web analytics

Como prever uma invasão alienígena

O “divertido” artigo abaixo foi escrito pelo Dr. Caleb A. Scharf, astrofísico Diretor de Astrobiologia da Universidade Columbia, o qual apresenta uma fórmula para evitar uma invasão alienígena:

prever uma invasão alienígena

Dado o estado atual do nosso planeta natal e, de fato, nossa espécie, pode parecer um pouco excedente a necessidade de especular sobre se os extraterrestres vão um dia vir e nos engolir (ou, bem, você sabe, fazer algo igualmente desagradável).

No entanto, a questão de saber se há alguém ou qualquer coisa “lá fora” que possa aparecer para causar problemas parece ser recorrente. Por exemplo, isto tornou-se um tópico perene para Stephen Hawking, e ele não está sozinho entre cientistas sérios em especular sobre o resultado de tal encontro.

Como com qualquer esforço para decodificar os processos de pensamento ou intenções prováveis ​​de formas de vida inteiramente hipotéticas, as opções são – devemos dizer – bastante limitadas.

Eu concordo com o pensamento geral de Hawking de que, se uma espécie se preocupar com a realização de viagens interestelares (em vez de enviar sondas científicas robotizadas), as chances são de que ela quer mais do que algumas anedotas agradáveis ​​para a próxima edição do Guia do Planeta Realmente Solitário da Galaxy.

Mas, contrario a muitos contos de ficção científica de Hollywood, duvidamos que aquilo que uma espécie alienígena precise seja a maioria dos cosas usuais: água (o que, um dos compostos mais abundantes do cosmos), escravos humanos (sério, você pode atravessar o espaço interestelar e você precisa de escravos?), ou alguma “força vital” mística para ser drenada de todos nós (não, apenas não).

Uma motivação semi-plausível seria, na verdade, a necessidade de uma biosfera funcional, devido ao fato de um mundo doméstico alienígena ter sido destruído. Embora aqui também, se você pode sustentar a vida numa nave-mãe pelo que seria pelo menos décadas, senão séculos de viagem, seria a necessidade de um planeta assim tão desesperada? Talvez seja. Como qualquer pessoa com meia xícara de células cinzentas na cabeça está dolorosamente consciente, um ecossistema planetário, repleto de reciclagem química, fotossíntese e regimes climáticos moderadamente estáveis, é realmente muito útil, difícil de replicar e, possivelmente, o melhor sistema de apoio à vida que o dinheiro pode comprar.

É claro que é mais fácil criar uma colônia se as formas de vida indígenas não incluem algo particularmente inteligente, de modo que a análise de custo-benefício deve considerar o esforço de lidar com os habitantes locais que possam entrar no seu caminho. A opção A é tentar ser legal e esperar que você seja convidado a coexistir; a Opção B é seguir o modelo do que os humanos têm com sucesso, e deploravelmente feito entre si ao longo dos milênios: “Eu sei que você estava aqui primeiro, mas agora é nosso e vamos fazê-lo GRANDE (novamente) “.

O que me leva ao ponto real deste artigo. Se a única maior motivação para uma espécie se aproximar e se manifestar de forma hostil, é porque seu sistema doméstico não pode mais apoiá-los, devemos tentar encontrar esses exoplanetas nas proximidades, onde parece que a vida está saindo.

Ser capaz de realmente fazer isso é uma saída, então tenha paciência comigo. Suponhamos, porém, que em um futuro não tão distante, temos a capacidade de confirmar a presença de uma biosfera em um exoplaneta e refinamos nossas técnicas para que possamos medir coisas como a poluição industrial, mudanças climáticas e talvez até mesmo o excesso de infravermelho da tecnologia ativa. Neste caso, poderemos avaliar as probabilidades de que a vida lá tenha esculhambado com as coisas.

Com esta informação em mãos, poderíamos chegar ao ponto de atribuir uma probabilidade de que uma espécie tecnológica em um desses mundos sombrios faça as malas e venha procurar uma nova casa. E, dado que isso nos daria as melhores posições para procurar, talvez possamos captar sinais de um lançamento ou desaceleração interestelar, ou outra atividade.

Aqui está. A melhor maneira de evitar a invasão alienígena hostil, ou pelo menos preveni-la, é continuar financiando toda aquela maravilhosa ciência exoplanetária; pesquisa que irá responder a um monte de outras questões criticamente interessantes ao longo do caminho.

(Fonte)

Inocente, coitado! Será que ele não sabe que há bilhões de mundos lá fora, a maioria deles provavelmente inabitados, dos quais esses supostos desafortunados ETs poderiam se utilizar para colonizar, sem correr os riscos que uma guerra pode trazer?

De qualquer forma, eles já e tão aqui, como tem sido mostrado e provado em documentos governamentais, e declarações de militares e cientistas (sem contar com as declarações de pessoas comuns, já que estas são descartadas pelos “inteligentões” como sendo frutos de imaginações férteis).

A sugestão dada pelo astrofísico, na minha opinião, não vai passar de um exercício em futilidade, a não ser que os dados desse estudo astronômico sirva para outra coisa que não seja a detecção de extraterrestres sedentos da conquista de outros mundos.

De qualquer forma, se algum dia “naves alienígenas” aparecerem em massa nos céus do nosso planeta, disparando seus lasers para tudo quanto é lado, considere que pode se tratar de uma invasão de bandeira falsa . Veja:

Invasão alienígena falsa no futuro próximo – será verdade?

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh