web analytics

Poderemos reconhecer a música alienígena, sugere pesquisa

música alienígena

Quando pensamos sobre a realidade de encontrar uma raça extraterrestre, frequentemente pensamos na dificuldade, e às vezes na suposta impossibilidade, de comunicar ou mesmo reconhecer que a comunicação estava sendo tentada. Nós nos perguntamos, também, como poderíamos reconhecer uma cultura completamente fora de nossos referenciais. Poderíamos até identificar obras de arte alienígenas, quanto mais apreciá-las? Poderíamos reconhecer música alienígena, se eles realmente tivessem um conceito de música? Um artigo publicado na revista Scientific Reports sugere que os seres humanos seriam capazes de reconhecer e apreciar a música alienígena, devido à nossa capacidade de processar linguagem, desde que ela siga algumas regras, e sugere que podemos ter facilidade em entender uma cultura completamente alienígena, muito mais do que pensávamos…

…As regras em questão não são especificamente regras musicais, nem mesmo regras gramaticais específicas, mas sim ‘meta regras’ de estrutura e coerência. A música alienígena precisaria ser construída sobre dependências locais e não locais. Dependências, em termos de música, são os pontos em comum que fazem uma música soar como uma peça coerente. Uma dependência local liga duas coisas adjacentes – algo como um padrão de bateria repetindo a cada quatro compassos – e dependências não locais ligam as coisas não adjacentes. Dependências não-locais podem ser entendidas em termos de música pop: a clássica estrutura do verso-coro. Os dois versos não são adjacentes, porque estão separados por um coro, mas o segundo verso segue uma regra criada pelo primeiro. Isso é usado para criar antecipação, resolução, ressonância emocional e todas as coisas que tornam a música incrível. Não se limita à música pop, você encontrará dependências locais e não-locais em toda a música humana, da música clássica ao punk rock, à música não-ocidental, como a da Índia ou da península árabe, que usam escalas e figuras rítmicas completamente diferentes, mas a simplicidade do pop torna isso um exemplo muito fácil…

…Essa explicação é importante, no entanto. Essencialmente, contanto que a música alienígena tenha algum tipo de estrutura interna, poderíamos reconhecê-la mesmo se não seguisse quaisquer regras musicais para as quais nossa cultura nos preparou.

A música é apenas matemática emocional, e os instrumentos são calculadoras movidas a humanos.

Para descobrir isso, Vincent Cheung e sua equipe no Instituto Max Planck de Ciências Cognitivas e Cerebrais Humanas escreveram uma música “alienígena” própria. Sua descrição da música alienígena é “combinações geradas aleatoriamente de trios de tons que foram combinados de uma maneira semelhante ao palíndromo”. Eles trouxeram músicos de diferentes níveis de especialização e tocaram para eles sua “música alienígena”, em uma composição ao lado de sequências sem regras gramaticais internas. Os músicos foram encarregados de determinar quais sequências seguiram as dependências locais de regras gramaticais geradas aleatoriamente, e quais sequências não tinham regras gramaticais. A equipe não só conseguiu, mas também descobriu que podia identificar dependências não-locais dentro das composições.

Repetindo os testes com os músicos em uma máquina de ressonância magnética, a equipe descobriu algo surpreendente. Uma área do cérebro no hemisfério direito estava se acendendo, o que espelhava “a área de Broca”. A área de Broca – batizada devido ao anatomista Paul Broca – faz parte do córtex cerebral do lado esquerdo do cérebro, e é responsável por nossa compreensão das dependências na linguagem. É o que acontece quando você ouve erros gramaticais na linguagem. O que os pesquisadores descobriram é que temos uma área gêmea do outro lado do cérebro, a qual entende gramática em coisas mais etéreas e subjetivas, como a música. Parece que poderíamos estar bem condicionados para entender a estrutura em si, independentemente de nossas estruturas culturais.

Existem tantos trabalhos de ficção que lidam com a comunicação óbvia e as barreiras culturais que existiriam entre nós e qualquer espécie alienígena. O filme A Chegada, de 2016, e o conto em que se baseou, trataram dessa questão e apresentam uma linguista como a figura da heroína que decifra uma linguagem alienígena, que nem sequer se ajusta ao nosso senso de tempo. O filme Contatos Imediatos do Terceiro Grau envolveu a comunicação através da música especificamente. Parece razoável imaginar que qualquer espécie que possa viajar pelo espaço basearia sua cultura e comunicação em algum conjunto interno de regras, mesmo que não se assemelhe ao nosso. Essa pesquisa sugere que poderíamos reconhecer facilmente que existem regras, não apenas caos, que eliminariam a primeira barreira para o entendimento.

Naturalmente, já sabemos como é a música alienígena.

(Fonte)


Se há uma coisa que eu penso ser universal, pelo menos para seres que têm o mesmo alcance auditivo que nós, é a música no seu estado mais belo e harmonioso. Isso exclui sons aberrantes – verdadeiros elos entre a burrice e o ruído – que alguns aqui na Terra chamam de música.

Mas, como dizem por aí, gosto não se discute.

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh