web analytics

Astrônomos descobrem 121 planetas gigantes cujas luas podem abrigar a vida

Astrônomos descobrem 121 planetas gigantes cujas luas podem abrigar a vida

Ilustração de um artista de uma exuberância potencialmente habitável orbitando um planeta gigante em um sistema solar distante. NASA GSFC: Jay Friedlander e Britt Griswold

Mais de 100 planetas gigantes, que potencialmente hospedam luas capazes de suportar a vida, foram identificados por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Riverside (UCR), EUA, e da Universidade de Southern Queensland, na Austrália.

A pesquisa guiará o projeto de futuros telescópios capazes de detectar essas luas potenciais e procurar por sinais de vida, chamados de bioassinaturas, em suas atmosferas.

Desde o lançamento do telescópio Kepler da NASA em 2009, foram identificados milhares de planetas fora do nosso sistema solar, que são chamados de exoplanetas. Um dos principais objetivos da missão Kepler é identificar os planetas que estão nas zonas habitáveis ​​de suas estrelas –  a região que não é nem muito quente, nem muito fria, para a existência de água líquida e potencialmente a vida.

Os planetas terrestres (rochosos) são os principais alvos na busca da vida, porque alguns deles podem ser geologicamente e atmosfericamente semelhantes à Terra. Outros candidatos que poderiam sustentar a vida são a exoluas. Planetas semelhantes a Júpiter na zona habitável podem ter exoluas que são dignas de observação e estudo.

Stephen Kane, professor associado de astrofísica planetária e membro do Centro Alternativo de Astrobiologia da Terra da UCR, disse:

Atualmente, existem 175 luas conhecidas orbitando os oito planetas do nosso sistema solar. Enquanto a maioria dessas luas orbitam Saturno e Júpiter, que estão fora da zona habitável do Sol, este pode não ser o caso em outros sistemas solares.

Incluir exoluas rochosas em nossa busca pela vida no espaço expandirá grandemente os lugares que podemos olhar.

Os pesquisadores identificaram 121 planetas gigantes que têm órbitas dentro das zonas habitáveis ​​de suas estrelas. Com mais de três vezes o raio da Terra, esses planetas gasosos são menos comuns que os planetas terrestres, mas espera-se que cada um deles abrigue várias grandes luas.

Michelle Hill, aluna de graduação da a Universidade of Southern Queensland, disse:

Agora que criamos um banco de dados dos planetas gigantes conhecidos na zona habitável de suas estrelas, as observações dos melhores candidatos para hospedagem de exoluas em potencial serão feitas para ajudar a refinar as propriedades exóticas esperadas.

Nossos estudos de acompanhamento ajudarão a informar o futuro projeto do telescópio, para que possamos detectar essas luas, estudar suas propriedades e procurar por sinais de vida.

(Fonte)


Quando consideramos a possibilidade de vida nos incontáveis números de planetas fora de nosso sistema solar – o que matematicamente já nos diz que a vida lá fora é quase certa – é muito fácil esquecer que muitos desses planetas também contam com luas, as quais podem ser amigáveis à vida tal como a conhecemos.

Levando-se tudo isso em consideração, é inconcebível a não existência de vida lá fora. Não somente não estamos sós no Universo, como também pode haver uma multidão imensurável de raças lá fora, irrelevante do que alguns cientistas queiram nos fazer pensar.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh