamental e operações clandestinas. E não foi apenas Strieber, sua família e aquele amigo abordado pela NSA que sentiram o peso de tudo isso. Havia também um homem chamado Ed Conroy.

Em 1989, Ed Conroy, um jornalista de San Antonio, Texas, escreveu um livro intitulado “Report on Communion“. Foi um estudo independente de Whitley Strieber e suas experiências incríveis. Ao assumir o projeto, Conroy não percebeu em que ele havia se metido. Pelo menos, não no começo. O que começou como uma investigação imparcial sobre as alegações de Strieber, logo se transformou em algo muito diferente: Conroy se viu sob intimidação semelhante àquela que acabara por atingir a família Strieber. Telefonemas estranhos, vigilância secreta e – até mesmo – visitas daqueles misteriosos helicópteros negros, cujas equipes mantêm mais de uma vigilância cuidadosa sobre abduzidos por alienígenas, ocorreram em abundância.

(Fonte)


Por essas e outras razões, quando o governo dos EUA declara que não mais se interessa pelo fenômeno dos OVNIs, ou que seu último projeto de estudos findou há alguns anos, podemos dizer com certeza que quem daquele governo declara este tipo de coisa, ou não está sabendo do que realmente acontece por detrás dos bastidores, ou está mentindo descaradamente.

n3m3

…E se você ainda não acessou nossa página principal, está perdendo um universo de informações.

Visite também nosso site associado, otimundo.com, para mais artigos interessantes, clicando aqui!

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh