web analytics

Cientistas debatem se foi uma boa ideia terem enviado mensagem aos extraterrestres

Foi publicado ontem aqui no OH a notícia de que cientistas enviaram uma mensagem para um exoplaneta (relativamente) próximo da Terra, e como já era de se esperar, há opiniões divergentes entre os cientistas quanto a entrar em contato com os extraterrestres.

Veja os diferentes pontos de vista no texto abaixo:

foi uma boa ideia terem enviado mensagem aos extraterrestres

Em outubro, cientistas e artistas transmitiram uma mensagem para a GJ 273, uma anã vermelha, também conhecida como a estrela de Luyten, que fica a 12.36 anos-luz da Terra e hospeda dois planetas conhecidos, um dos quais, GJ 273b, pode ser capaz de suportar a vida como a conhecemos.

A equipe enviou uma mensagem que inclui um “tutorial” científico e matemático, bem como 33 composições musicais curtas de artistas da comunidade Sónar. A equipe transmitiu esta mensagem em código binário em duas frequências de rádio diferentes em 16 de outubro, 17 de outubro e 18 de outubro, usando a antena de rádio da Associação Científica Incoerente de dispersão (EisCAT) de 105 pés de largura (32 metros) em Tromsø , Noruega.

Embora a mensagem tenha sido concebida para provocar uma resposta de uma civilização avançada inteligente que possa estar vivendo no GJ 273b, o principal objetivo ao enviar a comunicação envolvia a criação de uma base para o futuro, disse Douglas Vakoch, presidente da METI (Messaging Extraterrestrial Intelligence) International, uma organização com base em São Francisco, sem fins lucrativos.

Ele disse ao site Space.com:

É um protótipo para o que eu acho que provavelmente precisamos fazer 100 vezes, ou 1.000 vezes, ou 1 milhão de vezes.  Para mim, o grande sucesso do projeto virá dentro de 25 anos, se houver alguém que se lembra de procurar [por uma resposta]. Se pudéssemos conseguir isso, seria uma mudança radical de perspectiva.

É muito difícil imaginar um cenário em que uma civilização em torno da estrela de Luyten possa ter a capacidade de vir para a Terra e nos ameaçar, e ainda não foram capazes de captar nossa radiação já vazada.

Esta referênciua de Vakoch diz respeito aos sinais de TV e rádio que já está sendo enviado ao cosmos há mais de meio século.

O projeto estelar Luyten, conhecido como “Sónar Calling GJ 273b“, é uma colaboração envolvendo o METI International, Instituto de Estudos Espaciais da Catalunha na Espanha e Sónar, um festival de música, criatividade e tecnologia em Barcelona, ​​Espanha.

Vakoch ainda disse:

Fazer isso em parceria com o festival Sónar é uma maneira de respeitar a necessidade de incorporar uma perspectiva científica, mas também de reconhecer que não capta a plenitude do espírito humano.

O desafio de construir qualquer mensagem interestelar é tentar antecipar o que você e seu destinatário têm em comum. Uma coisa que podemos garantir é que eles não serão falantes nativos de inglês, swahili ou chinês.

É muito razoável pensar que saberemos que há um extraterrestre por aí, que teremos uma mensagem que é claramente artificial, mas que não seremos capazes de decifrar.

Dan Werthimer, co-fundador e cientista-chefe do projeto [email protected], disse:

Se os extraterrestres nos visitarem, o resultado seria muito parecido com o fato de Colombo ter aterrado na América, o que não foi bem para os nativos americanos. Nós só temos que olhar para nós mesmos para ver como a vida inteligente poderia se transformar em algo que não gostaríamos de ter visto.

Não sabemos quando os terráqueos vão descobrir ET. Poderia ser dentro de mil anos, ou em nossas vidas. Poderia ser no próximo ano, quando o novo rádio telescópio FAST da China, agora o maior do mundo, vai fazer o levantamento do céu.

Sem pistas de vida extraterrestre nas últimas cinco décadas, as perguntas são constantemente feitas, como por exemplo, se os métodos de pesquisa são apropriados.

Liu Cixin, um escritor chinês de ficção científica e vencedor do Prêmio Hugo pela novela The Three Body Problem, ressalta que o método atual supõe que os alienígenas também se comunicam nas ondas de rádio.

Ele diz:

Mas se é uma civilização verdadeiramente avançada, é possível usar outras formas de comunicação mais avançadas, como ondas gravitacionais.

Porém, Shude Mao, professor de pesquisa nos Observatórios Astronômicos Nacionais da China (NAOC) e Presidente da Divisão de Galáxia e Cosmologia, acredita que muitos métodos merecem uma tentativa:

Quem sabe como eles são e como pensam? Quando estudamos a origem da vida, corremos o risco de cair por um beco sem saída se tivermos apenas uma amostra da Terra.

Se pudéssemos encontrar mais amostras no universo, poderíamos olhar o quebra-cabeça de forma mais abrangente e resolvê-lo com mais facilidade.

Mao dá um exemplo em astronomia para explicar as limitações de uma única amostra:

Quando os cientistas começaram a procurar por planetas em torno de estrelas parecidas com o Sol, eles achavam que deveria ser difícil, pois seu período poderia ser tão longo quanto um ano. No entanto, o primeiro desses planetas descobertos fora do nosso sistema solar leva apenas quatro dias para orbitar sua estrela anfitriã – muito mais rápido do que os esperados pelos astrônomos. Naquela época, algumas pessoas duvidaram, o que mostra como o exemplo do nosso sistema solar reduziu seus pensamentos.

Se realmente descobrimos a vida extraterrestre, gostaria de saber como a vida se espalha no universo. É distribuída uniformemente no espaço ou agrupado?

O problema do Três Corpos por Liu Cixin representava o universo como uma selva, com todas as civilizações como caçadores escondidos. Aqueles que estão expostos serão eliminados.

Mas Han Song, outro dos principais escritores chineses de ficção científica, acredita que os humanos naturalmente querem se conectar, citando a Internet como prova.

Ele diz:

Eu acho que os alienígenas podem pensar de forma semelhante. É um instinto biológico se conectar uns com os outros. Todo mundo quer provar que eles não estão sozinhos no universo. A solidão é intolerável aos humanos.

Ele também aponta que o contato será conduzido pela curiosidade e pelos requisitos reais.

Os seres humanos, em última análise, irão ao espaço para encontrar recursos e expandir sua área de vida, por isso será difícil evitar alienígenas. Entrar em contato com eles, especialmente aqueles com inteligência mais avançada, pode nos ajudar a avançar na civilização.

Independentemente do debate teórico, os cientistas nunca vacilaram na busca.

Mao diz:

Eu acho que devemos chamar. Na verdade, estamos gritando há anos e nossos rádios e televisões estão transmitindo no espaço o tempo todo. Você não está curioso para o que as nossas contrapartes aparecessem?

Se eles são inferiores ou iguais a nós em termos de civilização, não seremos facilmente destruídos. Se eles são muito mais inteligentes do que nós, eles não seriam tão estúpidos para competir conosco. Alguns se preocupam que eles venham roubar os nossos recursos naturais, mas provavelmente eles têm o poder de transformar o globo inteiro já. Qual o objetivo de eliminar uma civilização muito mais baixa?

Mao acredita que o resultado será significativo, seja lá como for:

Se encontrarmos outra vida, será, sem dúvida, a descoberta científica mais importante da nossa história, se não, mostra que a vida na Terra é única e devemos respeitar a vida e apreciar-nos.

Não importa o resultado, nunca devemos parar de procurar, e espero ouvir mais vozes e contribuições de cientistas chineses.

Valoch escreveu que “se estamos em perigo de uma invasão alienígena, é muito tarde”. Por outro lado, Vakoch argumentou que existe um custo potencial para manter o silêncio:

Por exemplo, falta de orientação que poderia melhorar a sustentabilidade da nossa própria civilização…

Os cientistas já têm um processo para julgar o mérito dos projetos METI: revisão por pares.  As decisões sobre a atribuição de tempo para o METI em observatórios financiados publicamente devem confiar no mesmo procedimento usado para experiências concorrentes.

Dirk Schulze-Makuch, astrobiólogo da Universidade Estadual de Washington, disse:

Não acho que isso é uma questão a ser resolvida pela revisão científica por pares. As repercussões de enviar uma mensagem e, possivelmente, obter uma resposta – ou mesmo uma visita alienígena – são muito grandes para que isso seja decidido por um pequeno grupo de cientistas sozinhos.

Schulze-Makuch sugeriu o uso dos protocolos internacionais, presumivelmente estabelecidos pelas Nações Unidas, e quais procedimentos seguirmos, se obtivermos uma resposta.

Vackoch ainda disse:

Temos muitos problemas com os quais estamos lutando como uma espécie. Não temos certeza se até mesmo vamos sobreviver como uma espécie em nosso planeta. Penso que uma mensagem mais informativa seria realmente a de falar sobre alguns dos desafios que enfrentamos, porque acho que essa é uma das características definidoras de nossa civilização.

Ou talvez as pessoas não se preocupem em compor uma mensagem. Outro cientista do SETI, o astrônomo Seth Shostak, propôs que simplesmente transmitíssemos tudo que há nos servidores do Google para os extraterrestres.

Em vez de tentar pensar o que é fundamental, apenas envie-lhes muitos dados e deixe-os classificar e encontrar o padrão.

(Fonte)

O que esses astrônomos não estão considerando é o fato de que os extraterrestres, pelo menos alguns deles, já sabem muito bem que estamos aqui. Há muitas indicações disso, como tem sido mostrado aqui no OH.

Contudo, penso eu, se fosse feito um esforço por parte dos cientistas para contatar aqueles que já nos visitam, talvez seria mais produtivo, pois não seria necessário esperar tanto tempo para a mensagem ir até seu destino e uma resposta ser dada.   Aliás, para os cientistas estarem tentando comunicação com possíveis alienígena a anos-luz de distância já é um grande progresso para um grupo que até pouco tempo se recusava a acreditar que vida possa existir fora da Terra. 

Esperemos pela resposta, se é que será dada.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh