web analytics

Mistério se aprofunda ainda mais sobre visitante interestelar: não é cometa, nem asteroide

E lá vamos nós novamente, com os cientistas indecisos sobre o que o misterioso objeto Oumuamua, que visitou nosso sistema solar recentemente, possa ser.

Agora, depois de dizerem que não era uma nave espacial, nem um asteroide, e afirmado que era um cometa, estão voltando atrás e eliminando a possibilidade de que tenha sido um cometa.

Veja as últimas informações a respeito do Oumuamua, que pode muito bem ter sido uma sonda alienígena:

Mistério se aprofunda ainda mais sobre visitante interestelar: não é cometa, nem asteroide

Oumuamua não é cometa.

O mistério do Oumuamua, o primeiro objeto interestelar já observado, continua a se aprofundar. Uma nova análise argumenta que, se fosse um cometa, teria se fragmentado ao passar perto do sol.

Como um motorista de um atropelamento que foge da cena de um acidente, o visitante interestelar conhecido como Oumuamua saiu do sistema solar, deixando uma confusão em seu rastro. Medições iniciais pareciam indicar que era um asteroide — um rocha seca muito parecido com as encontradas em órbita entre Marte e Júpiter. Em seguida, os astrônomos amplamente chegaram a conclusão que em vez disso era um cometa — um corpo gelado expulso dos alcances distantes de um outro sistema planetário em nossa galáxia…

Agora uma nova análise encontrou inconsistências nesta conclusão, sugerindo que o Oumuamua não pode ser um cometa afinal. Se for na verdade um cometa ou um asteroide, uma coisa é clara: Oumuamua não é como nada visto antes.

O novo estudo, que está atualmente em revisão por pares, Roman Rafikov, um astrofísico da Universidade de Cambridge, argumenta que as mesmas forças que pareciam ter acelerado o Oumuamua — as mesmas forças que deveriam também ter produzido uma cauda — teriam também afetariam sua rotação. Em particular, a aceleração seria ter ‘torcido’ o Oumuamua a tal grau, que o teria despedaçado. Se o Oumuamua fosse um cometa, ele argumenta, ele não teria sobrevivido.

Rafikov disse:

Não há evidência muito forte e inequívoca de ambos os lados.

Se for um asteroide, então é realmente incomum, com cenários exóticos para a sua formação.

Ele propôs um cenário tão no início deste ano, segundo a qual uma estrela ordinária morre, formando uma anã branca e no processo desfaz um planeta e lança os fragmentos do outro lado da galáxia. O Oumuamua seria um desses fragmentos. “Basicamente, é um mensageiro de uma estrela morta”, ele disse.

Em parte para ajudar a resolver o impasse, os pesquisadores tentaram identificar o sistema estelar de onde Oumuamua originou, analisando os dados recém-liberados do telescópio espacial Gaia. Talvez ele tenha vindo de um sistema estelar binário, ou um sistema com um planeta gigante, ambos os quais poderiam ter lançado o objeto para o espaço interestelar.

Trajetória do Oumuamua através do sistema solar. Distâncias da passagem mais próxima entre o Oumuamua e outros objetos são medidos em unidades astronômicas (UA); 1 AU é a distância entre a Terra e o Sol.

Mas de todos os possíveis sistemas estelares candidatos, nenhum forneceu uma correspondência. A trajetória de Oumuamua estava a pelo menos dois anos-luz de distância de todos os candidatos – longe demais para eles serem sua fonte. E se o Oumuamua foi lançado há centenas de milhões de anos, todas as estrelas locais terão mudado um pouco desde então.

Alan Jackson, astrônomo da Universidade de Toronto, disse:

É improvável que você possa rastreá-lo de volta para um único sistema pai individual, o que é uma pena, mas é assim que as coisas são.

Em última análise, a natureza transitória das observações frustrou a capacidade dos astrônomos de resolver o mistério de nosso primeiro convidado interestelar.

Matthew Knight, astrônomo da Universidade de Maryland, informou:

Tivemos apenas algumas semanas, com quase nenhum planejamento, para fazer as observações.

Todo mundo está tentando extrair toda a informação que puderem a partir de dados que pudemos coletar como comunidade.

Se o Oumuamua tivesse sido visto antes, ou se o furacão Maria não tivesse interrompido as observações no Observatório Arecibo de Porto Rico, os astrônomos teriam mais informações para continuar.

Um comentário em um grupo de astrônomos é que as rochas espaciais não se encaixam necessariamente em uma das duas categorias totalmente separadas.

Michele Bannister, astrônoma da Queen’s University Belfast, na Irlanda do Norte, disse:

Há muito mais gradações entre o que é um cometa e o que é um asteroide.

Eu sinto que estamos brigando por um binário desnecessário aqui.

E embora o Oumuamua tenha sido o primeiro visitante de fora do sistema solar, os astrônomos logo terão mais o que fazer. As estimativas são de que o Large Synoptic Survey Telescope, programado para a “primeira luz” em 2021 no Chile, poderia encontrar outros desses objetos todos os anos durante uma década…

(Fonte)


Então, embora estejam com muito medo de admitir (assim é a astronomia de tendência predominante), o objeto pode muito bem ser uma sonda alienígena, pois as razões dadas pelos cientistas de que não era algo artificial foram as de que ele não emitia ondas de rádio e não mostrava sinais de um sistema de propulsão. 

Porém, ao sair do sistema solar, ele mostrou que sim, pode mudar de velocidade, sem que os cientistas conseguissem determinar o porquê daquele comportamento. E também, quem disse que alienígenas se comunicam através de ondas de rádio?

Infelizmente, nunca saberemos a verdade a respeito deste objeto, a não ser, é claro, que ele espante os cientistas dando a meia volta, voltando nos visitar novamente.

Oumuamua: Objeto suspeito de ser nave alienígena inesperadamente ganha velocidade

n3m3

"

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh