web analytics

Presidente da China ordena militares a se prepararem para a guerra

O OVNI Hoje, sempre acompanhando eventos que podem decidir o futuro da raça humana, trás mais este artigo:

China ordena militares a se prepararem para a guerra

O presidente da China, Xi Jinping, ordenou que a região militar responsável pelo monitoramento do Mar da China Meridional e Taiwan “avalie a situação que está enfrentando e aumente suas capacidades para lidar com qualquer emergência”, conforme as tensões continuam aumentando no futuro do Mar da China Meridional e Taiwan, enquanto as relações diplomáticas entre Washington e Pequim atingiram o fundo do poço.

O Comando do Teatro do Sul teve que suportar uma “pesada responsabilidade militar” nos últimos anos, disse a emissora estatal CCTV, citando Xi durante uma visita de inspeção feita na quinta-feira (25) como parte de sua visita à província de Guangdong.

Xi, presidente vitalício da China, disse:

É necessário fortalecer a missão … e concentrar os preparativos para combater uma guerra. Precisamos levar todas as situações complexas em consideração e fazer planos de emergência de acordo.

Temos que intensificar exercícios de prontidão de combate, exercícios conjuntos e exercícios de confronto, para melhorar as capacidades dos militares e a preparação para a guerra.

De acordo com o South China Morning Post, a visita de Xi ao comando militar foi uma das várias que ele fez durante uma viagem de quatro dias à província do sul da China, com o objetivo de reforçar a confiança em meio a uma desaceleração econômica e crescente disputa comercial e estratégica com os Estados Unidos.

Xinhua relata que o Presidente Xi “enfatizou a necessidade de se concentrar na pesquisa e no comando de combate, para avançar o trabalho em todas as áreas e acelerar o desenvolvimento de instituições fortes e eficientes, para comandar o teatro, de modo a impulsionar de forma abrangente a capacidade de vencer as batalhas”.

Ele ordenou que a tropa vigiasse atentamente as mudanças nas situações e fortalecesse a análise para proteger firmemente a estabilidade das fronteiras e a segurança da vida e da propriedade das pessoas, segundo ao Xinhua.

As palavras de Xi representam um aumento significativo na retórica entre Pequim e Washington. A China se enfureceu com as sanções dos EUA a seus militares pela compra de armas da Rússia e com o que Pequim vê como novo apoio de Washington à democrática Taiwan. No início deste mês, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, elevou as tensões entre Washington e Pequim a um novo patamar: “Usando essa tecnologia roubada, o Partido Comunista Chinês está transformando arados em espadas em grande escala”, disse ele.

Enquanto isso, os EUA recentemente navegaram em dois navios de guerra pelo estreito de Taiwan, alegando “liberdade de navegação” e irritando ainda mais a China.

De acordo com a News.com.au da Austrália, o presidente Xi não foi o único membro do Partido Comunista a se irritar na semana passada. O conselheiro de Estado e ministro da Defesa, Wei Fenghe, disse que Pequim nunca desistiria de “uma única peça” de seu território. Ele alertou que ‘repetidos desafios’ à soberania da China sobre Taiwan levariam a uma ação militar.

“É provável pretendido como um sinal para os Estados Unidos em particular e para quaisquer outros que Pequim perceba estar causando a provocação”, disse Collin Koh, pesquisador da Escola de Estudos Internacionais de S. Rajaratnam, da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura.

Dito isso, o analista militar de Pequim disse que espera mais confrontos no Mar da China Meridional.

“Espera-se que os Estados Unidos realizem mais exercícios de liberdade de navegação na região do Mar da China Meridional e, como não reconhece os direitos de Pequim às ilhas artificiais, como Mischief Reef, provavelmente haverá mais atrito militar entre os dois países”, citou o Washington Post.

No início deste mês, um destróier chinês quase atacou um navio de guerra dos Estados Unidos em um esforço para forçá-lo a deixar as águas disputadas. Logo após o evento, o Ministério da Defesa chinês criticou os EUA por “ameaçar gravemente a soberania e a segurança da China, prejudicando gravemente as relações entre os dois militares e minando significativamente a paz e a estabilidade regionais”.

Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores da China disse ter “expressado preocupação” com a recente passagem de dois navios de guerra dos EUA pelo estreito curso de água entre a China e Taiwan.

“A China acompanhou de perto a passagem de navios de guerra dos EUA pelo Estreito de Taiwan e monitorou todo o processo”, disse Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores. ‘”Pedimos aos EUA que cumpram estritamente os três comunicados conjuntos China-EUA e tratem adequadamente as questões relacionadas ao Taiwan, de modo a evitar o comprometimento das relações bilaterais, bem como a paz e a estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”.

Até agora, todos os avisos e ameaças caíram em ouvidos surdos.

(Fonte)


Quando se pensa que o mundo pode entrar em um período de paz, sempre surgem eventos que ameaçam esta estabilidade.

E assim caminha a humanidade.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh