web analytics

Teletransportador biológico poderá semear a vida em nossa galáxia

Teletransportador biológico

“Temos sonhado por cerca de uma década, sobre a capacidade de enviar faxes de formas de vida”, diz Juan Enriquez, executivo da Excel Ventures, uma empresa de capital de risco, que imagina uma nova Revolução Industrial com o “conversor biológico-digital”, sigla DBC em inglês, como reportado pela Review Technology do Instituto de Tecnologia de Massachusetts – MIT.

Craig Venter, o biólogo renegado que fundou a Synthetic Genomics em 2005, mas já não tem um papel no dia-a-dia em suas atividades, disse que ele mesmo pensa que será possível transmitir formas de vida entre os planetas.

Isso poderia ajudar os futuros colonos marcianos, dando-lhes acesso às vacinas, antibióticos ou medicamentos personalizados que eles precisariam. E se a vida baseada em DNA for encontrada lá, uma versão digital poderia ser transmitida de volta à Terra, onde os cientistas poderiam recriar o organismo extraterrestre usando sua própria caixa de impressão de vida.

O protótipo atual, apoiado pela DARPA, pretende ser miniaturizado e vendido pela Synthetic Genomics para uso em hospitais, locais de trabalho e residências.

O protótipo atual pode produzir apenas DNA, não proteínas ou células vivas, mas mesmo isso pode ser suficiente para tornar o dispositivo prático. Seus pesquisadores acreditam que seu protótipo atual já é capaz de produzir DNA com precisão suficiente para ser usado como vacina.

Venter também vê uma versão de impressão de DNA do dispositivo ajudando com cuidados médicos mais regulares. O equipamento poderia imprimir o DNA que codifica a insulina hormonal tão importante para os diabéticos. Adicionando esse DNA a um kit de síntese de proteínas, uma ferramenta que é comum nos laboratórios de pesquisa em todo o mundo, produziria o tratamento para injeção. Venter também tem a crise de antibióticos em sua mira.

Olhando para a frente, Venter pretende que os equipamentos imprimam células vivas, usando uma versão automatizada e melhorada do processo por trás de sua célula sintética inovadora de 2010. Este trabalho está em andamento, com o foco em criar o que ele chama de “célula receptora universal”, um tipo de lousa biológica em branco, capaz de receber qualquer genoma sintético e ganhar vida.

Os cientistas de Venter também estão trabalhando em uma máquina chamada “unidade de envio de vida digitalizada” que sequenciaria roboticamente um genoma a partir de uma amostra e geraria um arquivo de DNA digital que então é enviado para um DBC para recriar a vida original em um novo local.

O primeiro teletransportador biológico está em um laboratório no andar mais baixo do prédio de San Diego que abriga a Synthetic Genomics Inc. (SGI), parecendo como um carrinho de equipamento super dimensionado. O dispositivo é realmente um conglomerado de pequenas máquinas e robôs de laboratório, ligados entre si para formar uma máquina grande. Mas este equipamento pode fazer algo sem precedentes: ele pode usar o código digital transmitido para imprimir vírus.

(Fonte)

Se nós já estamos prestes a fazer esta façanha, imagine então o que uma raça avançada de alienígenas seria capaz de fazer para semear o Universo com vida.

n3m3

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh