web analytics

Aumenta drasticamente chances de vida alienígena em 3 exoplanetas do sistema Trappist-1

Um novo estudo descobre que mundos alienígenas no sistema Trappist-1 estão cobertos com água e podem ter vida.

A vida alienígena poderia ser muito provável no sistema Trappist-1, pois especialistas descobriram que pelo menos três mundos alienígenas poderiam ser cobertos de água líquida.

As chances de descobrir a vida alienígena – especificamente no sistema Trappist-1 – aumentaram drasticamente, pois os especialistas usando o telescópio espacial Hubble descobriram que pelo menos três mundos alienígenas na zona habitável do sistema são cobertos com água líquida em sua superfície.

Os especialistas concluíram – depois de estudar a estrela e seus planetas com o telescópio espacial Hubble – que quatro planetas orbitando a estrela Trappist-1 , inclusive três na zona habitável da estrela, podem conter uma quantidade “substancial” de água na superfície.

O novo estudo, baseado exclusivamente em novas observações do telescópio espacial Hubble, permitiu aos cientistas avaliarem a quantidade de radiação ultravioleta que atinge cada planeta no sistema próximo.

Aumenta drasticamente chances de vida alienígena

Este gráfico compara a distância dos planetas da estrela hospedeira no sistema TRAPPIST-1 e do nosso sistema solar.

Usando um espectrógrafo de imagem a bordo do Hubble, uma equipe internacional de astrônomos estudou a quantidade de radiação ultravioleta impactada por cada um dos planetas Trappist-1 e fez os cálculos necessários para determinar como essa radiação poderia estar influenciando a quantidade de água em sua superfície.

Os especialistas descobriram que, embora os planetas internos de Trappis-1 tenham perdido quantidades maciças de água líquida ao longo da sua longa história de bilhões de anos, equivalente a mais de 20 oceanos da Terra – acredita-se que os planetas mais distantes escaparam desse destino e podem ter retido uma quantidade significativa de água na superfície, o que, por sua vez, aumenta suas chances de hospedar formas de vida extraterrestres.

Ao longo de observações nos últimos dois meses, cientistas identificaram sete exoplanetas no sistema Trappist 1. Três deles estão localizados na zona chamada de Goldilocks, onde os especialistas acreditam que as condições são certas para a existência de água líquida na superfície.

Este é o primeiro estudo que mostra claramente que há água nos planetas Trappist-1 e é um grande impulso para a busca de formas de vida alienígenas.

O conceito desse artista mostra como cada um dos planetas TRAPPIST-1 podem parecer, com base em dados disponíveis sobre seus tamanhos, massas e distâncias orbitais, comparados com planetas de nosso sistema solar, abaixo. Créditos: NASA / JPL-Caltech

O autor principal, o astrônomo suíço Vincent Bourrier, do Observatório da Universidade de Genebra, disse:

A radiação ultravioleta é um fator importante na evolução atmosférica dos planetas.

Como em nossa própria atmosfera, onde a luz solar ultravioleta separa as moléculas, a luz ultravioleta das estrelas pode quebrar o vapor de água nas atmosferas de exoplanetas em hidrogênio e oxigênio.

A descoberta representa outra pista sobre o potencial de Trappist-1 para abrigar a vida extraterrestre.

Desde a descoberta confirmada desses exoplanetas em fevereiro, os astrônomos observaram que o sistema possui uma zona habitável incomumente grande, bem como um grande potencial para a contaminação microbiana interplanetária (ou seja, a panspermia) e grandes marés oceânicas causadas por fortes interações gravitacionais.

Tudo isso é bom para a vida…

…Para entender mais sobre os planetas, os especialistas dizem que esses três planetas no sistema Trappist-1 poderiam ser alvos ideais para o próximo telescópio espacial James Webb, o que poderia ajudar os especialistas a entender mais sobre os planetas e até descobrir se os mundos são ou não habitados.

O Dr. Amaury Triaud, da Faculdade de Física e Astronomia da Universidade de Birmingham, acrescentou:

As observações de Hubble são de grande importância, pois nos informam sobre o ambiente irradiador dos planetas TRAPPIST-1, principalmente se eles podem permanecer habitáveis ​​por bilhões de anos, como a Terra. No entanto, algumas de nossas conclusões sobre a habitabilidade dos sete de TRAPPIST-1 são um pouco atenuadas pelo nosso conhecimento difuso sobre as massas dos planetas. Observações cruciais, capazes de refinar as massas planetárias, estão sendo obtidas enquanto escrevemos.

(Fonte)

O mais interessante é que há pouco mais de um mês os cientistas diziam ter perdido as esperanças do sistema Trappist-1 ter planetas que pudessem abrigar a vida. Isto mostra que, no fundo, nem os astrônomos realmente sabem o que é real lá fora no cosmos, e só dão “chutões” com base nos resultados dos estudos gerados pelos instrumentos que possuem em mãos naquele momento.

Mas o que mais se aproxima da verdade, independentemente de qualquer estudo científico conduzido por nós humanos que somos inclinados a errar, é o fato de que a existência de vida somente na Terra dentro da incalculável vastidão do Universo é uma impossibilidade matemática.

Veja abaixo outro artigo sobre o sistema Trappist-1, onde os cientistas são otimistas quanto a possibilidade de vida por lá, lembrando que Trappist-1 é somente um entre bilhões de sistemas estelares, e isto somente em nossa galáxia, a Via Láctea:

Sistema planetário TRAPPIST-1 tem mais possibilidades de vida do que a Terra, conclui estudo

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

"

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh