web analytics

Entrar em contato com a ETs não irá causar uma invasão da Terra, diz especialista

Entrar em contato com a ETs

O Dr. Douglas Vakoch, presidente da organização Messaging Extraterrestrial Intelligence (METI), anunciou recentemente que seu grupo de pesquisa supervisionou uma série de transmissões enviadas ao espaço exterior a partir de uma antena parabólica de rádio de 32 metros ao norte do Círculo Ártico na Noruega.

Os astrônomos enviaram um tutorial matemático e científico criado pela METI, bem como amostras de música do festival espanhol Sonar.

Mas o movimento provocou medos de alguns cientistas que acreditavam que os sinais poderiam desencadear uma invasão do espaço exterior depois que os alienígenas aprendessem sobre nossa existência.

As transmissões foram enviadas para o planeta GJ 237b, que se acredita ser potencialmente um dos corpos celestes mais habitáveis ​​próximos da Terra.

O planeta GJ 273b orbita a estrela de Luyten, uma anã vermelha a cerca de 12,4 anos-luz da Terra.

Contatar a vida alienígena não causará uma invasão perigosa, um especialista disse.

O Dr. Vakoch disse ao New Scientist:

GJ 273b é um das dezenas de planetas que poderia acolher a vida encontrado nas últimas duas décadas, graças aos avanços na astronomia.

Dan Werthimer, pesquisador do SETI (Procura por Inteligência Extraterrestre) na Universidade da Califórnia em Berkeley, disse:

Noventa e oito por cento dos astrônomos e pesquisadores do SETI, incluindo eu mesmo, pensa que o METI é potencialmente perigoso e não é uma boa idéia.

É como gritar em uma floresta antes de saber se existem tigres, leões, ursos ou outros animais perigosos por lá.

Mas o Dr. Vakoch, que fundou a organização METI, insiste que não há “nenhuma ameaça”:

O envio de sinais intencionais não aumenta as chances de sermos detectados por qualquer civilização avançada o suficiente para nos ameaçar.

Eles ignoram um ponto crítico. Qualquer extraterrestre no GJ 273b capaz de fazer uma viagem interestelar também seria suficientemente avançado para já saber da nossa existência.

Por quase um século, estamos transmitindo evidências de nossa tecnologia através de sinais de rádio e televisão vazando no espaço, que uma civilização apenas um pouco mais avançada do que a nossa poderia facilmente detectar.

Enviar sinais intencionais não aumenta as chances de sermos detectados por qualquer civilização avançada o suficiente para nos ameaçar.

Mesmo que exista a chance dos ETs já saberem que estamos aqui, ainda há boas razões para transmitir.

Dirigindo-se aos céticos da vida alienígena, o Dr. Vakoch admitiu que é necessário fazer mais esforços para alcançar outras galáxias.

Ele acrescentou:

Isso nos permite testar uma explicação sobre por que ainda não descobrimos alienígenas, mesmo que mais de meio século tenha passado desde que o SETI começou a primeira busca moderna de inteligência extraterrestre ao tentar ouvir seus sinais.

É provável que possamos obter uma resposta? Somente se a galáxia estiver cheia de vida inteligente. Talvez, mais provavelmente, precisaremos repetir este processo com 100 estrelas, ou 1000 ou um milhão, antes de detectarmos uma resposta – se alguma vier.

Ao repetir a nossa mensagem, qualquer destinatário também pode corrigir erros que inevitavelmente ocorrerão à medida que o sinal passa pelo meio interestelar.

A mensagem do METI incluiu vários novos recursos. Ela foi enviada três vezes por dia, em três dias sucessivos, dando aos (possíveis) astrônomos no GJ 273b a chance de confirmar nosso sinal, presumindo-se que eles seguem protocolos como aqueles usados ​​pelos cientistas do SETI na Terra.

O Dr. Vakoch e a equipe do METI International voltarão à antena de rádio da European Incoherent Scatter Scientific Association na Noruega em 2018 para retransmitir sinais para o planeta GJ 237b.

O presidente do METI disse:

Quando retornaremos à Noruega para uma segunda rodada de transmissões em abril de 2018, seis meses terão passado no nosso relógio.

(Fonte)

Os cientistas envolvidos no projeto METI também dizem que ao encerrarem suas transmissões este ano ao planeta GJ 273b, retornarão a apontar suas antenas para lá em 21 de junho de 2013, para verem se há uma resposta.

Embora seja interessante que alguns cientistas estejam tentando fazer algo para provar aos seus colegas que a vida alienígena inteligente realmente existe, na minha humilde opinião esta é uma tentativa fútil, ineficiente e desnecessária por várias razões, sendo a primeira delas o tempo que levará para a mensagem chegar até o planeta GJ 273b e ser respondida. Isto é, se é que aquele planeta realmente é habitado por vida inteligente e avançada o suficiente para ter a tecnologia necessária para captar e responder a mensagem.

E, é claro, seria muito mais proveitoso utilizar os esforços e recursos financeiros desse projeto para tentar se comunicar com o fenômeno dos OVNIs que já ocorre em nosso planeta há milhares de anos, mas que nenhum cientista de tendência predominante tem coragem de abordar diretamente, pois tem medo de ser zombado pelos seus pares.

Talvez 2018 mude isso.

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh