web analytics

Trump dá um passo em direção ao desacobertamento do Programa Espacial Secreto dos EUA

O Dr. Michael Salla acaba de publicar um artigo um tanto interessante, se é que as informações são mesmo reais. 

Embora não há como comprovar a veracidade dessas informações, a missão do OH é a de publicar aquilo que está sendo comentado na Internet a respeito desse tipo de assunto. Assim, aqui está para sua avaliação.

Veja:

desacobertamento do Programa Espacial Secreto

Em 13 de março, o presidente Donald Trump fez um discurso onde disse que a criação de uma força espacial dos EUA era uma boa ideia. Isso deu nova vida a um projeto de lei recém-derrotado no Congresso para criar uma força espacial originária da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), apesar da forte oposição do Pentágono. Por que o Pentágono e a USAF se opuseram tão firmemente à criação de uma força espacial separada?

A explicação convencional é que ela acrescentaria uma camada desnecessária e dispendiosa de burocracia, num momento em que os orçamentos do Pentágono e da USAF estão esticados para atender às necessidades militares globais. A verdadeira razão, no entanto, é aquela que nos leva um grande passo mais perto da divulgação de um programa espacial secreto executado pela USAF.

Aqui está o que Trump teve a dizer sobre a criação de uma força espacial em um discurso na Estação Aérea Miramar, do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, em San Diego:

No espaço, os Estados Unidos serão motivo de orgulhoso para o coronel [John] Glenn [o ex-astronauta]. Finalmente vamos liderar novamente… Muito em breve vamos para Marte… Minha nova estratégia nacional para o espaço reconhece que o espaço é um domínio de guerra, como a terra, o ar e o mar. Podemos até ter uma força espacial. Temos a Força Aérea. Teremos a força espacial. Temos o Exército, a Marinha.

Trump não pareceu ciente de uma tentativa de um subcomité do Comitê de Serviços Armados da Casa em criar tal força sob a Lei de Autorização de Defesa Nacional de 2018. A proposta foi aprovada na Câmara dos Deputados em 14 de julho de 2017, mas não obteve os votos necessários no Senado, devido à feroz oposição da Força Aérea e do Pentágono. Mesmo a Casa Branca se opôs,dizendo:”a criação de um Corpo Espacial separado, no entanto, é prematura neste momento”.

De acordo com os membros da Câmara que propõem a criação da força espacial, a USAF tem sido negligente em suas responsabilidades para com “programas espaciais em pequena escala”.

O que os membros da Câmara não perceberam foi que a USAF já estabeleceu uma força espacial altamente capaz que tem operado secretamente durante pelo menos duas décadas.

Pode-se supor que essa força espacial seria localizada dentro do Comando Espacial da Força Aérea, que está entre os dez principais comandos da USAF. O Comando Espacial da USAF tem como missão principal o “desenvolvimento e operação do espaço militar e tecnologias do ciberespaço”.

No entanto, embora o Comando Espacial forneça as tecnologias avançadas para operações espaciais, é a partir de outros dos principais comandos da Força Aérea que o pessoal de uma força espacial secreta é treinado e implantado.

De acordo com depoimentos de testemunhas oculares, é o Comando de Operações Especiais da Força Aérea (sigla em inglês, AFSOC) que fornece pessoal para um programa espacial secreto executado pela USAF. Antes de examinar esses depoimentos, vale ressaltar que o AFSOC atua desde 22 de maio de 1990.

O Comando é dirigido por um general de três estrelas da USAF (atualmente tenente general Marshall B. Webb) e sua sede é em Hurlburt Field, Flórida. Atualmente, quase 16,000 aviadores são implantados com o AFSOC, seu apelido é ‘Air Commandos‘ e seu lema é ” A qualquer momento…Em qualquer lugar”.

Em suma, as Operações Especiais da Força Aérea fornecem pessoal de combate treinado para operações especiais que utilizam tecnologias e infraestruturas aeroespaciais avançadas desenvolvidas pela USAF em geral, e pelo Comando Espacial em particular. Isso é análogo a como a Marinha dos EUA fornece os navios e as tecnologias, que implementam os fuzileiros navais como uma força de combate especializada em qualquer lugar do mundo.

A missão principal do Comando de Operações Especiais da Força Aérea é fornecer unidades da Força Aérea para o Comando de Operações Especiais dos EUA (sigla em inglês, USSOCOM), que é um dos nove comandos combatentes unificados do Pentágono. Esses comandos combatentes estão organizados em seis regiões abrangendo todo o planeta e três áreas de responsabilidade funcionais, como operações especiais e armas nucleares estratégicas.

O USSOCOM é liderado por um General de quatro estrelas ou Almirante, e integra forças de operações especiais dos quatro serviços militares dos EUA: Exército, Marinha, Fuzileiros Navais e Aeronáutica.

Ele é o único dos comandos combatentes unificado do Pentágono que foi legislado para existir, pelo Congresso dos EUA. A Lei de Autorização de Defesa Nacional de 1987 levou o Pentágono a estabelecer o USSOCOM em 16 de abril de 1987.

O que tudo isso significa é que, enquanto o Comando Espacial da USAF fornece a tecnologia e informações aeroespaciais necessárias para o pessoal das Operações Especiais da Força Aérea pilotar caças espaciais, outros serviços militares fornecem suas próprias forças especiais de operações que aumentam e servem ao lado dos comandos espaciais da Força Aérea.

A base da Força Aérea MacDill, em Tampa, Flórida, é a sede do Comando de Operações Especiais dos EUA, e onde o pessoal das Operações Especiais da FA tem uma base básica de operações para programas conjuntos. Isso me leva ao testemunho de pessoas de que as Operações Especiais da Força Aérea lançam um ou mais de seus esquadrões espaciais secretos da base da Força Aérea de MacDill.

Nos meses de setembro e outubro de 2017, um denunciante anônimo que conheço desde 2008, tirou fotos de naves antigravitacionais no formato de triangulo e retângulo, voando nas proximidades da base da Força Aérea MacDill. JP diz que, em várias ocasiões, foi solicitado por pessoal secreto a olhar para o céu para tirar as fotos, mas que advertiram contra fazer vídeos das naves que ele testemunhou.

Mais importante, JP diz que foi levado fisicamente a bordo tanto do triângulo, quanto de uma nave em forma de retângulo, que ele mais tarde fotografou. Foi na nave em forma de retângulo que ele testemunhou pessoal usando um distintivo militar que ele não reconheceu inicialmente.

Mais tarde, ele conseguiu confirmar que o distintivo pertencia ao Comando de Operações Especiais da Força Aérea. Em uma comunicação via Skype em 14 de março, ele disse que o distintivo estava localizado em um lugar semelhante ao do aviador nesta foto.

Corey Goode, que diz ter servido durante 20 anos em um programa espacial secreto chamado Solar Warden, também afirma que foi abduzido por aviadores pertencentes a um programa espacial secreto executado pela USAF. Ele diz que, no início de 2016, foi levado a bordo de uma aeronave antigravidade de formato triangular por dois aviadores, onde eles e seus superiores interrogaram Goode sobre o conhecimento de seu programa altamente classificado.

Goode forneceu esboços artísticos da espaçonave em forma de triângulo que foi usada para sequestrá-lo em várias ocasiões. Em 14 de março, em resposta a uma pergunta pelo Skype, ele diz que testemunhou uma variação do distintivo do Comando de Operações Especiais durante suas interações com o pessoal da FA no espaço.

Com base nos testemunhos e fotos fornecidos por JP e testemunho de Goode e representações artísticas, pode-se concluir que a USAF opera um programa espacial secreto e usa pessoal do Comando de Operações Especiais da Força Aérea para operar naves espaciais desenvolvidas, fornecidas e monitoradas pelo Comando Espacial da Força Aérea.

Tudo isso nos leva de volta ao discurso de Trump, de que a criação de uma força espacial é uma boa ideia. Existem três explicações possíveis que precisam ser consideradas do porquê dele ter feito isso.

Primeiro, Trump foi informado oficialmente de que tal força já existe, e sua proposta faz parte de um processo de divulgação oficial para revelar a existência do programa espacial secreto executado pela USAF. Uma motivação poderosa para fazê-lo, pode ser obter apoio público e financiamento adicional para o programa.

Segundo, a Trump não foi informado oficialmente sobre a existência de uma força espacial, mas ele adquiriu conhecimento através de canais não oficiais. Goode afirma que ele foi informado por suas próprias fontes de que Trump realmente foi informado sobre vários programas espaciais secretos.

O discurso do Trump foi, portanto, destinado a pressionar os oficiais da Força Aérea a informá-lo oficialmente sobre a existência de sua força espacial, a fim de evitar a criação de um programa espacial duplicado, autorizado pelo Congresso, o que levaria financiamento para os programas existentes da USAF. Esta explicação estabelece as bases para o programa espacial secreto da Força Aérea sendo revelado publicamente através de Trump, depois dele ter sido informado oficialmente sobre sua existência.

Terceiro, Trump não tem conhecimento oficial ou não oficial de uma força espacial secreta e simplesmente acredita que a criação de tal força é uma boa idéia que vale a pena perseguir. Esta explicação parece menos provável das três, considerando o que ele disse em seu discurso inaugural em 20 de janeiro de 2017, que indicou que ele já havia recebido alguma informação sobre programas espaciais secretos:

Estamos à frente do nascimento de um novo milênio, prontos para desbloquear os mistérios do espaço, libertar a Terra das misérias da doença e aproveitar as energias, indústrias e tecnologias do futuro.

Por conseguinte, há motivos para otimismo de que o discurso do presidente Trump resultará nele finalmente divulgando a existência de uma força espacial da Força Aérea, a fim de obter apoio público para sua expansão e financiamento adicional.

(Fonte)


Reiterando o que mencionei no início do artigo, é difícil dizer se as presunções do Dr. Salla são verdadeiras, ou se as pessoas que o informam realmente possuem informações fidedignas.

Contudo, uma das coisas mais intrigantes que pode dar apoio à ideia de que há e tem havido por décadas um programa espacial secreto nos Estados Unidos, é o desaparecimentos de trilhões de dólares do orçamento do Pentágono, sem contar também que a parada abrupta das missões Apolo até a Lua, um local muito estratégico e importante para a economia mundial, pode significar que eles ainda estejam indo até lá, e até mesmo já estejam colonizando nosso “satélite natural”, sem que a população em geral tenha a mínima ideia disso.  

Enquanto isso, os eventos esportivos em nosso planeta, as fofocas sobre artistas e os programas de TV estilo BBB distraem as cabeças das massas, sem que estas sequer consigam vislumbrar que possa existir uma realidade totalmente diferente logo acima de suas cabeças.

E assim caminha a humanidade. A escravidão só mudou seu estilo

Trilhões podem ter ido para o Programa Espacial Secreto. O dinheiro simplesmente não foi contabilizado pelos militares dos EUA

A Lua tem mais de 250 milhões de cidadãos, diz ex-piloto da CIA

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh