web analytics

Universos paralelos também podem ter vida, dizem cientistas

 

outras dimensões e universos paralelos

Como seriam as estrelas em outros universos? Nos reinos onde a força por trás da decadência radioativa é mais forte ou mais fraca que em nosso cosmos, os cientistas agora acham que tais sistemas estelares podem ser lugares habitáveis ​​para a vida como a conhecemos.

As leis da física em nosso Universo incluem uma série de constantes fundamentais, como a velocidade da luz. No entanto, muitos modelos científicos permitem a existência de um vasto conjunto de universos chamado multiverso, que pode incluir lugares onde as leis da física diferem.

Muitos pesquisadores sugeriram anteriormente que variações suficientemente grandes nas leis da física resultariam em universos sem vida, de modo que apenas pequenas diferenças nas constantes fundamentais seriam permitidas. Para examinar essa ideia ainda mais, os astrofísicos examinaram universos em que as forças nucleares poderiam diferir, e especularam sobre a potencial habitabilidade desses locais alternativos.

“Não sabemos se existem outros universos e, se o existirem, quase certamente não podemos observá-los”, disse Alex Space, principal autor do estudo e astrofísico da Universidade de Michigan, em Ann Arbor. Ainda assim, “fazendo este experimento mental, estamos ajudando a responder a uma questão fundamental – nosso universo tem que ser do jeito que é, ou por que deveria ser? Ao fazê-lo, aprendemos mais sobre o nosso próprio universo”, disse Howe.

Os cientistas se concentraram na interação fraca, também conhecida como força fraca e força nuclear fraca. Essa força é responsável pelo decaimento radioativo – por exemplo, faz com que os nêutrons se decomponham em prótons, elétrons e partículas eletricamente neutras, conhecidas como antineutrinos de elétrons.

Uma maneira fundamental dos cientistas medirem a habitabilidade foi avaliar se os mundos desses universos poderiam hospedar água líquida em suas superfícies. Há vida virtualmente onde quer que haja água líquida na Terra, então a busca por vida fora da Terra geralmente se concentra na água.

Pesquisas anteriores descobriram que um universo onde a força fraca está totalmente ausente ainda pode ser habitável. No novo estudo, os pesquisadores examinaram cenários em que a força fraca ainda estava presente, mas mais fraca do que em nosso Universo, assim como os casos em que ela era mais forte.

Em universos com uma força fraca mais forte, os nêutrons decairiam mais rapidamente, então o universo inicial nesse cenário seria quase desprovido de hélio, disseram os pesquisadores.
Isso é bom quando se trata de níveis de água no universo, porque a água é composta de hidrogênio e oxigênio.

Em universos com uma força fraca mais fraca, os nêutrons decairiam mais lentamente, levando a mais hélio. Para qualquer hidrogênio sobreviver sem ser incorporado em núcleos atômicos maiores, os cientistas descobriram que uma constante fundamental diferente teria que ser menor.
Em outras palavras, a proporção de barions, que inclui prótons e nêutrons, para os fótons, dos quais a luz é feita, teria que diminuir.

A força fraca também desempenha um papel em como as estrelas fundem o hidrogênio em átomos de hélio, o que pode influenciar o quão brilhantes, quentes, grandes e longevas são as estrelas.
Além disso, a força fraca controla a frequência com que os neutrinos interagem com a matéria regular, o que por sua vez afeta a forma como a energia é drenada do interior das estrelas.

Universos com uma força fraca mais fraca teriam estrelas com mais deutério, que é um átomo de hidrogênio com um nêutron extra dentro de seu núcleo. Estrelas ricas em deutério seriam maiores, mais brilhantes e mais vermelhas do que estrelas equivalentes em nosso universo, o que lembra as estrelas gigantes do nosso cosmos.

Universos com uma força fraca mais forte teriam estrelas com mais hélio-3, que é um átomo de hélio sem um nêutron do seu núcleo. Essas estrelas seriam ligeiramente mais brilhantes e maiores em diâmetro do que estrelas equivalentes em nosso Universo, e teriam uma vida útil modestamente mais curta, embora tivessem temperaturas semelhantes.

Embora as estrelas nesses universos sejam um pouco diferentes das nossas, suas temperaturas de superfície comparáveis, luminosidades, diâmetros e vidas significam que esses universos permaneceriam potencialmente habitáveis ​​em uma ampla faixa de forças para a força fraca, de acordo com os pesquisadores.

Howe disse:

O mais surpreendente para mim foi que, na maioria dos universos possíveis, as estrelas ainda funcionam de um jeito ou de outro.

Em muitos universos possíveis, as estrelas teriam ciclos de vida mais complexos que os nossos ou poderiam ser mais favoráveis ​​à vida.

Em suma, “na minha opinião, a implicação mais importante é que existem muitas maneiras diferentes de um universo poder funcionar e ainda sustentar a vida, não apenas com a física do nosso”, disse Howe.

Pesquisas futuras podem examinar universos com diferentes intensidades da força nuclear forte, a mais forte força conhecida entre as partículas, que une prótons em núcleos atômicos, apesar de suas reações mútuas.

Os cientistas detalharam suas descobertas online em 13 de setembro em um estudo aceito pela revista Physical Review D.

(Fonte)


A verdade é que, se realmente existem universos paralelos, ninguém tem a mínima ideia de como eles possam ser, e até podem ser algo inimaginável por nossas mentes.

n3m3

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh