web analytics

Empresas japonesas planejam construir colônias na Lua fazendo parceria com a NASA

Empresas japonesas planejam construir colônias na Lua

Em colaboração com a NASA, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) anunciou planos para a construção da primeira colônia humana na Lua, pouco mais de uma década no futuro.

Em dezembro, o presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva para enviar os astronautas de volta à Lua como um passo inicial para uma maior exploração do sistema solar. A intenção é que o vizinho mais próximo da Terra sirva como um ponto de parada para missões no espaço sideral, embora também haja planos para minerar recursos que possam ser encontrados na superfície da Lua.

Em 2009, a sonda espacial japonesa Kaguya pousou na Lua e detectou urânio, tório, potássio, magnésio, silício, cálcio, titânio e ferro nas amostras. Essa descoberta abriu a possibilidade de operações de mineração comercial. O obstáculo sempre foi a criação de colônias na superfície inóspita da lua e o fornecimento de quaisquer colonos com as grandes quantidades de energia necessárias para sustentar a vida.

Recursos disponíveis

A Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) também está em fase de planejamento de novas missões à Lua com o objetivo de determinar com mais precisão a quantidade de recursos disponíveis.

Alguns observadores dizem que isso foi motivado pelo sucesso da missão lunar Coelho de Jade da China em 2013.

Especialistas acreditam que há quantidades significativas de água congelada e ferro na Lua, assim como o gás hélio-3, que só é encontrado na Lua e pode ser usado como combustível para desenvolver a tecnologia de fusão nuclear.

Antes que a exploração de recursos possam começar em grande escala, a infraestrutura necessária para apoiar os colonos humanos da Lua precisa estar em vigor.

Hideo Imamura, porta-voz da construtora Shimizu, de Tóquio, disse:

Começamos a planejar que os seres humanos habitassem a Lua desde 1987, porque acreditávamos que chegaria o tempo em que as pessoas estariam morando lá.

A empresa tem três prioridades dentro de seu negócio espacial no momento, disse ele à DW. Uma delas é a construção de plataformas de lançamento e infra-estrutura para lançamentos de foguetes, inclusive na Lua; o segundo é a utilização de dados de satélites, como informações meteorológicas e links de telecomunicações;
e o terceiro pilar é o desenvolvimento de técnicas de construção e equipamentos projetados para funcionar na superfície da lunar.

Os pesquisadores estão estudando a melhor maneira de combinar a superfície do solo encontrada na Lua com a água retirada do gelo derretido para criar um concreto lunar.
Componentes de concreto podem ser combinados para criar espaços de vida e trabalho para os habitantes.

Outra proposta apresentada pela Shimizu resolveria os problemas de energia bem documentados que o Japão enfrenta – e, em última instância, todo o planeta – transformando a Lua em uma colossal usina de energia solar.

A empresa quer instalar um cinturão de painéis solares de 400 quilômetros de largura ao redor do equador da Lua e então transmitir o fornecimento constante de energia para ‘estações de recepção’ na Terra por meio de lasers ou transmissão por microondas.

Energia da lua

O ‘Luna Ring‘ que está sendo proposto seria capaz de enviar 13.000 terawatts de energia para a Terra. Na Alemanha, em 2017, 38,4 terawatts-hora de eletricidade foram alimentados na rede nacional a partir de painéis fotovoltaicos.

Shimizu escreve na proposta em seu site.

A mudança do uso econômico de recursos limitados para o uso ilimitado de energia limpa é o maior sonho da humanidade.

O ‘Luna Ring’ … traduz esse sonho em realidade através de ideias engenhosas, juntamente com tecnologias espaciais avançadas.

A Kajima Corp. também tem trabalhado com a JAXA nos últimos anos e está se preparando para enviar à Lua equipamentos de construção que podem ser controlados remotamente da Terra. A Kajima já é uma grande construtora neste planeta, e já implanta caminhões e escavadeiras controlados remotamente em canteiros de obras, e seus especialistas acreditam que uma tecnologia similar funcionará a 384.400 km de distância.

Lance Gatling, analista do setor espacial e diretor de Negócios na Ásia-Pacífico para a Firefly Aerospace, no Texas, disse à DW:

A NASA e a JAXA estão trabalhando muito juntas em projetos como esses, porque seus interesses coincidem e a administração de empresas comerciais nos dois países tem muito a oferecer nessa área.

Mais exploração

Gatling ainda disse:

Uma instalação tripulada na Lua será fundamental como uma porta de entrada para uma maior exploração do sistema solar e além, uma espécie de caminho a partir da Terra, e a política dos EUA tem sido estimular as empresas comerciais a cumprirem uma série cada vez mais difícil de exigências que a NASA apresenta, para que possam obter o status designado e sejam as empresas que a NASA procurará quando tiver uma tarefa.

O Programa de Serviços de Carga Lunar Comercial é um componente disso, disse Gatling, acrescentando que o objetivo final “é que viajem de pessoas para a Lua se tornem comuns e, depois disso, que as pessoas vivam e trabalhem lá’.

(Fonte)

Colaboração: Lênio


Tudo isto e muitos outros avanças, inclusive na medicina e na erradicação da fome no nosso planeta, já podiam ter se concretizado, não fora pela tendência beligerante humana, gastando trilhões para mostrar aos supostos inimigos que sua “tacape” e maior.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh