web analytics

Os OVNIs são um risco para a segurança nacional e também uma oportunidade para o progresso

O ex-diretor do Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais do Pentágono, Luis Elizondo, escreveu o seguinte artigo, que nos mostra, pelo menos de forma parcial, porque o governo dos Estados Unidos está preocupado em manter em segredo muitas das informações sobre os OVNIs.

No artigo, Elizondo chama dos OVNIs de “Fenômenos Aéreos Não Identificados”, ou FANIs, que é uma forma diferenciada que o governo daquele país se refere ao mesmo fenômeno.

Veja:

OVNIs são um risco para a segurança nacional

OVNI fotografado em Hessdalen, na Noruega.

Uma carreira no trabalho de inteligência para o governo dos EUA me ensinou uma lição fundamental: a segurança nacional é muito parecida com a de um jogo de xadrez.
Você tem que antecipar cada movimento do seu oponente para permanecer um passo à frente.

A divulgação da sua estratégia será usada contra você. Mas se você reconhecer certas oportunidades, você pode ganhar o jogo.

Quando chefiei o altamente sensível Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP) do governo, trabalhei com uma equipe para avaliar se uma determinada peça de xadrez – neste caso, na forma de uma tecnologia aérea desconhecida – era uma ameaça ao nosso lado do tabuleiro de xadrez.

Se fosse, tínhamos que saber como combatê-lo.

Como o Governo vê os Fenômenos Aéreos Não Identificados (FANI/OVNI) como um possível problema de segurança nacional, eles são secretos por necessidade. Eles não querem revelar nenhuma informação a um inimigo em potencial.

Mas há riscos em manter secretas essas informações.

Digamos que a pessoa que primeiro aprendeu a fazer o fogo nunca o compartilhou com a próxima geração, ou a pessoa que inventou o telescópio o jogou fora quando acabou de usá-lo. E se o criador da roda decidisse que era muito trabalhoso para os outros construírem e decidiu: “Esqueça”?

Como espécie, estamos destinados a evoluir. E precisávamos desses avanços para chegar onde estamos hoje. Relatos de estranhas naves com propriedades aparentemente inexplicáveis ​​têm circulado dentro do governo dos Estados Unidos por pelo menos 70 anos, o que sugere que isto não está indo embora. Há ‘algo lá fora’.

A desclassificação de certas informações sobre os FANIs e sua partilha com o público podem levar a novas descobertas tecnológicas, novas formas de pesquisa médica e uma visão mais ampla de como a humanidade entende a realidade.

Aqui está o porquê:

Um governo deve presumir que qualquer coisa é uma ameaça, até que se prove o contrário.

Ao determinar se uma entidade desconhecida é amiga ou inimiga, o governo dos EUA analisa fatores como capacidades, intenções, vulnerabilidades e exploração.
Um olhar mais atento a esses fatores revela quão pouco são compreendidos os FANIs.

Avanços em nossa compreensão da física no nível quântico ajudaram a lançar uma luz sobre a ciência potencial por trás dos FANIs. Mas esses avanços também nos mostraram que os FANIs também possuem conhecimento técnico superior.

Se essas capacidades caíssem nas mãos de um adversário estrangeiro, seria um fator decisivo de mudança.

Da mesma forma, as intenções dos FANIs não estão claras para nós neste momento. Poderia haver uma série de razões para a sua presença, variando de curiosidade pacífica a uma investigação para a preparação do espaço de batalha. As possibilidades são numerosas.

As vulnerabilidades dos FANIs, no entanto, permanecem um mistério completo.
Alguns levantaram a hipótese de que há uma correlação entre os FANIs e nossas capacidades nucleares, enquanto outros sugeriram que os pulsos eletromagnéticos gerados por energia nuclear são uma fraqueza potencial.

Independentemente disso, ainda não sabemos exatamente quais vulnerabilidades os FANIs podem ter, além da especulação. No momento, ninguém sabe.

Do ponto de vista da segurança nacional, a exploração é o santo graal dos esforços.
É fundamental determinar se a tecnologia FANI pode ser aplicada em engenharia reversa e usada em nosso benefício, mas não podemos explorar essa tecnologia a menos que a entendamos primeiro.

Quando se trata de FANIs, os EUA sabem menos do que deveriam, e talvez muito menos que nossos adversários.

As recompensas potenciais superam os riscos.

Há sempre um risco envolvido quando se trata de comunicar questões de segurança nacional ao público. Mas isto é subjetivo. O significado desse risco depende a quem você pergunta.

Se você perguntar a um líder militar, por exemplo, ele diria que o sigilo do governo sobre fenômenos aeroespaciais avançados é crucial, porque você quer evitar transmitir suas capacidades e intenções ao seu inimigo em potencial.

Um político visualizaria os FANIs de maneira completamente diferente. Eles podem perguntar: “Isso é algo que os eleitores em potencial precisam saber, ou irão ocultá-lo, fazendo com que meus eleitores percam a fé em mim? Como essa discussão afeta os eleitores e minha capacidade de representá-los? ”

Uma figura religiosa, por outro lado, provavelmente estaria mais preocupada com as implicações religiosas e filosóficas que os FANIs poderiam ter em sua fé.

Existem inúmeros exemplos ao longo da história de indivíduos desafiando os sistemas de poder predominantes com idéias científicas radicais.

Quando Galileu disse à igreja há centenas de anos que a Terra não era o centro do sistema solar, por exemplo, eles quase o mataram por isso.

Como alguém sem uma agenda política ou religiosa, posso dizer que as recompensas superam os riscos nessa situação. Por exemplo, em dezembro de 2017, nossa equipe da To The Stars Academy of Arts and Science ajudou a divulgar imagens dos militares dos EUA a respeito do FANIs. Nenhum governo implodiu, nenhuma religião se dissolveu.

Como Galileu, nossa missão é simples. Coletar e divulgar a verdade sobre o desconhecido. Enquanto os riscos não comprometerem a segurança nacional, as recompensas podem beneficiar a todos.

As verdades científicas ajudam a levar a sociedade adiante.

Neste ponto, não há dúvidas sobre se os FANIs estão lá fora – eles estão. As pessoas podem optar por continuar a viver com a cabeça enterrada na areia, ou podem adotar uma abordagem proativa ao fenômeno.

Séculos atrás, quando a humanidade ficou pela primeira vez nas margens de uma praia e contemplou a travessia do horizonte, o coro gritou: “Você é louco! Você vai cair da terra! Há monstros marinhos! ”

Mas agora, no século XXI, as pessoas viajam pelos oceanos todos os dias. O que nossos ancestrais achavam que eram monstros marinhos eram grandes tubarões brancos, baleias azuis e lulas gigantes. Acontece que eles são apenas mais uma parte do nosso ambiente natural.

Quando as pessoas se comprometeram a descobrir a verdade por si mesmas, não era mais místico, era apenas natureza.

Mas, como os processos do governo exigem sigilo quando se trata de informações classificadas, o conhecimento falso sobre os FANIs se espalha rapidamente. O sigilo permite que as pessoas vendam seu óleo de cobra e os usuários do YouTube lucram de vender suas narrativas mal informadas sobre os OVNIs. Logo as pessoas começam a acreditar que Elvis vive na nave-mãe – assim como eles acreditavam que você poderia cair da borda da Terra.

Quanto mais conhecimento as pessoas tiverem, melhor serão capazes de dominar seus próprios destinos e não ficarem reféns dos monstros de suas imaginações.

(Fonte)

Colaboração: Marcelino Melo


Luis Elizondo tem despendido muito esforço para paulatinamente liberar informações que o governo dos EUA o permite fazer. Segundo ele próprio, há mais 24 vídeos de OVNIs a serem liberados pelo Pentágono, e embora esta afirmação tenha sido feita em fevereiro deste ano, até agora mais nenhum foi liberado.

Talvez haja forças agindo contra essa liberação; talvez ele esteja esperando pelo momento exato para fazê-lo. 

Nessas alturas ninguém sabe nada além de que o fenômeno dos OVNIs mesmo é real e reconhecido pelo governo dos Estados Unidos.

n3m3

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh