web analytics

O programa espacial nazista da Antártica irá se revelar e liberar tecnologias avançadas?

Já comentamos várias vezes aqui no OH sobre a possibilidade de que nazistas fugitivos da Segunda Guerra Mundial poderiam ter se instalado na Antártica e desenvolvido tecnologias avançadas, inclusive relacionadas aos discos voadores.

Embora esta seja uma possibilidade remota, muitos acreditam que isso seja verdade e o artigo abaixo trata da mais recente notícia relacionada a este tema, que é, no mínimo, muito intrigante.

Veja:

programa espacial nazista da Antártica

Houve muita controvérsia sobre uma publicação de um blog em 5 de fevereiro pelo ex editor da revista Forbes, Benjamin Fulford, de que um programa espacial alemão com base na Antártida conseguiu secretamente um acordo com autoridades americanas e globais e está pronto para se revelar. Tal divulgação levará à [tecnologia] antigravidade que mudará nossas vidas, e outras tecnologias suprimidas sendo liberadas, de acordo com Fulford.

Fulford não menciona suas fontes nem oferece evidências diretas que apoiem ​​sua reivindicação controversa, mas visitas recentes ao sul da Argentina pelo secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson e fundador da Amazon, Jeff Bezos, oferecem um importante apoio circunstancial a essas alegações. A afirmação de Fulford, portanto, merece um exame aprofundado à luz do que Tillerson e Bezos estavam realmente fazendo na Argentina.

Fulford cita fontes não identificadas do Pentágono. Na segunda-feira, 5 de fevereiro, ele escreveu:

Um grande acordo de paz foi alcançado na semana passada em negociações que ocorreram literalmente sob a luz da super Lua de sangue azul em um determinado país asiático na semana passada, de acordo com fontes que estavam presentes. Como resultado disso, a facção nazista do complexo militar e industrial mundial concordou em alinhar-se com o lado leve da força. Assim, no futuro próximo, a tecnologia nazista, notadamente anti-gravidade e hipersônico (Mach 20+), será disponibilizada para a ‘população da superfície’ do planeta, dizem as fontes … Teremos mais detalhes no final deste relatório.

No final de sua postagem no blog, Fulford dá os detalhes adicionais prometidos:

De qualquer forma, agora que os nazistas concordaram em sair de seus esconderijos e se juntarem à família humana, simplesmente não há nenhum poder militar que apoie mais projetos genocidas. Os nazistas são agora administrados por uma geração que está em seus 30 anos de idade e que não tem experiência ou envolvimento nos horrores da Segunda Guerra Mundial. Por essa razão, eles não têm motivos para se esconder.

De qualquer forma, de acordo com a fonte mencionada acima, os nazistas realmente não se esconderam. No mundo real, a maioria dos líderes nazistas que não foram presos no final da Segunda Guerra Mundial não foram para a Antártica ou mesmo a América do Sul. Em vez disso, eles foram para a Espanha, que ainda era administrada por um governo fascista após a guerra ter terminado. Muitos permaneceram na Espanha, mas outros se mudaram para Cuba e Nevada (estado dos EUA), entre outros lugares. A infame Área 51 e outras bases em Nevada são principalmente bases para testar a tecnologia aeroespacial nazista avançada, de acordo com essa fonte. Esta tecnologia será agora compartilhada com a população em geral, diz a fonte.

As bases nazistas na Antártica, diz essa fonte, são muito menores e menos significativas do que muitos acreditam. Ele diz que a desinformação sobre as bases nazistas gigantes na Antártida foi deliberadamente espalhada pelos nazistas, para manter os caçadores nazistas fora de sua trilha. A realidade é que eles encontraram áreas ocas quentes sob o gelo criadas por fontes termais vulcânicas, mas que a água não era potável.

Em resposta à pergunta de um leitor sobre as intenções da atual liderança alemã na Antártida, Fulford acrescentou:

A nova geração de líderes nazistas renuncia aos planos genocidas de seus pais e avós e deseja compartilhar sua maravilhosa tecnologia com a humanidade. Como tal, devemos acolhê-los, e espero que seu programa espacial secreto não precise mais ser secreto.

Houve um extenso testemunho de pessoas dado por informantes como William Tompkins (um antigo engenheiro operacional e aeroespacial da Marinha dos EUA), Clark McClelland (um ex-funcionário da NASA) e Corey Goode (ex-participante do programa espacial secreto) sobre um programa espacial alemão secreto totalmente funcional  na Antártida que estabeleceu acordos secretamente com o complexo industrial militar dos EUA na década de 1950…

…Em poucas palavras, há muitas evidências de que um programa espacial alemão foi criado secretamente na Antártida e que os acordos alcançados com o Complexo Industrial Militar dos EUA levaram à sua expansão e ao estabelecimento do que Jim Marrs e outros se referem como o Quarto Reich.

Aqui é onde a cidade argentina de San Carlos de Bariloche, (também conhecida como Bariloche) torna-se importante. De acordo com fontes credíveis, Adolf Hitler escapou da guerra para estabelecer sua residência principal em Bariloche, que está localizada na Patagônia, a região mais ao sul da Argentina. Os historiadores da Segunda Guerra Mundial, como Harry Cooper e o Dr. Jerome Corsi, citaram documentos extensivos e testemunhos de pessoas que apoiam tais rumores.

Além disso, Martin Bormann escapou para a Argentina e tornou aquele país num centro para um programa de voo nazista do pós-guerra chamado Operation Eagle Flight (Operação Voo de Águia). O programa de voo de Bormann não só financiou uma tentativa global de estabelecer um quarto Reich, mas também financiou um programa espacial secreto alemão na Antártica.

Com a confluência das finanças internacionais e dos líderes nazistas exilados, Bariloche tornou-se a capital de fato do Quarto Reich, e o lugar que os líderes dos EUA visitariam regularmente para chegar a acordos com o programa espacial alemão com base na Antártica.

Isto é evidenciado por visitas a Bariloche por presidentes dos EUA, como Dwight D. Eisenhower (28 de fevereiro de 1960), Bill Clinton (18 de outubro de 1997) e Barack Obama (24 de março de 2016), visitando Bariloche ostensivamente para desenvolvimento econômico e / ou proteção ambiental. A verdadeira razão pode ter envolvido negociações secretas com os líderes alemães da Antártida.

O presidente Dwight Eisenhower chega em Bariloche, na Argentina, onde assinou uma Declaração Conjunta para desenvolvimento econômico e proteção ambiental.

É por isso que a viagem de Bariloche, de 3 de fevereiro, pelo secretário Rex Tillerson torna-se importante. Ele estava lá simplesmente para discutir ‘trocas ecológicas’, como o subsecretário do Departamento de Estado Steve Goldstein declarou à imprensa? Ou Tillerson estava lá para realizar negociações secretas com uma nova geração de líderes do Programa Espacial Antártico Alemão, como fontes do Pentágono alegadamente disseram a Fulford?

O que dá mais plausibilidade à reivindicação de negociações secretas de Fulford é a visita simultânea à Argentina do fundador da Amazon e o homem mais rico do mundo (oficialmente, é claro), Jeff Bezos. No dia 3 de fevereiro, um jornal argentino publicou um artigo sobre a visita inesperada de Bezos à geleira Perito Moreno na Patagônia para “salvar a Terra”:

O empresário norte-americano Jeff Bezos, fundador e diretor da Amazon, dono do lendário jornal The Washington Post e fundador da Blue Origin, empresa que pretende fazer viagens comerciais orbitais e suborbitais, está na Patagônia argentina.

O bilionário hoje enviou uma foto no Twitter, na frente da geleira Perito Moreno. “Esta é a impressionante geleira Perito Moreno na Patagônia, enviamos sondas robóticas para todos os planetas do sistema solar, e a Terra é de longe melhor, vamos ao espaço, mas para salvar a Terra”, disse Bezos. [Tradução do Google]

Vale ressaltar que Bariloche é a quarta maior cidade da região da Patagônia, com um aeroporto suficientemente grande para acomodar suas aeronaves. Tillerson e Bezos poderiam facilmente ter participado de muitas negociações secretas, representando respectivamente os mais altos níveis de governo e indústria dos EUA.

Na verdade, isso é o que o Dr. Joseph Farrell, que foi o primeiro a denunciar as visitas de Tillerson e Bezos, argumenta o que aconteceu:

Os comentários do Sr. Bezos parecem implicar que o propósito de sua expedição à Patagônia está relacionado aos assuntos espaciais … o que, novamente, evoca a imagem do Sr. Obama em Bariloche com pessoas da NASA acompanhando. (E não se esqueça da presença chinesa na região, novamente para fins ostensivos ‘relacionados ao espaço’). Então, sim, minha especulação de alta octanagem é que a visita do Sr. Bezos à região está relacionada ao Sr. Tillerson e que o propósito não é as geleiras nem as bolsas de estudos ou as negociações de Fullbright para preservar a natureza, embora deve-se notar que o ângulo da ‘natureza’ figura como uma história de cobertura tanto para o Sr. Tillerson quanto para o Sr. Bezos! Isso só me sugere coordenação, e que as viagens estão, de fato, relacionadas de alguma forma. E aquela outra influência na região que levanta as questões: nazistas. Bariloche era, afinal, casa e sede, mais ou menos, para experiências de plasma pós-guerra muito estranhas do Dr. Ronald Richter para Juan Peron. A chamada Estância Nazi, o ‘Rancho’, uma vasta área de cerca de 26 mil quilômetros quadrados, se encontra na região.

O ponto importante aqui é que o Sr. Bezos pode ter dado uma pista sobre a natureza real do interesse contínuo de ‘grandes nomes’ e ‘grandes fortunas’ na região: o espaço e tecnologias avançadas, e que o propósito real dessas estranhas visitas está diretamente relacionado a estes.

As observações de Farrell aqui são muito perspicazes. As visitas de Tillerson e Bezos provavelmente estavam ligadas às negociações secretas com uma nova geração de líderes nazistas, dispostos a divulgar publicamente tecnologias espaciais avançadas.

Dando mais credibilidade ainda a essa observação é o papel dos militares chineses em administrar instalações conjuntas do programa espacial com o governo argentino, que entrou em operação em 2016 na região da Patagônia, em torno da época da visita a Bariloche pelo presidente Obama.

Isso nos leva de volta às fontes sem nome de Fulford do Pentágono que lhe falaram sobre as negociações que foram realizadas em um país asiático em torno da época da super Lua de sangue azul de 31 de janeiro. Essas negociações envolvendo elites globais (também conhecidos como Deep State / Cabal / Illuminati, etc.) aparentemente abriram o caminho para que o programa espacial alemão fosse revelado.

Quatro dias depois, Tillerson e Bezos aparecem em Bariloche, sem dúvida, com representantes do programa espacial chinês que já operam na área da Patagônia, para chegarem a um acordo com a nova geração de líderes da Antártida Alemã.

Embora muitas das reivindicações de Fulford permaneçam controversas e infundadas, sua reivindicação mais recente de um acordo secreto alcançado com uma nova geração de líderes do Quarto Reich dispostos a revelar-se publicamente e a liberar tecnologias espaciais fantásticas que podem mudar a nossa vida, é apoiado por evidências circunstanciais significativas, e merece investigação séria.

(Fonte)

A verdade muitas vezes é camuflada por fatos fantasiosos. Se as alegações acima refletem mesmo a realidade, só o tempo dirá.

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh