web analytics

NASA revela por que terráqueos até hoje não encontraram alienígenas

O seguinte artigo foi publicado no site Sputnik.com:

não encontraram alienígenas

A humanidade ainda não entrou em contato com civilizações alienígenas e não encontrou vestígios de vida extraterrestre porque a maior parte dos planetas potencialmente habitáveis faz parte da categoria de mundos aquáticos cobertos de gelo, disse cientista planetário e líder da missão New Horizons para Plutão, Alan Stern.

“Mundos aquáticos são um dos melhores ambientes para o nascimento de vida. Os clarões de supernovas, os meteoritos, mudanças climáticas e outros acontecimentos que podem eliminar a vida na Terra não os ameaçam”, explicou Stern.

Nos anos 60 do século passado, o astrônomo norte-americano, Francis Drake, criou uma fórmula para calcular o potencial número de civilizações extraterrestres existentes.

Entretanto, o físico Enrico Fermi, em resposta a uma avaliação da probabilidade bastante alta de contatos interplanetários, prognosticada pela Equação de Drake, desenvolveu uma tese, conhecida agora como o Paradoxo de Fermi: se as civilizações extraterrestres são tão numerosas, por que a humanidade não observa nenhuma evidência delas?

Os cientistas buscaram resolver esse paradoxo de várias formas, o mais popular era a hipótese da “Terra única”. Segundo ela, o surgimento dos seres inteligentes requer condições únicas, ou seja, uma cópia exata do nosso planeta. Outros astrônomos acreditam que seja impossível entrar em contato com os extraterrestres, pois civilizações galácticas vêm desaparecendo demasiadamente rápido para podermos detectá-las ou estão escrupulosamente escondendo sua presença da humanidade.

Stern propôs sua própria explicação do paradoxo Fermi, que não exige a existência de civilizações inteligentes ou justificação da unicidade da Terra.

Examinando as listas de exoplanetas que estão na chamada “zona habitável”, uma zona na órbita onde a água pode ficar em estado líquido, o cientista planetário da NASA notou que muitos planetas, parecidos à Terra, não são corpos celestes rochosos, mas mundos aquáticos. Eles podem ser completamente cobertos de água no estado líquido ou de gelo, debaixo do qual há um oceano semelhante aos dos satélites de Júpiter ou Saturno.

Segundo ele, as condições climáticas nesses planetas são mais favoráveis para o nascimento e desenvolvimento de vida. Stern disse que possivelmente a vida em tais planetas exista nas profundezas oceânicas.

“Habitantes dos mundos desse tipo até não suspeitam que no universo existam estrelas, espaço e outros planetas. Por isso nem eles nem nós sabemos da existência uns dos outros”, concluiu o cientista.

(Fonte)

Sempre aparece um cientista, em nome da NASA, tentando tapar o Sol com a peneira. Essa mania de generalizar dentro de um Universo com trilhões de probabilidades é típico dos cientistas que trabalham para a ciência de tendência predominante.

Enquanto os cientistas dizem que estão procurando por alienígenas lá longe, estes já estão aqui nos observado, pelo que tudo indica.

n3m3

Colaboração: Paulo H. Paulino

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh