web analytics

A Lua pode ter tido vida, descobrem astrobiólogos

A Lua pode ter tido vida, descobrem astrobiólogos

Uma renderização artística da superfície lunar, com a Terra à distância.

Existe uma pequena possibilidade de que uma vez, no passado distante, a vida como a conhecemos floresceu na nossa Lua? De acordo com as últimas afirmações feitas por um grupo de astrobiólogos, as condições para apoiar organismos simples existiram pelo menos duas vezes desde a formação do fiel companheiro cósmico da Terra, mais de quatro bilhões de anos atrás.

Agora, é claro, a Lua da Terra é um lugar árido e desolado, sem nenhuma sinal de vida em sua superfície.

Mas apesar do fato de que a Lua pode parecer um lugar implacável para a vida, isso pode não ter sido sempre assim.

Os astrobiólogos da Universidade Estadual de Washington (WSU) e da Universidade de Londres encontraram em ‘dois pontos’ nos quatro bilhões de anos de existência do satélite natural da Terra, que sugerem que ele pode ter abrigado vida como a conhecemos.

Especialistas explicam que um dos pontos ocorreu logo após a Lua ter surgido, e o segundo durante o pico da atividade vulcânica lunar, há cerca de 3,5 bilhões de anos.

Os cientistas dizem que as condições exatas necessárias para suportar a existência das formas de vida mais simples são impossíveis de encontrar no cosmos.

Até agora, para a ciência, a Terra é o único planeta conhecido em todo o universo que hospeda a vida.

No entanto, outro lugar onde a vida pode realmente prosperar é outra lua em nosso sistema solar: Encélado.

Um artigo recentemente publicado na revista Nature argumenta que Encélado, uma lua gelada de Saturno, contém todos os requisitos para a vida.

A busca pela vida além da Terra tem visto especialistas se concentrando em alguns de nossos vizinhos no sistema solar, e os cientistas acreditam que os melhores ativos poderiam ser a lua Europa (uma das luas de Júpiter) e Encélado, lua de Saturno.

Mas o conhecimento de que a Lua da Terra pode ter abrigado a vida no passado distante é uma descoberta importante que pode mudar a forma como procuramos a vida alienígena.

Durante os dois períodos, astrobiólogos da Universidade Estadual de Washington (WSU) e da Universidade de Londres acreditam que a liberação de gás causada pela atividade vulcânica pode ter ajudado a formar poças d’água líquida na superfície da Lua, bem como uma atmosfera que pode ter sido densa o suficiente para manter a água em estado líquido por milhões de anos.

O professor Dirk Schulze-Makuch, da WSU, disse:

Se a água líquida e uma atmosfera significativa estavam presentes no início da Lua por longos períodos de tempo, achamos que a superfície lunar teria sido pelo menos temporariamente habitável.

As descobertas revolucionárias foram possíveis graças à missão espacial recente, bem como estudos de rochas lunares e amostras de solo que revelam que a superfície lunar não é tão seca quanto se acreditava.

A evidência da presença de água na Lua foi descoberta em 2009 e 2010, quando os cientistas encontraram ‘centenas de toneladas de gelo de água’ presentes na Lua.

E como se isso não fosse o suficiente, os pesquisadores também descobriram traços de uma grande quantidade de água no manto lunar, que se acredita ter sido depositado nos estágios iniciais da formação da Lua.

No entanto, além de água e atmosfera, os organismos primitivos também precisam de proteção contra os perigosos ventos solares.

A evidência de um campo magnético na Lua também foi descoberta, o que significa que os organismos primitivos podem ter sido protegidos por uma atmosfera e um campo magnético por milhões de anos.

Mas, se houvesse vida na Lua da Terra há bilhões de anos, como ela chegou lá?

Bem, os cientistas apontam para o espaço exterior.

Pesquisadores acreditam que a vida na Lua pode ter sido trazida por asteroides, semelhante à teoria proposta para a origem da vida na Terra. Foi ‘trazida’ de outro lugar. Até agora, os cientistas descobriram as primeiras evidências de vida na Terra a partir de cianobactérias fossilizadas, que existiram aqui entre 3,5 e 3,8 bilhões de anos atrás. Durante esse período, acredita-se que nosso sistema solar foi fortemente bombardeado por asteroides e meteoritos.

Especialistas argumentam que a Lua pode ter sido atingida por um meteorito carregando organismos simples como cianobactérias durante um dos períodos em que a superfície lunar era habitável.

O Dr. Schulze-Makuch disse:

Parece que a Lua era habitável naquele momento. Poderia ter havido realmente micróbios prosperando em piscinas de água na Lua, até que a superfície ficou seca e morta.

(Fonte)


Se a Lua realmente teve vida antes, então hoje deve seré possível encontrar fósseis em sua superfície. Aliás, será que ela ainda não tem vida em seu interior; isto sem contar com a presença de seres inteligentes que muitos dizem existir por lá?

n3m3

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh