web analytics

Espaço do Leitor: Caso Jocelino, Maringá, 1979 – Visitas alienígenas com propósito de estudo e pesquisa biológica dos humanos por várias gerações?

Caso Jocelino, Maringá, 1979

O porteiro da Santa Casa de Botucatu, relata ter sido abduzido na madrugada de 30 de novembro de 1982 e levado para uma nave, onde teve relações sexuais com uma alien morena…. Segundo João Valeno da Silva dentro da nave ele foi levado para um outro “quarto” por uma mulher de pele escura, de estatura média e bastante atraente. Ela colocou as mãos no meu rosto, e eu desmaiei, depois disso fui levado para uma sala com luz ambiente e temperatura agradável, onde permaneci imóvel e praticamente indefeso. A mulher me obrigou a ter “relações íntimas” com ela.”

No caso que ocorreu em Maringá, Paraná, numa sexta feira 13, abril de 1979 no Jardim Alvorada, bairro de Maringá (PR), a testemunha, Jocelino, também manteve relações com uma extraterrestre, que ele descreveu de forma bem semelhante: tinha cabelos longos, negros caindo sobre os ombros, tinha mais ou menos 1,75m de altura, olhos negros, sobrancelhas escuras e pele morena, mais escura que a dos homens que estavam na nave.

Esses extraterrestres disseram a Jocelino que vieram de “Tortum” – um dos 8 planetas do “sistema Sato” de Andrômeda (não se sabe se eles se referiam à galáxia de Andrômeda, ou a uma constelação do mesmo nome).

Eles disseram que eram de “unidade médica” de estudo, e estavam pesquisando os humanos.

Pareciam seres humanos, com idade aparente de 40-50 anos de idade, com 1,80 a 2 metros de altura; a “mulher” também parecia uma femea terrestre, e também se apresentou como medica e que em certo momento mantém relações com Jocelino.

Os seres disseram que a mãe das testemunhas já tinha sido abduzida antes, quando tinha 9 anos de idade, e aparentemente teria sido preparada para coisas que deveriam acontecer muito mais tarde na sua própria família. Se isto estiver correto, isso indica um longo planejamento dos eventos de abdução, envolvendo primeiro ela e depois os filhos.

Os 2 irmãos, Jocelino e Roberto Carlos de Mattos, de 21 e 13 anos estavam indo visitar a sua irmã na noite de 13 de abril de 1979, quando viram uma “estrela” no céu.

Esta luz logo os deixou desorientados, e de alguma forma os dois simultaneamente foram hipnotizados e forçados a saírem da estrada para andarem por um campo arado até chegar em uma árvore.

Segundo relato de Jocelino, “Quando nós estávamos embaixo da árvore, fomos jogados ao chão por uma força desconhecida. O objeto voador estava a uns 15 m de nós, pairando a aproximadamente 3m do solo. Ele estava flutuando silenciosamente no ar e isso é tudo o que eu posso me lembrar, exceto o fato que ouvi uma voz me dizendo algo como ‘…a missão não está terminada, nós voltaremos’. Não sei como ouvi essa voz, mas parecia um sonho”.

Mais tarde eles recuperaram a consciência e viram a nave à distância até desaparecer no céu. Ainda zonzos, e se apoiando um no outro, eles retornaram com dificuldade para casa.

Os outros familiares os esperavam e não acreditaram na sua história, mas então viram uma luz ainda visível no céu, era a “prova” e parecia que os seres queriam que o resto da família vissem que as testemunhas não mentiam.

Como sempre, a imprensa local relatou este caso alguns dias depois do acontecimento, mas havia erros e distorções nas suas versões do caso, o que trouxe publicidade adversa, e o resultado foi o isolamento total da família. Isso durou tanto que muitos dos membros da família, mais tarde, optaram por sair do local por causa do medo e da hostilidade até mesmo dos habitantes locais.

Fonte: http://galactic.no/rune/maringa1.html

Na época, o caso chegou ao conhecimento do pesquisador Gaevard. Uma sessão hipnótica foi realizada para tentar saber o que ocorreu em um provável tempo perdido durante o avistamento da nave embaixo da arvore. Muitas informações foram resgatadas nesse processo, eventos que os dois não lembravam conscientemente antes.

 

Trecho da primeira hipnose:

(Publicado em http://www.fenomenum.com.br/ufo/casuistica/1970/maringa):

Hipnólogo – Em que lugar da nave você está agora?

Jocelino – Estou em algo parecido com uma cadeira de dentista, muito moderna, sofisticada e mecanizada. A temperatura no ambiente é normal. Tem um aparelho na minha cabeça.

Hipnólogo – Como eles colocam os equipamentos na sua cabeça?

Jocelino – É parecido com um capacete. Sinceramente, não vejo muito bem. Sei que estou consciente todo o tempo, mas vejo somente que o capacete é móvel.

Hipnólogo – Com quem você conversa na nave?

Jocelino – Converso somente com a mulher. Porém os outros ETs falavam comigo antes dela chegar. Ela entrou por uma porta e sentou ao meu lado. Começa a me fazer… começa a me acariciar amavelmente… Passa a mãe no meu rosto, cabelo, peito, por todo meu corpo.

Hipnólogo – Você fica excitado?

Jocelino – Sim. Agora ela abre uma parte da roupa, uma espécie de zíper. Não posso ver nada direito… estou encima dela. Fazemos sexo.

Hipnólogo – Que tipo de sensação ela demonstra?

Jocelino – Ela não demonstra nada, nenhuma sensação. Tem um prazer gelado… Diz poucas palavras, apenas que é uma mulher viajante, mas não especifica que tipo de pessoa é.

Hipnólogo – Como se comunicam?

Jocelino – Conversamos por pensamento. Ela não precisa mexer os lábios para conversar.

Hipnólogo – E como é essa mulher?

Jocelino – Ela usa um macacão preto. Seus cabelos são longos, negros e caem sobre os ombros. Ela não permite que veja todo seu corpo, permanece vestida todo o tempo. É uma moça alta, de mais ou menos 1,75m de altura (mais alta que eu), seus olhos são negros, tem sobrancelhas e sua pele é morena, mais escura que a dos homens que estão na nave.

Hipnólogo – Tem outras características?

Jocelino – O nariz e os olhos são iguais aos nossos, tinha lábios médios e não vejo se há dentes. Tem orelhas comuns. É uma moça muito bonita em relação às terráqueas. Não usa nenhuma jóia, sua roupa é fechada até o pescoço, não consegui saber se tinha seios ou não. Ela não permite que eu veja ou toque.

Hipnólogo – O que vocês conversam?

Jocelino – Ela me diz que talvez a semente cresça. Nós conversamos sobre a Terra, sobre a maneira neurótica que as pessoas vivem. Ela diz que a vida aqui é cheia de conflitos, guerras e fome, de forma que ninguém se preocupa com os efeitos de tudo isso. Diz também que ela e todos os outros na nave são amigos, que vieram numa missão para nos julgar ou algo parecido… Agora ela se retirou pela mesma porta que entrou.

Hipnólogo – Fale mais sobre essa missão. Eles vieram para nos julgar?

Jocelino – Eles teriam que observar nosso comportamento, ver a nossa ética e esse foi um dos motivos pelo qual me raptaram. Eles dizem vir de um lugar muito longe, entre as estrelas.

Hipnólogo – Como você sai da nave?

Jocelino – Flutuando, levam-me até o lugar onde o meu irmão está deitado. A nave está a uma distância de mais ou menos 800m da árvore, a 5m do solo. Vou para junto de meu irmão e não vejo mais os ocupantes do UFO.

Hipnólogo – E o que faz ao encontrar seu irmão?

Jocelino – Tento ir para casa. Estamos muito desgastados, precisamos nos apoiar para levantar. Eu me sinto muito mal neste momento. Lembro que no caminho para casa, vi três luzes passando como um flash no céu.

Dois relatos parecidos, na mesma época, em cidades diferentes. João, um porteiro de um hospital de Botucatu; Jocelino um sujeito simples, morador de Maringa, norte do Paraná. Dois casos envolvendo abdução e relações sexuais com ETs descritas fisicamente quase da mesma forma…. Casos esquecidos ou desconhecidos hoje, não fosse a Internet…. casos que sugerem visitas planejadas e recorrentes. Como disseram os aliens a Jocelino, eles já tinham abduzido sua mae quando menina (9 anos) e naquela época estava nos planos uma futura abdução de outros da sua família…..

Semelhanças com o nosso amigo M3nis aqui do OH?  Ele foi “atacado” por um OVNI quando menino…. Sua mãe revelou que também tinha sido “atacada” quando moça… ambos perderam a consciência e ficaram em coma por vários dias…  com certeza não era coincidência… era parte de uma mesma experiência dos aliens… e assim está ocorrendo com outras pessoas em todo o mundo…. Creio que muitas pessoas que tem sido visitadas por aliens tem por trás históricos de visitas ou abdução na sua família – mãe, pai, avós….  isso parece ser um padrão de muitos casos demonstrando que os aliens tem uma agenda de intervenções ao longo dos anos numa mesma família….

– PREDADOR

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh