web analytics

Sitichin estava certo sobre os Anunnakis e Nibiru?

os Anunnakis e Nibiru

Anunnakis.

A história antiga é cheia de esquisitices documentadas, que infelizmente continuamos a ignorar, mas estamos melhorando e a mente humana coletiva está se abrindo para novas explicações para a natureza da realidade, e uma série de outros tópicos, como a história humana.

Muitas ‘tradições’ de nosso mundo antigo parecem estar em processo de serem redescobertas, um ótimo exemplo seriam as correlações entre as antigas crenças espirituais orientais e a física quântica, com sua forte correlação e dependência da consciência. Outro exemplo poderia ser as práticas antigas de saúde, comumente referidas hoje como medicina naturopática. O exemplo neste artigo lida com antigas tradições de seres de outros mundos, e é ainda mais interessante por causa da revelação moderna dos OVNIs que estamos vendo, e as evidências sugerindo que alguns deles podem ser extraterrestres são bastante fascinantes, pelo menos para aqueles que tomaram seus tempos para olharem.

Ao contemplar especificamente sobre extraterrestres, há muitos exemplos para escolhermos. Quer se trate dos Povos das Estrelas dos quais as histórias dos nativos norte-americanos falam, ou dos modernos supostos encontros com diferentes tipos de seres extraterrestres, acredite, não há escassez.

Talvez uma das histórias mais conhecidas venha do trabalho de Zecharia Sitchin, um homem que escreveu muitos livros propondo uma explicação para a origem humana, envolvendo antigos astronautas. O renomado pesquisador Jim Marrs, em seu livro “Our Occulted History“, descreve bem o trabalho de Sitchin e suas descobertas:

Em vários relatos gravados permanentemente em suas tabuletas de argila, os antigos escribas sumérios deram mais detalhes sobre a fonte de seu conhecimento. Eles escreveram que 432.000 anos antes do Grande Dilúvio, os Anunnakis chegaram e lhes ensinaram os fundamentos da civilização … De acordo com as interpretações de Zecharia Sitchin e muitos outros, o termo Anunnaki significa “aqueles que vieram dos céus para a Terra”. Na narrativa de Sitchin estes eram astronautas do planeta Nibiru que viajava pelo cinturão de asteroides e inicialmente desembarcaram no Golfo Pérsico.

Marrs continua descrevendo como uma vez lá, eles começaram a colonizar e procurar por ouro, bem como manipular o DNA de ‘primitivos’ na Terra, que acabaram se tornando reis e famílias aristocráticas na Terra, o que finalmente levou à devastação e à guerra em todo o mundo.

Histórias de outros seres mundanos também estão presentes em várias lendas africanas da criação, como o povo zulu, que significa ‘céu’. Sua conexão com as histórias de Zecharia Sitchin é bastante fascinante, já que as histórias desses “deuses” têm os mesmos aspectos atribuídos aos Anunnakis nas tábuas sumérias. Se você quiser ouvir alguns exemplos de histórias, basta pesquisar no Google pela frase ‘Credo Mutwa‘.

O pesquisador sul-africano Michael Tellinger também descreve isso muito bem, este é outro trecho do livro “Our Occulted History“.

A maior parte da mitologia africana fala sobre as mesmas coisas, os deuses do céu, os abelungus, que desceram do céu. Eles criaram o povo para garimpar o ouro. Credo Mutwa (e xamã africano) nos diz que Abantu em zulu significa os filhos de Antu. Antu é a deusa suméria do Abzu – de onde veio o ouro. Lorde Enki é também conhecido como Enkei, o deus criador, o curandeiro sumério. Ele clonou uma espécie. Seu símbolo está no símbolo médico, caduceu. Este é um dos símbolos mais antigos da Terra, codificado com tanto conhecimento e informação que podemos passar uma palestra sobre isso sozinho.

Outro exemplo poderia ser Quetzalcoatl, considerado um conto mítico. O cronista espanhol, Juan de Torquemada, afirma que Quetzalcoatl era ‘um homem loiro e courado, de barba longa’. O pesquisador Graham Hancock descreve-o da seguinte forma:

Uma pessoa misteriosa… um homem branco com forte formação de corpo, testa larga, olhos grandes e uma barba esvoaçante. Ele estava vestido com uma longa túnica branca chegando a seus pés. Ele condenou os sacrifícios, exceto frutas e flores, e era conhecido como o deus da paz. Quando abordado sobre o tema da guerra, é relatado que ele tapou os ouvidos com os dedos. (Fonte)

Agora, é importante ter em mente que há várias histórias aqui de muitos períodos de tempo. A Mesopotâmia parece realmente um lugar onde o contato extraterrestre estava acontecendo com frequência, e estamos tendo um vislumbre do que poderia ter acontecido. Há histórias de contato amigável entre várias tribos na América do Norte, e existem diferentes tipos de seres, diferentes descrições, mas muitas semelhanças.

Para ser honesto, como o astronauta Story Musgrave disse uma vez: “provavelmente existem trilhões de raças diferentes por aí fazendo viagens estelares”.

Existe uma outra maneira, seja buracos de minhoca ou deformar o espaço, tem que haver uma maneira de gerar energia para que você possa retirá-la do vácuo, e o fato de estarem aqui nos mostra que encontraram um caminho. – Jack Kasher, Ph.D, professor emérito de física da Universidade de Nebraska.

A história da humanidade pode não ser como ela está sendo contada, a maneira como é contada agora é bem chata; estamos presos ao criacionismo e à evolução como nossas duas únicas opções, quando poderia ser algo muito maior e mais complexo e selvagem, com uma pequena mistura de tudo, talvez. A única certeza é que aquilo que aprendemos não parece se encaixar em todas as descobertas esquisitas que foram feitas ao longo dos anos sobre gigantes e estranhos crânios/corpos humanoides.

Nosso mundo está encharcado de sigilo, e o que é considerado como as ideias mais “estranhas”, em muitos casos, costumam ter maior validade. A verdade não pára, está sempre lá. No entanto, a percepção humana da verdade e reação a ela determina o que criamos como verdade. Se todos nós acreditamos que algo exista, este algo poderá existir? Mas essas são discussões mais profundas…

De acordo com Sitchin, aproximadamente meio milhão de anos atrás, esses seres Anunnakis vieram para a Terra, porque nosso planeta e seu planeta estavam próximos.

O trabalho de Sitchin tem sido criticado e rejeitado pela academia convencional, da mesma forma que a parapsicologia tem sido. Por exemplo, um professor de estatística da Universidade da Califórnia, em Irvine, publicou um artigo mostrando que experimentos parapsicológicos produziram resultados muito mais fortes do que aqueles mostrando uma dose diária de aspirina para ajudar a prevenir um ataque cardíaco.

Quando você ultrapassa os limites das crenças, não importa quantos pesquisadores, estudiosos e acadêmicos concordem com você, sempre haverá ‘o grandão’ que não concorda e essa é a pessoa que obterá mais publicidade por desacreditá-lo, a fim de manter algum tipo de status quo. Foi o que aconteceu com muitas pessoas, inclusive Sitchin, mas há uma razão pela qual milhões de pessoas são tão fascinadas por todas as conexões feitas por ele, e aquelas que seguiram seu trabalho ou pesquisam em uma área similar.

Por exemplo, Paul Von Ward, um proeminente autor, pesquisador e psicólogo, escreveu:

Embora eu não concorde com sua cosmologia… sua elucidação de detalhes históricos e sua conexão com outros campos do conhecimento se elevam sob revisão comparativa com o trabalho de outros estudiosos. Seu resumo de informações relativas aos ‘antigos deuses’ conhecidos na Suméria, como os Anunnakis, apresenta uma mistura coesiva e defensável de material textual e interpretação criteriosa.

Um autor que estudou mais de trezentas traduções de antigos escritos mesopotâmicos e védicos, C.L.
Turnage escreveu:

Depois de estudar a teoria de Sitchin, comecei minha própria contemplação do épico babilônio pré-bíblico da Criação ou Enuma Elish. Foi a partir de um estudo dessa narrativa que Sitchin tomou conhecimento do planeta Nibiru e seu estabelecimento dentro do nosso próprio sistema solar. Esse conto foi originalmente escrito em sete tabuletas de argila, cada um correspondendo a um dia de criação … Depois de meu próprio estudo dessas crônicas, concordei com as descobertas de Sitchin.

No entanto, fatos fascinantes permanecem inexplicáveis ​​a menos que adotemos uma perspectiva extraterrestre. Tomemos por exemplo o fato que os antigos sumérios descreviam com precisão os planetas Urano, Netuno e Plutão … Estes planetas nem sequer podem ser vistos sem um telescópio.

O Décimo Planeta

Esse tipo de coisa tem sido bastante popular em certos pontos da história humana. Em 1981, os cientistas estavam contemplando a possibilidade em relação a evidências estranhas sugerindo um corpo solar adicional em nosso sistema.

O livro de Marrs continua descrevendo um artigo de Hugh McCann, um escritor do Detroit News na época:

Se as novas evidências do Observatório Naval dos EUA de um 10º planeta no sistema solar estiverem corretas, poderá provar que os sumérios (…) estavam muito à frente do homem moderno na astronomia.

Os sumérios o chamavam de 12º planeta, mas eles contavam a lua e o sol, então faz sentido.

Em 30 de dezembro de 1983, o Washington Post publicou uma manchete de primeira página que dizia:

Um corpo celeste tão grande quanto o planeta gigante Júpiter, e possivelmente tão próximo da Terra que seria parte deste sistema solar, foi encontrado na direção da constelação de Orion por um telescópio orbital a bordo do satélite astronômico infravermelho dos Estados Unidos (IRAS). Tão misterioso é o objeto que os astrônomos não sabem …

O que também vem à mente aqui são as recentes declarações do astronauta Al Worden, da  missão Apolo 15:

Somos os alienígenas, mas simplesmente pensamos que eles são alguém mais. Mas nós somos aqueles que vieram de outro lugar, porque alguém tinha que sobreviver, e eles entraram em sua pequena nave espacial, em seguida vieram aqui e pousaram, e eles começaram a civilização aqui. E se você não acredita em mim, vá buscar nos livros sobre os sumérios antigos e veja o que eles tinham a dizer.

Seus comentários não diferem significativamente dos do Dr. Edgar Mitchell, que disse ser “privilegiado o suficiente para saber o fato de que não estamos sozinhos nesta planta” e que nós “fomos visitados muitas vezes”.

Nosso mundo está encharcado de sigilo, você acha que se tal corpo celeste em nosso sistema solar foi detectado teríamos ouvido alguma coisa sobre isso? Mais provável que não.

Um ótimo exemplo é a recente divulgação de OVNIs pelo governo dos EUA através do To The Stars Academy… …Novamente, a história dos Anunnakis poderia ser verdadeira, mas isso foi há muito tempo, e se aquele planeta realmente existe, talvez as coisas tenham mudado também. Estamos vendo, no mínimo, um pequeno relato de contato extraterrestre que ocorreu ao longo da história deste planeta.

(Fonte)


n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh