web analytics

Encontros com OVNIs na Nova Zelândia reafirmam a realidade do fenômeno

Encontros com OVNIs na Nova Zelândia

Arquivos-X da Nova Zelândia

Tal como anunciado em Wellington, pela France Press Agency, em 22 de dezembro de 2010, as forças armadas da Nova Zelândia liberaram centenas de relatórios sobre observações de objetos voadores não identificados. Um papel importante neste processo foi executado por Suzane Hansen, Presidente-fundadora da UFO Research, Support and Resource Network (UFOCUS NZ). Ela entrou em contato com o comandante do exército neozelandês, Tenente-General Jerry Mateparae, exigindo a liberação de documentos sob a lei da liberdade de informação.

Inicialmente, o general não concordou com o pedido, alegando que “isso exigiria um esforço substancial de agrupamento, pesquisa e consulta para identificar as informações que poderia ser liberadas ao público” e ele não estava em condições de fornecer o pessoal necessário, dado o fato que havia outras prioridades. No entanto, em dezembro de 2009, depois de quatorze meses de intensa comunicação entre as partes, O General Mataparae disse à Suzane Hansen havia começado a desclassificação.

 

 

Em 29 de janeiro de 2010, a decisão do Secretário de Defesa da Nova Zelândia sobre a publicação dos documentos secretos sobre OVNIs e extraterrestres foi anunciada oficialmente. Além disso, as forças armadas precisavam de uma pausa para remover os dados pessoais, nomes e outras informações de identificação dos arquivos hospedados nos Arquivos da Nova Zelândia, em conformidade com os requisitos legais. Os originais dos documentos continuarão a ser secretos, alguns até mesmo 2080.

Suzanne Hansen salientou que “os próprios arquivos da UFOCUS NZ contêm relatórios credíveis e detalhados sobre observações de OVNIs por pilotos, controladores de tráfego aéreo e pessoal militar da Nova Zelândia. Além disso, a organização mantém testemunhos importantes sobre observações de OVNIs, algumas datando de 1908 “. Ela estava convencida de que os documentos liberados os complementam de forma perfeita.

Entrevista de Suzanne Hansen UFO Copenhagen Setembro de 2015

Nova Zelândia segue um modelo adotado por vários países da OTAN: o Reino Unido, França, Suécia, Dinamarca, ou Canadá, bem como da América Latina: México, Chile, Peru, Brasil e Argentina.The país ilha é diferente dos EUA ou da Austrália, que são reservados quanto a isso.

Em cerca de 2000 páginas de documentos divulgados ao público, incluindo relatórios de 1954 a 2009, os cidadãos comuns, militares ou pilotos comerciais reportam estranhos encontros, a maioria deles envolvendo luzes viajando no céu noturno. Alguns dos relatos são acompanhados por discos voadores, descrições de alienígenas carregando “máscaras de Faraó”, ou supostas escritas de alienígenas. Os documentos provam que órgãos governamentais registraram tais relatórios muito cuidadosamente.

Talvez o mais completo arquivo refere-se às duas observações sobre estranhas luzes acima da cadeia montanhosa Kaikoura, no nordeste da Ilha do Sul. O primeiro incidente ocorreu em 21 de dezembro de 1978, quando a tripulação de um avião de carga pertencente à Safe Air Ltd notou durante um voo  uma série de estranhas luzes ao seu redor. As luzes vigiaram o avião por vários minutos, às vezes se apagando, e aparecendo em outro lugar. Os pilotos disseram que algumas das luzes eram do tamanho de uma casa, enquanto outras eram pequenas, mas ofuscante. Objetos também foram vistos no radar dos controladores de tráfego em Wellington, bem como pelo radar do avião.

Então, em 30 de dezembro de 1978, uma equipe de televisão australiana voando para a cidade de Christchurch também filmou luzes não identificadas. Novamente, elas foram rastreados no radar por controladores de tráfego aéreo em Wellington. Quando o avião decolou com a mesma equipe, indo para Blenheim, a uma altitude de 600 metros, um globo surgiu, se posicionando no topo de uma das asas e continuou a voar simultaneamente com o avião por cerca de um quarto de hora. Todo esse tempo foi filmado, observado e visto no radar. Comentários feitos por membros da mesma equipe de TV foram gravados em uma fita de áudio.

Houve uma onda de outras observações de OVNIs. A Força aérea até mesmo forneceu um avião pequeno para eventuais novas aparições. Houve uma colaboração entre a polícia e o Observatório Astronômico Carter, em Wellington. No entanto, de acordo com os documentos agora disponíveis, as explicações oficiais permanecem as mesmas: planetas, luzes de navios, trens, carros ou possivelmente meteoros.

(Fonte)

Este é somente mais alguns fatos, de inúmeros, confirmando a realidade dos OVNIs, a qual é descartada pelas autoridades que insultam a inteligência dos pilotos e de outras testemunhas com explicações absurdas.

O interessante é que esses encontros com OVNIs na Nova Zelândia são muito similares ao que é reportado por pilotos de todo mundo, inclusive brasileiros. Isto também faz lembrar a Noite Oficial dos OVNIs, que ocorreu no Brasil em maio de 1986:

A Noite Oficial dos OVNIs no Brasil é o evento mais bem documentado do tipo, mas ninguém fala a respeito

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

"

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh