web analytics

Asteroide quase atinge a Terra e cientistas não o esperavam

Sem que ninguém esperasse, um asteroide pequeno passou muito, mas muito próximo da Terra na semana passada. E este evento ocorreu logo antes da NASA ter anunciado que aumentou o orçamento para seu departamento de Coordenação de Defesa Planetária, que lida, entre outras coisas, com esse tipo de perigo.

Ao contrário do que a NASA afirma, estaríamos neste momento correndo um risco maior de sermos atingidos por algo vindo do espaço? 

Veja abaixo algumas das informações publicadas no site galeriadometeorito.com a respeito do asteroide que quase nos atingiu:

Asteroide quase atinge a Terra e cientistas não o esperavam

…Uma pequena rocha espacial fez uma aproximação extrema com a Terra no dia 19 de outubro de 2018. Ninguém esperava por esse encontro, e o asteroide que foi intitulado 2018 UA fez um verdadeiro sobrevoo rasante na Terra apenas algumas horas após ser detectado.

As observações não foram suficientes para determinar sua órbita e trajetória com precisão, mas algumas estimativas sugerem que esse pequeno asteroide de aproximadamente 5 metros diâmetro passou a uma distância entre 7.300 e 15.300 km da superfície da Terra. Para se ter uma ideia, os satélites meteorológicos e de TV orbitam o nosso planeta a uma distância média de 35.800 km da superfície. Isso significa que, apesar do asteroide ser pequeno, essa foi uma das aproximações mais íntimas já registradas…

…Felizmente, mesmo que esse asteroide colidisse com o nosso planeta, ele se desintegraria quase por completo antes de atingir o solo, já que seu tamanho estimado varia de 3 a 6 metros de diâmetro. Quando uma rocha espacial desse tamanho entra na atmosfera da Terra, ela produz um meteoro super brilhante, também conhecido como bólido ou bola de fogo – talvez visível até mesmo durante o dia.

asteroide 2018 UA – máxima aproximação com a Terra em outubro de 2018. Trajetória do asteroide 2018 UA entre os dias 04 e 23 de outubro de 2018. Créditos: SSD / JPL-Caltech / SBDB

O asteroide 2018 UA fez um sobrevoo rasante numa velocidade aproximada de 50.760 km/h, o que o impediu de ser capturado pelo nosso planeta. Mesmo assim, o poder gravitacional da Terra modificou sua órbita. Esse rasante com a Terra funcionou como uma estilingada espacial – manobra utilizada por sondas e naves para ganhar velocidade através do poder gravitacional de um objeto maior…

(Fonte)

Colaboração: Lênio


Embora esta rocha espacial era pequena e possivelmente não causaria danos ao nosso planeta, rochas muito maiores já passaram perto de nós sem os cientistas as detectarem de antemão, somente anunciando suas passagens após elas já terem nos visitado.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh