web analytics

EUA mostra poderio militar para Coréia do Norte, e Putim evacua região de fronteira com aquele país.

EUA mostra poderio militar

Foto fornecida pelo Ministério da Defesa da Coréia do Sul, mostrando ação de manobra militar entre aquele país e os EUA.

Depois da Coréia do Norte ter enviado um míssil com capacidade de armamento nuclear por sobre o Japão, a situação ficou ainda mais crítica no Oriente.

De acordo com a APNews:

Os Estados Unidos voaram alguns dos seus aviões de combate mais avançados em bombardeios com a Coréia do Sul aliada na quinta-feira (hoje, 31 de agosto de 2017), um claro aviso depois que a Coréia do Norte lançou um míssil balístico de médio alcance projetado para transportar bombas nucleares sobre o Japão no início desta semana, disseram os militares dos EUA e da Coréia do Sul.  A Coréia do Norte odeia tais exibições do poderio das forças armadas dos EUA tão próximas e provavelmente responderão com fúria.

Dois bombardeiros supersônicos dos EUA B-1B e quatro aviões de combate F-35B uniram-se a quatro caças sul-coreanos F-15 em exercícios de fogo vivo num campo militar no leste da Coréia do Sul, que simulavam ataques de precisão contra as “instalações principais” do Norte, de acordo com o Comando do Pacífico dos EUA e o Ministério da Defesa da Coréia do Sul. Os B-1Bs foram despachados da base da Força Aérea de Andersen na ilha de Guam, enquanto os F-35Bs vieram de uma base dos EUA em Iwakuni, Japão.

A Coréia do Norte, que afirma que Washington a ameaça há muito tempo ao exibir o poderoso arsenal nuclear dos EUA, descreve os B-1B de longo alcance como “bombardeiros estratégicos nucleares”, embora os Estados Unidos já não os armem com armas nucleares.

Uma forte reação da Coréia do Norte a essas manobras militares é quase certa.

As demonstrações militares de ambos os lados faz aumentar o risco das coisas ficarem piores enquanto cada lado procura mostrar que não será intimidado…

…O Comando do Pacífico dos EUA disse que os exercícios foram conduzidos em resposta ao recente lançamento de mísseis da Coréia do Norte. Ao longo de uma missão de 10 horas, os B-1Bs, F-35Bs e dois caças japoneses F-15 primeiro voaram juntos sobre as águas perto de Kyushu, Japão. Os aviões de guerra dos EUA e do sul da Coreia passaram pela península coreana e participaram do treinamento antes de retornarem às suas respectivas estações de origem, de acordo com o Comando do Pacífico. (Fonte)

E como se isto não bastasse, há notícias agora de que Vladimir Putim pediu a evacuação de sua fronteira com a Coréia do Norte:

Em meio à condenação verbal mundial dos mais recentes e mais preocupantes testes de mísseis da Coréia do Norte, as autoridades russas de defesa civil deram um passo sem precedentes para mover 1500 habitantes da cidade do Extremo Oriente, Vladivostok, longe da fronteira com a Coréia do Norte, para “áreas seguras”.

Após um lançamento anterior de mísseis que voou diretamente sobre a ilha japonesa de Hokkaido, o aumento dos níveis de ameaças e retórica do governo dos EUA contra o regime de Kim Jong-Il trouxe tensões na região a um nível não visto desde a Guerra da Coréia.

Embora a mobilização tenha sido descrita mais tarde como um “exercício de treinamento”, muitos no oeste estão questionando se esta é ou não uma simples prudência por parte dos russos, ou se suas agências de inteligência apanharam algo mais concreto em relação aos planos futuros dos EUA.

Apesar disso, a Rússia ainda mantém vínculos comerciais e políticos com Pyongyang e apenas no mês passado, realizou exercícios militares maciços envolvendo mais de 8000 soldados, 50 aeronaves e 3000 peças de hardware militar na região de Transbaikal, a cerca de 3000 milhas de sua fronteira terrestre de 24 milhas de extensão com a Coréia do Norte.

Uma ação anterior neste ano viu Putin enviar mais soldados para a fronteira norte-coreana em antecipação à uma ação futura.

Com as relações russas atualmente em um estado muito frágil depois que os EUA anunciaram recentemente sanções mais apertadas, a Rússia não exclui o uso da ação militar se forem aplicadas mais sanções.

O estado das relações EUA / Rússia é o principal fator na crise norte-coreana e com a ação em andamento na Síria, não poderia haver pior momento para lançar ainda mais combustível no fogo das tensões internacionais… (Fonte)

Como já mencionado anteriormente, o OH acompanha o desenrolar das notícias relacionadas à Coréia do Norte, pois o perigo de um conflito nuclear é real, e isto pode trazer a interferência de possíveis forças extraterrestres, como já foi declarado por muitos militares estadunidenses que dizem ter testemunhado OVNIs interferindo com testes e instalações nucleares.

Descubra porque os OVNIs têm desativado mísseis nucleares no mundo todo

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh