web analytics

Está chovendo peixes e outras coisas!

A chuva de peixes citada no artigo abaixo pode muito bem ser explicada, mas há outros tipos de chuva que os cientistas ainda não foram capazes de explicar, e tampouco querem se associar ao assunto, como mencionado ao final do artigo.

chuva de peixesNo mês passado, moradores da cidade costeira de Tampico, no México, experimentaram um fenômeno bizarro que tem sido relatado desde os tempos antigos – chuva de peixes. Funcionários da defesa civil no nordeste do México disseram que a chuva leve de 28 de setembro foi acompanhada por pequenos peixes que caíram do céu.

“Curioso caso em Tampico, onde havia uma chuva leve que incluía peixes pequenos que literalmente caíram do céu”, a Agência de Defesa Civil para o estado de Tamaulipas postou no Facebook, juntamente com imagens de quatro peixes em um saco e um no chão.

A agência de defesa civil do estado mexicano de Tamaulipas publicou uma foto desses peixes que diz que caiu do céu. (Proteccion Civil Tamaulipas / Facebook)

Não é a primeira ocorrência de objetos estranhos que caem do céu. Ao longo da história, tem havido inúmeros casos registrados de peixes, rãs, medusas, feijões, nozes, sementes e todos os tipos de objetos estranhos e improváveis, caindo céu abaixo.

 

Uma longa história de objetos que caem do céu

Uma das primeiras instâncias registradas de objetos “chovendo” vem das escritas do filósofo romano e naturalista Plínio, o Velho, que documentou tempestades de sapos e peixes no século I D.C., no que é agora a Itália. No século III D.C., o antigo grego retórico e especialista em gramática, Athenaeus, escreveu em sua obra “Deipnosophistae” (Livro VIII):

Em Paeonia e Dardania tem, eles dizem, antes de agora chovido sapos; e tão grande foi o número desses sapos que as casas e as estradas ficaram cheios deles; e, em primeiro lugar, por alguns dias, os habitantes, tentando matá-los e fechando suas casas, suportaram a praga; mas quando eles não fizeram nada de bom, mas descobriram que todos os navios foram preenchidos com eles, e os sapos foram encontrados para serem cozidos e assados com tudo, e além de tudo isso, quando eles não poderiam fazer uso da água nem pôr os pés no chão porque as rãs estavam por toda parte, e ficaram também irritados com o cheiro das pessoas que morreram, eles fugiram do país”.

Desde então, inúmeras outras instâncias incomuns foram documentadas, inclusive uma tempestade na Itália em 1840, que depositou milhares de sementes de árvore Judas parcialmente germinadas nativas da África Central; um pó de cristais de açúcar em 1857 no Condado de Lake, na Califórnia; uma chuva de avelãs sobre Dublin, na Irlanda, em 1867; mexilhões vivos em Paderborn, Alemanha, em 1892; e água-viva em Bath, Inglaterra, em 1894.

Talvez uma das mais emocionantes “chuvas” tenha sido a de moedas do século XVI, que caiu do céu em 16 de junho de 1940, na aldeia russa de Meschera. Os arqueólogos hipotetizaram que um forte vento varreu um tesouro enterrado que havia sido exposto pela erosão do solo, antes de cair de volta.

 

Explicações?

Um dos primeiros cientistas a abordar os estranhos fenômenos dos objetos que choviam foi EW Gudger, um ictiólogo do Museu Americano de História Natural. Gudger publicou um artigo na revista Natural History, intitulado “Rains of Fishes” (Chuvas de Peixes), no início do século XX, no qual ele sugeriu quatro explicações possíveis para chuvas de espécies marinhas.

Primeiro, ele sugeriu que certas espécies de animais “fora do lugar” simplesmente podem estar em sua migração. Em segundo lugar, esses peixes ou outras espécies marinhas foram deixadas encalhadas em terra depois de transbordarem de lagoas ou córregos. Terceiro, que os peixes, despertados por fortes chuvas, haviam saído da terra para a superfície. E em quarto lugar, que o peixe tinha sido levado para fora do oceano ou do lago por trombas d’água ou tornados, e despejados no chão a muitos quilômetros de distância.

Trombas d’água foram citadas como uma das possíveis explicações para chover objetos

A última teoria recebeu o maior apoio. Jerry Dennis escreve em seu livro “It’s Raining Frogs and Fishes: Four Seasons of Natural Phenomena and Oddities of the Sky” (Está Chovendo Sapos e Peixes, Quatro Estações de Fenômenos Naturais e Estranheza do Céu – título em tradução livre), que os cálculos teóricos sugerem que “o granizo do tamanho de bolas de golfe exige uma velocidade ascendente de mais de 116 quilômetros por hora, o que seria mais do que poderoso o suficiente para elevar pequenos peixes em uma nuvem de tempestade”.

A Biblioteca dos Congressos dos EUA concorda. Relatando a ocorrência mais recente da chuva de peixes no México, a biblioteca disse:

Claro, não “chove”sapos ou peixe no sentido de que chove a água – ninguém nunca viu rãs ou peixes se evaporarem no ar antes uma precipitação. No entanto, os ventos fortes, como aqueles em um tornado ou furacão, são poderosos o suficiente para levantar animais, pessoas, árvores e casas. É possível que eles possam sugar um cardume de peixes ou sapos e “chovê-los” em outro lugar.”

 

No entanto, algumas ocorrências de queda de objetos não podem ser facilmente explicadas por essa teoria. O fenômeno da chuva de rochas, por exemplo, tem sido conhecido por durar vários dias ou mesmo semanas, e com rochas grandes demais para serem transportadas longas distâncias pelo vento. Nos tempos medievais, tais fenômenos bizarros foram atribuídos a duendes ou demônios que jogavam pedras.

Cientistas admitiram que eles realmente não têm uma resposta definitiva para o estranho fenômeno da chuva de pedras. Ao longo dos anos, muitas teorias têm sido propostas, desde atividade poltergeist até seres sobrenaturais, gangues de atiradores de pedras, vulcões, meteoritos, tornados e até mesmo retribuição divina, como pode ser visto na referência (Josué 10:11):

…o Senhor lançou sobre eles, do céu, grandes pedras, até Azeca, e morreram; e foram muitos mais os que morreram das pedras da saraiva do que os que os filhos de Israel mataram à espada.

Como com muitos fenômenos inexplicáveis e incomuns, [tais como o fenômeno dos OVNIs] cientistas e acadêmicos têm estado relutantes de examinar o assunto de forma rigorosa. Presumivelmente, ao examinar a natureza das rochas e se elas são locais da região de sua queda ou de mais longe, inclusive do espaço sideral, poderia ajudar a, pelo menos, lançar alguma luz sobre o mistério. Até então, ficamos com meras especulações sobre o que faz com que este fenômeno bizarro aconteça.

(Fonte)

Vale mencionar que em 2015 misteriosas fibras caíram do céu no estado do Arizona, nos EUA, e ninguém soube identificar sua origem.

Fibras misteriosas caem do céu, mais uma vez, no estado do Arizona – EUA

Também interessante saber que esse tipo de fenômeno muitas vezes é associado com o aparecimento de OVNIs:

Substância Misteriosa Deixada por Aparições de OVNIs

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh