web analytics

Alienígenas causaram perda de sonda russa em Marte, diz cosmonauta

Alienígenas causaram perda de sonda russa em Marte, diz cosmonauta

Cosmonauta Marina Popovich († 2017) mostra uma fotografia do que ela alegou ser um OVNI perto de Fobos, uma das duas luas orbitando Marte, em uma coletiva de imprensa no Consulado da União Soviética em São Francisco, em 1991. Foto: Associated Press

O testemunho de pessoas, quando se trata de ‘credibilidade’, não é realmente visto como uma boa fonte de informação dentro do mundo tradicional, exceto quando se encaixa na visão aceita da realidade, ou a realidade que nos é dada por aqueles que estão no poder. Neste momento, não é difícil ver o fluxo consistente de mentiras em quase todos os domínios, desde a saúde até a política, que é distribuído pela mídia corporativa regularmente. Quando são apresentadas informações que vão contra o status quo, não importa quão credível seja a fonte, mesmo que ela vá muito além do simples testemunho de pessoas e em provas concretas, ela sempre é recebida com uma resposta dura. Vemos isso hoje com a ciência e descobertas que desafiam os sistemas de crença e têm implicações de mudança de paradigma (como a ciência não material).

As coisas, no entanto, estão mudando, a mente coletiva está definitivamente aberta e disposta a aceitar o fato de que existem conceitos de nossa realidade que podemos ter negligenciado, especialmente em relação às coisas que não se encaixam no quadro.

Um desses tópicos é a vida extraterrestre inteligente. Julgando apenas pelas pesquisas globais, uma grande parte do mundo parece acreditar que não estamos sozinhos no Universo e que há vida inteligente lá fora; não somos apenas nós…

Uma grande parte também acredita que a vida extraterrestre inteligente visitou e poderia estar visitando o nosso planeta.

Seres inteligentes de outros sistemas estelares tem estado e estão visitando nosso planeta Terra. Eles são chamados de Visitantes, Outros, Pessoas da Estrelas, ETs, etc. … Eles estão visitando a Terra AGORA; isso não é uma questão de conjectura ou pensamento desejoso. – Theodor C. Loder III, Ph.D., Professor Emérito de Ciências da Terra, Universidade de New Hampshire (fonte)

Quando se trata do fenômeno OVNI, não é mais um tabu para discutir. Dezenas de governos admitiram a existência de OVNIs e liberaram dados eletroópticos (rastreamento de radar, imagens de vídeo) e muito mais. O fenômeno é real, e isso realmente não pode ser desacreditado ou discutido. O governo dos EUA também iniciou um processo lento de divulgação, tendo liberado vários vídeos próprios para a To The Stars Academy.

Quando se trata da hipótese extraterrestre para a explicação de alguns desses OVNIs, temos centenas de pessoas de alto escalão do setor militar, político, aeroespacial e educacional que têm dito ao mundo que sim, alguns desses OVNIs são
na verdade naves espaciais extraterrestres.

Há evidências abundantes de que estamos sendo contatados, que as civilizações nos visitam há muito tempo … que esses visitantes usam as tecnologias da consciência, usam toróides, discos magnéticos co-rotatórios para seus sistemas de propulsão … Isso parece ser um denominador comum do fenômeno OVNI. – Dr.Brian O’leary, ex-astronauta da NASA e professor de física de Princeton.
(fonte)

Phobos II

O espaço é um lugar estranho, um lugar sobre o qual não sabemos muito e uma área que parece ser dominada por Programas de Acesso Especial com Orçamentos Negros (SAP) e Programas de Acesso Especial não-reconhecidos. Esses são programas tão sigilosos que estão isentos dos requisitos de relatórios padrão para o Congresso dos EUA. Isso ficou claro, não apenas por aqueles que investigaram programas de orçamento negro, mas também por denunciantes, e pessoas como Gary McKinnon, que realizou uma grande invasão de computadores militares, encontrando imagens estranhas de naves espaciais flutuando perto da Terra, bem como uma lista de transferências de materiais  para “oficiais de fora do planeta” e de “esquadrilha para esquadrilha”.

Então, o que aconteceu com Phobos II?

Phobos II foi (pelo que nos foi dito), a última sonda espacial projetada pela União Soviética. Ela foi projetada para explorar as luas de Marte, Fobos e Deimos. Lançada em 12 de julho de 1988, Phobos II entrou em órbita no dia 29 de janeiro de 1989.

A Sonda aproximou-se da superfície de Marte, investigando sua superfície e atmosfera, retornando cerca de 40 imagens. A sonda também deveria se aproximar de Phobos a 50 metros e liberar duas sondas menores, mas, de repente, a missão terminou e o contato com a sonda foi completamente perdido. A resposta ‘oficial’ da NASA foi que houve um mau funcionamento a bordo, mas, segundo outros, com ‘credibilidade’, não foi isso que aconteceu.

Como Jim Mars aponta em um de seus livros, Our Occulted History (Nossa História Oculta):

Em meados de 1991, seis ex-visualizadores remotos do Exército dos EUA foram comissionados por oficiais do programa espacial russo para estudar a causa do desaparecimento da Phobos II. Visão remota é o termo dado a uma habilidade psíquica controlada que permite perceber pessoas, lugares e coisas à distância, sem o uso dos cinco sentidos normais. Tais técnicas foram estudadas por cientistas acadêmicos e governamentais antes da criação de uma unidade de observação remota no Comando de Inteligência e Segurança do Exército dos Estados Unidos (de sigla em inglês, INSOCOM), no início dos anos 70.

A visualização remota fazia parte do programa STARGATE do governo dos EUA.

A replicação bem-sucedida desse tipo de visualização remota em laboratórios independentes produziu evidências científicas consideráveis ​​sobre a realidade do fenômeno (visão remota). Somando-se à força desses resultados, estava a descoberta de que um número crescente de indivíduos poderia demonstrar uma visualização remota de alta qualidade, muitas vezes para sua própria surpresa. A CIA até participou como espectadores remotos para criticar os protocolos. O pessoal da CIA gerou descrições bem-sucedidas de qualidade suficientemente alta para permitir a correspondência cega de descrições aos alvos por juízes independentes. (fonte)

Segundo Marrs, em 1991, os espectadores remotos publicaram um relatório intitulado “Enigma Penetration: Soviet Phobos II Space Craft Images Anomaly” (Penetração Enigma: Anomalia das Imagens da Nave Espacial Soviética Phobos II ). O relatório delineou como um objeto em forma de disco surgiu da superfície de Marte quando a sonda Phobos se aproximou, enquanto um segundo objeto se moveu ainda mais para perto, examinando a sonda e, em seguida, disparando algo que parecia ser um dispositivo de feixe de partículas, que quebrou o equipamento de comunicação e orientação.

Este não é o primeiro relato de um OVNI disparando algum tipo de feixe de interrupção de equipamentos terrestres. O coronel Ross Dedrickson, um alto oficial da Força Aérea que teve um longo período com a comissão de energia atômica dos EUA, já atestou quando a isto. Ele também falou sobre armas nucleares destruídas por extraterrestres, as quais o governo dos EUA queria detonar na Lua para fins científicos…

Então, não é a primeira vez que estamos ouvindo sobre algo assim.

De volta à Phobos, de acordo com Marrs, os visualizadores remotos disseram que “isso pode não ter sido acidental, pois parece que toda a tecnologia trazida da Terra para o espaço é examinada de perto por não-humanos. Se isto revela atividades alienígenas, então é descomissionado.

Depois de ser atingida, a sonda Phobos II desceu em espiral sobre a superfície marciana.

Os visualizadores remotos não são os únicos que falaram de um incidente desse tipo. Em 1991, uma coronel aposentado da Força Aérea Soviética e aspirante a cosmonauta Marina Popovic, na foto à direita, expressou que uma das últimas fotografias recebidas pelos russos da Phobos II mostrou “a silhueta de um objeto de formato estranho se aproximando da espaçonave”. Popovich disse que a foto foi tirada em 25 de março de 1989, no espaço profundo perto de Fobos (lua de Marte), pouco antes do contato com a nave se perder. Ela disse que o objeto pode muito bem ter sido uma espaçonave alienígena. Sua crença de que isso aconteceu também reportada de forma muito breve pelo The New York Times.

Ela está segurando a foto no início deste artigo.

Por que ela estaria mentindo? Especialmente quando ela era uma das dezenas de astronautas globais que confirmaram a existência de ‘OVNIs’, e alguns confirmaram a hipótese extraterrestre.

Alexander Dunayev, presidente da organização Sociedade do Espaço, responsável pelo projeto Phobos II, disse que “a sonda condenada fotografou a imagem de um pequeno objeto de formato estranho entre ela e Marte. Ele especulou que o objeto poderia ter sido ‘escombros na órbita de Phobos’ ou até partes ejetadas da espaçonave. Seu tom foi muito inseguro.

Aqui está outra foto.

O que é mais intrigante sobre essa história é que o que foi desenhado pelos visualizadores remotos corresponde à descrição do disco acima, que é algo bastante comum no programa de visualização remota. Mais uma vez, teve uma taxa de sucesso extremamente alta, com os visualizadores sendo capazes de “espiar” bases militares russas secretas e descrever instalações de armas, instalações navais e muito mais. Eles até usaram o programa para localizar um avião espião perdido na África.
Há vários exemplos encontrados na literatura anteriormente secreta, e ainda mais dos participantes desse programa, como Ingo Swann, Pat Price, Joseph McMoneagle, Paul Smith e muitos outros.

Os observadores remotos treinados pelos militares, no entanto, disseram que viram a sonda Mars Observer encontrar a mesmo destino que Phobos II, bem como outros lançamentos espaciais secretos naquele mesmo mês em 1993. Eles notaram a similaridade das ocorrências entre as missões Phobos e o Mars Observer. Esse padrão pode ter continuado em outra tentativa russa fracassada de investigar os segredos de Phobos. No outono de 2011, controle sobre Phobos Grunt (literalmente, Phobos Solo) foi perdido, e cresceram temores de que sua carga de combustível tóxico e oxidante de dez toneladas pudesse causar estragos quando a aeronave falida voltasse à atmosfera da Terra. A nave supostamente caiu no Oceano Pacífico no domingo, 15 de janeiro de 2012, sem nenhuma consequência. Por que todas essas sondas estariam falhando? Será que algo em Marte não nos quer observando o planeta? Uma coisa parece clara – alguém ou algo continua a operar longe da Terra. (Our Occulted History)

(Fonte)

Para aqueles que têm dúvida se um programa de visualização remota realmente existiu (e talvez ainda exista) nos EUA, acessem o artigo abaixo:

CIA usou visualização remota para saber mais sobre pirâmides de Marte e seus habitantes

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh