web analytics

A Disney estava preparando a humanidade quanto aos extraterrestres?

Este artigo é uma republicação de agosto de 2017, pois suas informações são de muito interesse quanto ao documentário sobre alienígenas que a Disney levou a ar por um breve período. Mesmo se você já o leu, vale muito a pena relembrar:

—–

O documentário sobre OVNIs da Disney – que pode ser visto ao final deste artigo (página 2) – intriga até hoje os estudiosos do fenômeno dos OVNIs. Estaria a Disney tentando nos dizer a verdade sobre a realidade extraterrestre? E você sabia que na mesma época que lançou o documentário, a Disney promoveu uma conferência sobre OVNIs em seu balneário, a qual reuniu os maiores nomes da ovnilogia dos EUA na época, mas ela não divulgou o evento para o público?

O artigo abaixo, escrito por Robbie Graham, relata tudo que aconteceu por detrás dos bastidores na produção desse intrigante documentário que tratou o fenômeno dos OVNIs como sendo real, a conferência com importantes pesquisadores do fenômeno dos OVNIs em Orlando, na Flórida, e o estreito relacionamento da Disney com os militares estadunidenses.

No início desse longo artigo, parece que tudo vai dar em nada, mas acredite, o texto fica cada vez mais interessante, fornecendo informações surpreendentes, as quais acredito poderem ser a primeira vez que estão sendo publicadas na língua portuguesa, pois se trata de um trabalho de pesquisa recente de Robbie Graham. Veja:

Disney estava preparando a humanidade quanto aos extraterrestres

Em 1995, um documentário intrigante foi transmitido em estações de TV nos Estados Unidos. Ele foi intitulado Alien Encounters (Encontros Alienígenas) e supostamente produzido com o único propósito de promover a então nova atração da DisneyworldExtraTERRORestrial Alien Encounter” em Orlando, na Flórida.

Ao longo do tempo de execução do documentário de quarenta minutos, o apresentador / narrador, Robert Urich, faz numerosas declarações reveladoras no sentido de que os OVNIs são cem por cento reais e extraterrestres de origem. Tais declarações incluem: “Por quase cinquenta anos, as autoridades documentam encontros extraterrestres de rotina aqui na Terra”, “Mais de uma nave alienígena caiu e foi recuperada para pesquisas secretas dos EUA” e “Líderes militares e científicos em breve libertarão quase um meio século de documentação oficial de encontros alienígena que ocorreram na Terra “.

A maior parte do documentário está focada em OVNIs e extraterrestres como uma realidade fatual. O brinquedo “ExtraTERRORestrial” em si recebe muito pouco tempo de tela, e parece uma reflexão tardia. O documentário foi exibido em apenas um punhado de cidades dos EUA, em momentos aparentemente aleatórios, em datas selecionadas, em fevereiro e março de 1995, sem aviso prévio – uma estratégia de marketing incrivelmente estranha, considerando que seu propósito era o de promover uma atração principal do parque temático para famílias.

A verdade sobre o documentário sobre OVNIs da Disney

Atração da Disney ‘ExtraTERRORESTRIAL Alien Encounter’.

Desde a sua transmissão original limitada em 1995, o documentário da Disney tornou-se enraizado na coletânea da conspiração ou, talvez de forma mais útil, poderíamos dizer que tornou-se entrincheirado naquilo que Lorin Cutts denomina A Zona Mitológica OVNI, que ele descreve como “o fosso entre fato e crença, o que vemos e o que queremos ver, o que experimentamos e a forma como o interpretamos”. Cutts observa que “as pessoas estão formando variações altamente personalizadas de uma crença básica – a crença em uma realidade OVNI. Todo o resto é para interpretação individual através da zona mitológica OVNI”.

A teoria de Cutts certamente se aplica ao documentário agora legendário de OVNI da Disney. Logo após a transmissão original, muitos na comunidade de OVNI rapidamente começaram a especular que era uma forma de “desacobertamento suave”, um teste de reação pública a um possível anúncio futuro de contato extraterrestre. Nos últimos anos, rumores rodaram on-line de que o documentário estava “perdido”, ou mesmo “proibido” por forças sombrias. Este não é o caso. Nunca foi perdido. Nunca foi banido. Simplesmente nunca foi transferido para vídeo ou DVD, e permaneceu em um estado de limbo até alguns anos atrás, quando alguém inevitavelmente decidiu fazer o upload de uma gravação de TV original do documentário para o YouTube. Desde então, recebeu mais de um milhão de visualizações online.

Apesar de não haver verdade nos rumores de sua supressão, o documentário continua sendo algo estranho, e a justificativa para sua produção permanece confusa até hoje, especialmente no contexto de um projeto relacionado que foi produzido no mesmo ano que o documentário, também supostamente destinado como uma ferramenta de marketing para o brinquedo “ExtraTERRORestrial Alien Encounter” da Disney. Este projeto de associado foi uma importante conferência sobre OVNIs realizada na Disneyworld em janeiro de 1995, alguns meses antes da transmissão do documentário. Intitulada “UFOs: The Reality of the Phenomenon” (OVNIs: a realidade do fenômeno), esta conferência da Disney desde então também passou para a Zona Mitológica OVNI.

Ao pesquisar meu livro, Silver Screen Saucers, decidi rastrear o escritor / diretor do documentário sobre OVNIs da Disney, Andrew Thomas. Ele me disse que eu era a única pessoa a ter contatado ele sobre essa pequena produção curiosa, e ele estava muito feliz em falar sobre isso. Eu também queria a história interna da conferência OVNI da Disney, e como ela se relacionava com o brinquedo do parque temático. Para esse fim, entrevistei Don Ecker, o responsável pela organização da conferência para a Disney. Como Thomas, Ecker me disse que, pelo que podia lembrar, eu era a única pessoa a ter solicitado uma entrevista com ele sobre esse assunto.

Este artigo em duas partes apresenta a história interna do documentário e da conferência sobre OVNIs de 1995 da Disney, conforme relatado pelos dois homens mais diretamente responsáveis ​​por eles, que são respectivamente: Andrew Thomas e Don Ecker. Também fornece algumas especulações limitadas quanto ao possível objetivo desses dois projetos relacionados. Porém, fique ciente: ao fazê-lo, beiramos as bordas da Zona Mitológica, embora com esperança, sem perder o equilíbrio e escorregar para o lodo.

Antes de irmos mais longe, nos novos interesses de manter o equilíbrio, gostaria de chamar a atenção dos leitores para outro artigo de David Halperin, que também explora a história e o propósito assumido destes mesmos projetos da Disney. Ao ler o meu artigo e o de Halperin, espero que você obtenha uma história completa e estável desse curioso capítulo na casuística dos OVNIs, embora você ainda possa ser deixado coçando sua cabeça quanto ao porquê desses projetos curiosos terem sido financiados em primeiro lugar.

Eu entrevistei o escritor / diretor do documentário, Andrew Thomas, em 2011. Thomas me contou como ele havia sido selecionado pela Disney para esse projeto com base em sua experiência em TV realidade, tendo sido o produtor original do programa de TV, Cops (Policiais, em tradução livre). “Fazer as coisas excepcionalmente reais era a linha de trabalho em que eu estava na época”, disse ele. Thomas também trabalhou para a Columbia Pictures como diretor de marketing especial em Contatos Imediatos do Terceiro Grau de Spielberg.

Thomas me contou que a Disney havia solicitado um documentário “sobre a história da humanidade e e alienígenas. Não uma história para o cinema, mas uma abordagem mais realista … um especial sobre a história dos avistamentos de OVNIs.” A única estipulação da Disney foi que “os últimos cinco minutos teriam que se concentrar no brinquedo”. Thomas me confirmou que, em vez de ser exibido nas redes nacionais, o plano da Disney desde o início era o de “semear isso em estações de televisão independentes em todo o país”.

Mas por que o documentário de Thomas tomou uma posição tão forte em favor da realidade OVNI / ET? Ele resumiu sua abordagem da seguinte maneira:

Achei, ao invés de pedir às pessoas que questionassem “poderia isto ser possível?”, apenas adotei o ponto de vista de que a visita alienígena tem acontecido há 50 anos e todos sabem disso. Pensei que se encaixava co a natureza ultra-realista do brinquedo que acabávamos de tentar promover. Fiz isso de forma ingênua. Disse para mim mesmo, eu vou acreditar em tudo e vou coletar todas essas coisas e construir o que seria um documentário se todos tivéssemos um consenso de que o fenômeno OVNI era real … Não inventamos qualquer coisa, mas isto certamente surpreendeu as pessoas da Disney.

Thomas me disse que ele escreveu o roteiro em poucas horas enquanto voltava da Flórida para sua casa em Los Angeles. “Não havia nada para isso”, disse ele, “isto meio que apareceu, foi fácil”. Além disso, Thomas me contou que conduziu grande parte de sua pesquisa no Arquivo Nacional e enfatizou que, além dessas visitas ao arquivo, “não houve contato direto com o governo” na produção. “Não obtive acesso especial de ninguém”, disse ele.

Ex-CEO da Disney, Michael Eisner.

Essas declarações de Thomas quase desarmam completamente a ideia de que o documentário da Disney era algo além de uma promoção para um brinquedo de parque de diversões. No entanto, havia aspectos do projeto Alien Encounters que até Thomas considerava estranho. O CEO da Disney, Michael Eisner, se interessou diretamente pelo documentário, examinando pessoalmente seu conteúdo e filmando sua própria introdução para a peça. Thomas imaginou:

Pensei que isto era realmente estranho, porque este era um tipo de pequeno projeto de marketing, mas a Disney colocava muito peso nisso. Quero dizer, Eisner não precisa parar de caminhar pela rua para pegar uma nota de vinte dólares – não vale o tempo dele. Mas eles o fizeram olhar através disso. E ele filmou esta introdução ao show. Ele fez com que sua própria equipe de filmagem o levasse para um palco de som e filmasse sua própria introdução, o que eu achava que era realmente surpreendente.

Também surpreendente para Thomas foi a inexplicável programação da Disney para o documentário, que ele descreveu como “completamente contra-intuitivo” porque “ela iria passar em estações independentes à tarde, como às 14hoo ou 15hoo, ou algum horário horrível quando ninguém estaria assistindo isso.”

Por que Michael Eisner investiu tanto pessoalmente no que, pelo menos na superfície, era um projeto de marketing de TV pequeno? E por que a programação de TV estranha e “totalmente contra-intuitiva” para o documentário?

Deixe-nos por um momento satisfazer a interpretação conspiratória popular dos eventos. Se os poderosos interesses relacionados aos OVNIs estivessem envolvidos no documentário – talvez tivessem recomendado a Thomas para a Disney, sabendo o que ele produziria com base em seu sofisticado trabalho viral nos Encontros Imediatos de Spielberg – então o próprio Tomás pode não ter tido consciência sobre esse fato. Ele teria sido um peão em um jogo muito maior. Mas esta interpretação parece incrivelmente forçada, e eu não coloquei nenhuma fé na teoria da “aclimatação”. Simplesmente não há evidências para apoiá-la.

No entanto, há evidências circunstanciais convincentes para a teoria de que Hollywood historicamente foi explorada como uma ferramenta para o “gerenciamento de percepção” dos OVNIs – uma agenda mais sutil e complexa do que uma simples aclimatação; uma agenda relacionada à guerra psicológica, em que subculturas controláveis ​​e baseadas na fé são exploradas, cultivadas e orientadas para vários fins de inteligência, tanto estrangeiros como domésticos, e não necessariamente relacionados aos OVNIs. Qualquer pessoa que duvide que as crenças populares dos OVNIs tenham sido dirigidas e formadas significativamente por agentes de inteligência para seus próprios interesses, devem gastar um pouco de tempo para se provarem errados ao lerem Project Beta de Greg Bishop e Mirage Men de Mark Pilkington.

Certamente, pode-se dizer que o conteúdo do documentário da Disney serviu para reforçar de forma incisiva as ideias que até agora foram semeadas na comunidade OVNI por agentes da desinformação, que remontam pelo menos até o início dos anos 80. O documentário foi destinado a promover esses esforços encobertos, para encorajar certas crenças equivocadas e exploráveis ​​dentro da subcultura do OVNI?

A conexão Disney / OVNI pode ser rastreada até 1953, quando o painel Robertson, patrocinado pela CIA, recomendou que o governo dos Estados Unidos fizesse esforços para tirar os OVNIs de sua “aura de mistério”, através da exploração dos meios de comunicação em massa, inclusive televisão e filmes. Neste contexto, o painel destacou a Walt Disney Productions como um potencial canal para sua propaganda. A atração do painel para a Disney fazia sentido, dado o relacionamento de trabalho do gigante da animação então firmemente estabelecido com o governo dos EUA: não só o tio Walt era um amigo confiável do principal propagandista do presidente Eisenhower, C.D. Jackson, no início da metade dos anos 50, ele também criou inúmeros curta metragens de propaganda para os militares dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial, e depois ajudou a produzir filmes promovendo a política “Átomos para Paz” de Eisenhower, bem como o documentário retrospectivamente hilário “Agache e se Proteja”, que retratava alunos sobrevivendo a um ataque atômico, protegendo-se sob suas carteiras.

O fato do Painel Robertson ter destacado a Disney também é significativo, porque a recomendação do Painel para ‘desbancar’ os OVNIs através de canais de mídia é conhecida por ter sido agendada em pelo menos uma instância: a transmissão de TV pela CBS de UFOs: Friend, Foe ou Fantasy? (OVNIs: Amigo, Inimigo ou Fantasia?). Um documentário anti-OVNI de 1966 narrado por Walter Cronkite. Em uma carta dirigida ao ex-secretário do painel Robertson, Frederick C. Durant, o Dr. Thornton Page confessou que “ajudou a organizar o programa de TV da CBS em torno das conclusões do Painel Robertson”, mesmo que este tenha sido treze anos após o primeiro painel ter sido convocado. À luz deste caso, não parece razoável especular que o governo pode pelo menos ter tentado seguir a recomendação Disney do Painel Robertson.

Parece haver uma conexão direta entre a Disney, os OVNIs e os militares em um caso envolvendo o famoso animador da Disney, Ward Kimball. Enquanto falava em uma conferência para a Mutual UFO Network (MUFON) em 1979, Kimball afirmou que a Força Aérea dos EUA se aproximou do próprio Walt Disney em meados da década de 1950, solicitando sua cooperação em um documentário que ajudaria a aclimatar o público à realidade extraterrestre. Kimball sabia disso porque, como um dos animadores mais confiáveis ​​da Disney, ele estava diretamente envolvido no projeto. Em troca da cooperação da Disney, disse Kimball, a Força Aérea forneceria ao gigante da animação imagens reais de OVNIs para uso exclusivo em seu documentário. De acordo com Kimball, a Disney aceitou o acordo e começou a trabalhar imediatamente no projeto da Força Aérea.

Famoso Animador da Disney, Ward Kimball.

Enquanto a Disney esperava pacientemente que a Força Aérea fornecesse a filmagem do UFO, seus animadores (Kimball entre eles) produziram projetos conceituais sobre o que um alienígena poderia parecer. No entanto, a oferta da filmagem do OVNI foi finalmente retirada, provocando o próprio Kimball a desafiar o contato militar oficial para o projeto – um coronel da Força Aérea que lhe disse que “havia muitas imagens de OVNIs, mas que nem [Kimball] nem qualquer um de outra forma, teria acesso a ele”. O projeto foi abandonado e esquecido por todos, exceto os poucos que trabalharam nisso.

A Disney manteve os seus laços históricos com o oficialismo ao longo das décadas. Em 1994, um ano antes do documentário Encontros Alienígenas, a Disney trabalhou em estreita colaboração com o Pentágono durante a produção de In the Army Now (“No Exército Agora” – 1994). O Pentágono deu sua completa cooperação para esta propaganda de longa duração sobre recrutamento do Exército, proporcionando à Disney equipamento militar caro e conselhos de pessoal do Departamento de Defesa. A Disney também tem sido historicamente ligada à indústria de armas dos EUA. Entre os anos 2000 e 2011, o membro da diretoria da Disney, John Bryson, atuou simultaneamente como diretor da Boeing Company, uma das maiores empreiteiras aeroespaciais e de defesa do mundo (vendendo sonhos com uma mão e mísseis com a outra).

Andy Fickman, diretor do filme OVNI da Disney de 2009, ‘Race to Witch Mountain‘ (no Brasil: A Montanha Enfeitiçada; em Portugal: Corrida para a Montanha Mágica).

De forma mais estranha, o filme ‘Race to Witch Mountain‘ (no Brasil: A Montanha Enfeitiçada; em Portugal: Corrida para a Montanha Mágica) parece ter recebido assistência secreta da CIA. Em um arranjo de produção altamente incomum, Andy Fickman afirma que ele e sua equipe tiveram a assistência de um funcionário ativo da Agência, cujo conselho se estendeu mesmo para projetar a linguagem alienígena no filme. O conselheiro de Fickman também recomendou que algum conteúdo temático de OVNI fosse removido do roteiro, e até acompanhou Fickman em uma turnê privada das instalações da NORAD Cheyenne Mountain, onde eles conversaram com o alto-escalão militar.

“Eu não acho que houve nada de anormal com o que eles estavam fazendo”, Fickman me disse em 2010, “Eu só acho que os telefonemas estavam sendo feitos e as portas estavam tipo que se abrindo”.

Tudo isso é muito intrigante, sem dúvida. Mas, vamos falar, os exemplos de cooperação entre a Disney e o governo acima não provam nada no que diz respeito ao documentário OVNI de 1995 da Disney. Francamente, eu ficaria inclinado a desconsiderar o documentário da Disney inteiramente como qualquer tipo de projeto relacionado à inteligência, não fora o fato dele estar atado intimamente a outro, um projeto OVNI mais desconcertante da Disney …

Na segunda parte, vou apresentar o Dentro da história da já agora mítica conferência UFO.

-Robbie Graham

(Fonte)

Mas a história fica ainda mais estranha e interessante na segunda parte. Clique no número 2 abaixo para acessar a continuação deste envolvente artigo…

Termos recém pesquisados por leitores:

"

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh