web analytics

A verdade sobre Roswell pode estar prestes a ser liberada por familiares da principal testemunha, Jesse Marcel

A verdade sobre Roswell pode estar prestes a ser liberada

Foto de 1947 utilizada para desmentir as declarações anteriores, de que um OVNI havia se acidentado no deserto.

Um tesouro de documentos históricos nunca antes vistos, registros militares, fotos e um diário pessoal do oficial de inteligência, Major Jesse Marcel, foram recentemente descobertos por membros da família Marcel, considerada por muitos a primeira família do Incidente do OVNI de Roswell.

Na manhã de 7 de julho de 1947, o Major Jesse Marcel foi chamado para o deserto nos arredores da cidade de Roswell para investigar um objeto misterioso que havia caído do céu. Marcel, um piloto de combate e oficial de inteligência da Segunda Guerra Mundial encarregado de supervisionar a primeira e única força de ataque da bomba atômica no mundo, lidou e transportou pessoalmente os destroços, que ele caracterizou como “não deste mundo”. Os militares dos EUA emitiram um comunicado de imprensa afirmando que haviam recuperado destroços de um disco voador em Roswell, que foi publicado no Roswell Daily Record. Dois dias depois, os militares reverteram a liberação de imprensa, alegando que os destroços eram na verdade um balão meteorológico. Marcel foi obrigado a posar para fotos com os restos do (de um) balão. Isso resultou na crença generalizada de um acobertamento do governo. O Incidente de Roswell – como veio a ser conhecido – se tornou o mais famoso e duradouro mistério OVNI do mundo.

Será que o avô da família Marcel deixou pistas sobre o que realmente aconteceu em Roswell entre seus documentos e periódicos? Jesse Marcel III, seu irmão John Marcel e sua família estão determinados a descobrir.

Jesse Marcel III disse:

Meu avô foi usado como o bode expiatório e eu devo isso a ele e ao legado da minha família para saber a verdade sobre o que aconteceu em julho de 1947′.

Jesse Marcel III havia sugerido no UFO Festival do ano passado que a família estava planejando um grande projeto. Ele dissera que seu avô sempre se orgulhara de sua carreira militar e do incidente de Roswell.

Ele ainda disse:

As pessoas não percebem que foi um distintivo de honra para ele (seu avô).

Ele gostava de estar associado ao caso. Ele achava que isso era uma notícia que mudaria a vida – algo que mudará a história para sempre.

Em uma entrevista por telefone, Jesse Marcel III falou sobre o projeto. Parentes e amigos que tiveram comunicação do major Jesse Marcel foram convidados a participar e coletar todos os documentos, fotos e correspondências do Major Jesse Marcel.

“Isto vem de todos os Marcels, em todo o EUA, Louisiana, eu, meu irmão John e irmã Denise”, disse Jesse Marcel III.

A família encontrou apoio em Larry Landsman, presidente e produtor executivo da AEP Media LLC. Landsman está documentando o processo.

Perguntado quando os documentos serão disponibilizados ao público, Landsman disse:

Não fomos especificados. É um grande cache de documentos militares históricos, mas tudo remonta a esse período de tempo (meados dos anos 40). O que é mais intrigante é o que os historiadores e criptógrafos irão decifrar.

Uma das maiores descobertas é o diário do Major Marcel.

Landsman disse:

É o seu diário pessoal de então, que é tão intrigante e pode potencialmente lançar luz sobre a verdade do que realmente aconteceu.

John Marcel informou:

Até o dia em que morreu, meu avô e meu pai nunca mudaram suas histórias. Esperamos que esses artefatos e escritos pessoais durante o tempo do incidente abram os anos do acobertamento.

Com base em descobertas surpreendentes feitas pelo examinador de documentos forense John Osborn, os artefatos de Marcel passarão por uma completa revisão por historiadores, criptógrafos e especialistas em inteligência militar para ajudar a lançar luz sobre o que realmente caiu na Terra em julho de 1947. Osborn foi o 33º presidente da American Society of Questioned Document Examiners (Sociedade Americana de Examinadores de Documentos Questionados) com um tempo de perícia de 20 anos em seu campo.

Foi um balão meteorológico? Um dispositivo militar ultrassecreto de alta altitude usado para detectar testes atômicos soviéticos? Ou como muitos acreditam, uma nave extraterrestre? Estas questões ainda persistem hoje, com décadas de especulação e conjectura alimentando o caso agora lendário. É uma controvérsia que tem atraído a atenção de caçadores de mistérios e da mídia tradicional há mais de 70 anos.

Assim que os artefatos de Marcel forem decifrados, o International UFO Museum and Research Center – IUFOMRC (Museu Internacional e Centro de Pesquisa de OVNIs) terá a aprovação para organizar o lote histórico.

Jim Hill, diretor do museu, disse:

Nós do International UFO Museum & Research Center estamos agradecidos e honrados que a família Marcel nos escolheu para ser um repositório de seus artefatos descobertos recentemente. O compromisso da família em autenticar o material diz muito sobre sua determinação em descobrir a verdade. Aguardamos ansiosamente o dia em que esses documentos estarão disponíveis para visualização pública.

Desde sua abertura ao público, o IUFOMRC já recebeu mais de 3.900.000 visitantes de todo o mundo. Durante o 70º aniversário do suposto acidente no ano passado, o IUFOMRC recebeu um número recorde de 223.559 visitantes. A biblioteca do museu é a segunda maior coleção desse tipo no mundo. Classificada como uma biblioteca especial de coleções, está aberta ao público durante todo o ano.

(Fonte)

Colaboração: Marcelino Melo


Depois de 71 anos, mais do que passou da hora da verdade vir à tona, seja ela qual for. Mas quem conhece a forma com que os governos de todo o mundo operam, mesmo se os destroços do incidente não tenham sido de uma nave alienígena, uma coisa é certa: balão meteorológico é que não foi.

Recentemente, o pesquisador e geólogo Frank Kimbler encontrou pedaços de metais na área onde teria caído o suposto OVNI no deserto, e uma agência governamental dos EUA ao descobrir isso marcou uma reunião com ele, provavelmente numa tentativa de confiscar os objetos encontrados. O caso foi publicado recentemente aqui no OH. Contudo, o resultado da reunião não foi anunciado até recentemente, assim não consta naquele artigo. 

Mas agora, segundo informações encontradas na Internet, Kimbler, sendo mais esperto que a agência governamental, anunciou a quatro ventos sobre a comunicação que recebeu do governo. Provavelmente o governo ficou intimidado pelo alastramento da notícia, e durante a reunião lhe foi dito somente para cuidar bem dos objetos e não passá-los para ninguém.

Esperemos que os documentos de Jesse Marcel realmente tragam uma luz para esse intrigante caso, que já gerou todos os tipos de teorias.

Que esta seja mais um peça na construção do desacobertamento total dos OVNIs!

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh