web analytics

Os OVNIs foram comprovados como sendo reais. E agora?

As notícias das últimas semanas relacionadas à liberação de vídeos e confirmação da existência de Objetos Voadores Não Identificados nos céus do planeta deixaram muitas pessoas otimistas quanto as possibilidades de um desacobertamento completo do fenômeno efetuado pelo governo dos EUA.

São muitas as opiniões do que poderá acontecer daqui para frente, e abaixo está um artigo que recomendo muito, escrito por Riz Virk para o site Hackernoon, que inclusive é muito bom para o céticos entenderem o porquê de cientistas convencionais não querem sequer falar a respeito do fenômeno dos OVNIs. O artigo também faz algumas revelações extraordinárias sobre os materiais que dizem terem sido recuperados de acidentes de OVNIs:

Os OVNIs foram comprovados como sendo reais. E agora

Foto meramente ilustrativa.

Para onde vamos daqui?

…um artigo inovador no New York Times, Glowing Auras and Black Money: The Pentagon’s Mysterious UFO Program, que foi coberto pela mídia internacionalmente, foi o primeiro reconhecimento pelo Pentágono desde a década de 1960 de que eles estavam levando o fenômeno dos OVNIs a sério.

Isto está sendo saudado por muitos no mundo dos OVNIs como o início de uma divulgação a conta-gotas não só sobre a existência dos chamados projetos do governo negro para estudar avistamentos de OVNIs, mas também o que talvez possa ser uma revelação mais interessante para cientistas e engenheiros: que em no nosso espaço aéreo existe uma tecnologia que desafia nossas leis da física conhecidas, e estamos ativamente tentando reverter esta engenharia.

Até agora, se você perguntasse a um cientista sério (fui eu que coloquei as aspas – n3m3) sobre OVNIs publicamente, eles geralmente deram uma resposta CYA (que em inglês significa “Cover Your Ass“, algo como “Proteger Seu Rabo”). Isso me lembra o velho ditado no mundo dos negócios, “ninguém nunca foi demitido por concordar com a IBM”. Nenhum acadêmico ou pesquisador nunca foi demitido por dizer que “não há evidências de que existam OVNIs, portanto não devemos estudá-los “. Por outro lado, se eles dissessem que o assunto deveria ser levado a sério e dado financiamento, eles se submeteriam a todos os tipos de ridícularização e possivelmente perderiam seu emprego.

Isso traz à mente uma cena no filme Contato (baseado no livro escrito pelo respeitável astrônomo Carl Sagan), entre Ellie Arroway (interpretado por Jodie Foster) e seu mentor, o cientista muito respeitável David Drumlin (interpretado por Tom Skerritt). Ele basicamente disse a ela: “Você é uma cientista promissora. Não jogue fora sua carreira … procurando homenzinhos verdes”.

Com esta reportagem bombástica e a admissão do Departamento de Defesa – DoD que leva os OVNIs a sério, essa atitude está prestes a mudar?

 

Um pouco de história

Antes de respondermos, vejamos um pouco de história.

Há quase 50 anos, em 17 de dezembro de 1969, o Projeto Blue Book, um esforço financiado pelo governo para estudar os avistamentos de OVNI foi desligado…

A narrativa popular para o encerramento do “Projeto Blue Book” (e projetos relacionados) foi que a maioria dos OVNIs eram identificações erradas ou ocorrências naturais, e como os militares não consideravam que eles eram uma ameaça, o governo oficialmente não estava mais no negócio de estudar os OVNIs .

Houve 3 problemas com essa narrativa:

1) Uma série de avistamentos foram “inexplicados” – estes eram diferentes do número de avistamentos que estavam “incompletos” (ou seja, não havia informações suficientes para descobrir o que eram).

2) Muitos suspeitaram que o governo continuou a mostrar interesse e perseguir OVNIs em programas secretos de alto nível no Departamento de Defesa, mesmo depois de alegar que “não estavam mais interessados”. Na verdade, há muitas afirmações de que os casos mais interessantes sobre OVNIs foram investigados diretamente pelo DoD e nunca foram entregues ao Blue Book.

3) O Dr. J. Alan Hynek, que era o principal consultor científico do projeto, mais tarde se tornou um defensor da pesquisa séria de OVNIs, muitas vezes debatendo com ninguém menos que Carl Sagan, que (pelo menos publicamente) acreditava que o dinheiro deveria ser gasto em Ciência “séria” como a radioastronomia. Hynek não só inventou a terminologia “Encontros Imediatos do Terceiro Grau”, mas também teve um papel cameo no filme de 1977 de Spielberg.

 

O grande anúncio

Em 16 de dezembro de 2017, juntamente com a história do NYTimes, o Departamento de Defesa liberou sua primeira “filmagem oficial” de encontros com OVNI com os militares. Eles admitiram pela primeira vez desde 1969 que havia outra organização secreta que foi formada e financiada pelo senador Harry Reid e outros para estudar o fenômeno.

Se você lê a informação contida nessa reportagem e outras, a história real não era apenas que o DoD admitiu que estava estudando OVNIs – mas que esta foi a primeira vez que eles admitiram publicamente ter evidências reais – inclusive vídeo, radar, testemunha ocular, fotografias e até mesmo artefatos físicos – de encontros entre aeronaves militares dos EUA e naves desconhecidas que desafiavam as leis conhecidas da física.

O aspecto da reportagem que é mais interessante para mim, e talvez para você, se você é engenheiro ou cientista, está aqui:

Sob a direção do Sr. Robert Bigelow, a empresa modificou edifícios em Las Vegas para o armazenamento de ligas metálicas e outros materiais que o Sr. Elizondo e os contratantes do programa disseram ter sido recuperados de fenômenos aéreos não identificados.

Esta é uma admissão surpreendente. Na verdade, esta pode ser a primeira vez desde o incidente de Roswell de 1947 (onde os militares fizeram um comunicado de imprensa dizendo que tinha capturado um disco voador, apenas para retrair a história nos dias seguintes) que qualquer um no governo está admitindo ter um disco voador / OVNI / FANI em sua posse.

 

Como os cientistas, os engenheiros e o Silicon Valley irão reagir?

Isso fará com que os cientistas tradicionais sejam um pouco mais cuidadosos quando perguntados sobre OVNIs?

Alguns anos atrás, quando estava no SETI-CON (patrocinado pelo SETI, a Procura por Inteligência Extraterrestre, cuja diretora executiva, Jill Tartar, era uma respeitável astrônoma de rádio e que era em parte a inspiração da heroína do filme Contato), perguntei a Seth Shostack , o principal rádio astrônomo, o porquê do SETI não estudar OVNIs.

A resposta de Seth a mim foi algo como a seguinte: “Bem, as pessoas [que estudam] OVNIs são loucas. Elas acham que têm evidências de que os OVNIs estão aqui quando há zero evidência. Eu repito zero evidência.” Eu sempre suspeitava que esta era uma resposta CYA padrão, já que na verdade havia toneladas de evidências de que ele não queria tomar seu tempo para estudar.

Agora que o Pentágono confirmou praticamente que há OVNIs voando em nossos céus, e eles não apenas os estudaram, mas que temos artefatos deles, a verdadeira questão é:

Não deveriam os cientistas civis na academia e na indústria estar exigindo que tentemos descobrir como isso funciona?

Deve haver um grande choro do Vale do Silício – que é para ser o coração da inovação (eu moro aqui e estou próximo do Google e do SETI em Mountain View). Em vez de Elon Musk gastar seu tempo tentando fazer foguetes (uma tecnologia de mais de 50 anos) funcionar melhor, se ele realmente quer que nos tornemos uma espécie inter-planetária (e talvez inter-estelar), não deveria investir alguns de seus bilhões em descobrir esta forma de transporte ainda não compreendida?

Enquanto o Google recebeu o prêmio Lunar X para reconstruir a tecnologia que trabalhamos há 40 anos para ir à Lua, não deveriam estar investindo mais $$ em um prêmio X que marcaria um avanço real na física e na exploração humana – demonstração de um sistema de vôo e propulsão não baseado em foguetes para chegarmos às estrelas?

 

Reengenharia / “Hackeando” a tecnologia OVNI?

A verdade é que realmente não sabemos como funciona esta tecnologia OVNI, e no campo da pesquisa básica, o Vale do Silício pode ser mais um retardatário do que um inovador. E por “nós”, estou dizendo que é a nossa ciência dominante que realmente não sabe como isso funciona. Arthur C. Clarke disse uma vez que a tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia – e não há nada que nossos “respeitáveis” cientistas tradicionais odeiem mais do que algo que parece ser “mágico” porque não entendemos isso.

 

Da mesma história do New York Times:

“Estamos um pouco na posição do que aconteceria se você desse a Leonardo da Vinci um abridor de porta de garagem”, disse Harold E. Puthoff, engenheiro que realizou pesquisas sobre percepção extra-sensorial para a CIA e depois trabalhou como empreiteiro para o programa. “Em primeiro lugar, ele tentaria descobrir o que é esse material plástico. Ele não saberia nada sobre os sinais eletromagnéticos envolvidos ou sua função.”

Posso dizer que falei pessoalmente com pesquisadores das principais universidades (Stanford, MIT, Harvard) que viram os “artefatos” que o artigo faz referência, e outros similares que são ainda mais secretos (e talvez mais funcionais).

Embora eu geralmente seja aquele que traz cenários de ficção científica, um pesquisador trouxe-me algo: no filme Exterminador do Futuro 2 , cientistas e engenheiros receberam acesso limitado a “isto” – os pedaços do microchip e do esqueleto do exterminador que veio do futuro. Eles estavam fazendo engenharia reversa, tentando descobrir como isto funcionava. Isto estava muito à frente de qualquer coisa que tivesse sido desenvolvida até aquela data.

Soa familiar? Foi-me dito que o esforço de engenharia reversa é exatamente assim.

Este é um grande desafio. Pense nos avanços que fizemos em ciência e tecnologia nos últimos 100 anos e imagine os avanços que faremos nos próximos 100 anos. Agora imagine que temos tecnologia de uma civilização que está um milhão de anos à nossa frente!

 

O caminho a seguir

Precisamos das melhores mentes trabalhando nisso – não só dos militares ou de alguns pesquisadores encobertos que juraram segredo – se quisermos descobrir como isso funciona. Este é um projeto muito maior do que qualquer outra coisa que tentamos fazer – porque, uma vez respondidas as questões básicas de materiais, poderemos precisar de novos tipos de sinais eletromagnéticos e um novo tipo de informática do que aquela que nos ensinaram. Disseram-me que algumas das tecnologias que foram descobertas e que não foram discutidas envolvem a interface entre a consciência e artefatos físicos, algo que também envia a maioria dos nossos principais cientistas e engenheiros correndo para os cantos do CYA, murmurando sobre “pseudo-ciência” e “evidência anedótica”.

Aqueles de nós que pesquisaram esse fenômeno sabem que o artigo do NY Times é apenas a ponta do iceberg. Eu pessoalmente vi fotos antigas das décadas de 1950 e 1960 que eram muito mais claras do que qualquer coisa divulgada até agora. Tom DeLonge, o ex-músico blink182 que formou a To The Stars Academy e que foi fundamental para que este anúncio ocorresse, enviou uma mensagem pelo Twitter: “Há muito mais ‘coisa’ vindo!”

A grande questão em minha mente é, o que os cientistas “respeitáveis” farão agora que o gato está fora da saco e à medida que mais informações surgirem?

Vejo uma das três formas possíveis de avançar:

1. Cientistas e engenheiros de tendência predominante continuam a negar, negar, negar e dar uma resposta CYA: Não há evidências de OVNIs ou tecnologia OVNI, e não merece ser estudado.

2. À medida que mais informações escapam, em algum momento, o efeito David Drumlin ocorre. Qual é o efeito David Drumlin ? No mesmo filme, Contato, depois que um sinal real de outro mundo foi descoberto, o mesmo cientista que ridicularizou Ellie Arroway de repente tornou-se um “especialista” no novo sinal e em extraterrestres, e tentou co-participar do trabalho, nunca reconhecendo sua atitude anterior de mentalidade fechada.

3. Cientistas e engenheiros trabalham em conjunto com pesquisadores de OVNIs e do DoD, enquanto permanecem humildes e mantêm uma mente aberta. Uma nova abordagem de mente aberta pode ser necessária, onde cientistas e engenheiros possam ter que começar com uma atitude de que “estávamos errados” e que “não descobrimos tudo o que há para descobrir, nem estamos pertos disso” como ponto de partida . Isso pode resultar em uma re-descoberta de algumas idéias fundamentais sobre a aerodinâmica, a física quântica e até mesmo, me dizem, da consciência e sua capacidade de afetar o mundo material.

À medida que mais vem à luz, talvez devêssemos reconsiderar nossa arrogância de pensarmos que estamos sozinhos no universo, e que também a nossa ciência / tecnologia é avançada o suficiente para que possamos fazer declarações definitivas sobre outras civilizações e sua capacidade de nos “visitar”. Aqueles de nós que são “pró-ciência” também podem ter que reconsiderar alguns aspectos fundamentais de nossa própria ciência e tecnologia, e ainda mais difíceis, nossos preconceitos e certezas para coisas que não compreendemos.

PS: Um grande agradecimento aos esforços de pessoas como Tom DeLonge, o ex-oficial do Departamento de Estado Luis Elizondo, os jornalistas Helene Cooper, Ralph Blumenthal e a incansável Leslie Keane, e outros que insistiram neste assunto e foram fundamentais para divulgar esse anúncio os NYTimes, etc

(Fonte)

Então, uma das rotas que poderemos tomar fica clara pelo autor do excelente artigo acima, Riz Virk.  Ele menciona que “precisamos das melhores mentes trabalhando nisso”Pois bem, na minha opinião, esta declaração coloca em cheque muitos cientistas de tendência predominante, cujas mentes obtusas e amestradas pela também obtusa corrente acadêmica que precisa de reformulação e modernização, trabalham como o famoso “isentão”, esperando que o sinal verde seja dado por “colegas mais importantes e influentes” para então, certos de que não serão zombados ou perderão seus financiamentos,  entrarem no ônibus que já está lotado há muito tempo e quererem sentar na janela.

Quem duvida disso, recomendo que assista o filme Contato para ter uma ideia de como isso funciona.

Aos céticos me resta dizer: cada pessoa só pode considerar a possibilidade de algo ser real até onde sua mente o limita. Isto não quer dizer que você deva tomar como verdade todos os “locais” por onde sua mente viaja, mas, no mínimo, precisa fazer uma análise honesta, não impregnada de preconceito, dessas possibilidades. Mas se sua mente só o pode levar até a esquina de sua casa, então procure ser feliz com isso e não imponha sua infelicidade àqueles que ousam avançar muito além de onde você está hoje. A evolução e o progresso da humanidade agradecem.

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh