web analytics

Pulsares podem ser parte de sistema de posicionamento galáctico de ETs, diz cientista

Pulsares sistema de posicionamento galáctico de ETs

Em 1967, os pesquisadores Jocelyn Bell Burnell e Antony Hewish descobriram uma anomalia astronômica: pulsos de ondas de rádio que repetiam a cada 1,33 segundos, provenientes do mesmo local no céu. Embora eles “não acreditavam realmente que tivéssemos captado sinais de outra civilização”, eles admitiram considerar a possibilidade, devido o fato de que os sinais eram diferentes de qualquer coisa já detectada antes – tanto assim que eles chamaram o sinal de LGM-1, um nome humorado para “little green man“, que significa “pequeno homem verde” em inglês.

Quando mais fontes pulsantes foram descobertas mais tarde, e  foi apresentado um “modelo de farol” totalmente natural explicando a anomalia como sendo uma estrela rotativa de nêutrons, a explicação da “civilização extraterrestre” foi verdadeiramente deixada bem para trás.

No entanto, o pesquisador belga Clément Vidal acredita que os motivos para descartar a hipótese envolvendo ETs não eram necessariamente inteiramente válidos, e talvez a ideia tivesse que ser revisada. Em um artigo intitulado  “Pulsar positioning system: A quest for evidence of extraterrestrial engineering“(Sistema de posicionamento Pulsar: uma busca por evidências de engenharia extraterrestre), ele apresenta vários elementos de como os pulsares poderiam ser usados ​​como balizas de navegação, assim como em décadas recentes o GPS se tornou onipresente para nossa própria navegação, e o que isso significa para as questões relacionadas ao SETI (Procura por Inteligência Extraterrestre), bem como ao nosso próprio futuro no espaço, tanto em termos de navegação quanto de comunicação:

A navegação baseada em pulsares de raios X (XNAV) é comparável ao GPS, exceto que ela opera em uma escala galáctica. Proponho um programa de pesquisa SETI-XNAV, para testar a hipótese de que este sistema de posicionamento pulsar possa ser uma instância de engenharia em escala galáctica por seres extraterrestres. O artigo começa com uma crítica da rejeição da hipótese extraterrestre quando os pulsares foram descobertos pela primeira vez, continua com alguns destaques na rica fenomenologia pulsar e sua utilidade para vários fins. A seção central propõe linhas de pesquisa para o SETI-XNAV, relacionadas aos itens: a distribuição e potência de pulsares na galáxia, sua população, sua evolução, possíveis sincronizações de pulso, usabilidade do pulsar ao navegar perto da velocidade da luz, decodificação de coordenadas galácticas, panspermia direcionada, e conteúdo de informações em pulsos. Mesmo que os pulsares sejam naturais, eles provavelmente serão usados ​​como padrões por IETs (Inteligências Extraterrestres) na galáxia. Um padrão de tempo e posicionamento galáctico comum tem conseqüências profundas para o SETI e o METI (Mensagem para Inteligência Extraterrestre). Discuto questões políticas potenciais, bem como benefícios para a humanidade, com o programa de pesquisa obtendo sucesso, ou não.

Vidal observa que, embora os pulsares “normais” tenham um período de pulso de 0,5 segundo em média, um pequeno subconjunto (cerca de 10% de todos os pulsares) tem um período entre 1,4ms e 30 ms (conhecido como “pulsares de raio X de milissegundo” (MSPs ). Estes últimos, pulsares de comprimento de onda curta são candidatos ideais para serem usados como um “sistema de posicionamento galáctico”, pois não só eles são detectáveis ​​com equipamentos pequenos e de baixo custo (em oposição a um prato de rádio de 20 + metros para pulsares normais), mas eles oferecem uma precisão inacreditável em relação às distâncias galácticas: “uma sonda poderia ir a qualquer lugar na galáxia, com uma precisão de 100m!”

Vidal também observa que a distribuição de MSPs no espaço “é isotrópica, enquanto os pulsares normais estão mais concentrados no plano galáctico”. Ele pergunta qual é a probabilidade de que isso aconteça naturalmente, e se essa distribuição espalhada seria possivelmente outra indicação do envolvimento de engenheiros extraterrestres.

Para resumir, este artigo chega a duas grandes conclusões, uma que se espera, e a outra incerta. Primeiro, todos os pulsares podem ser perfeitamente naturais, mas podemos razoavelmente esperar que as civilizações na galáxia os usem como padrões (seção 6). Ao estudar e usar o XNAV, também estamos potencialmente prontos para receber e enviar mensagens para a inteligência extraterrestre de uma maneira galacticamente significativa. De agora em diante, poderemos decifrar um primeiro nível de metadados de temporização e posicionamento em qualquer comunicação galáctica.

Em segundo lugar, o que permanece incerto é se o sistema de posicionamento pulsar é natural ou artificial. Apresentamos a busca SETI-XNAV para solucionar este problema. Ela se baseia em astronomia de pulsares, e navegação e ciência de posicionamento para fazer as previsões do SETI. Este projeto concreto baseia-se em um problema e necessidade universal: a navegação. Décadas de dados empíricos sobre pulsares estão disponíveis, e tenho 9 linhas propostas de pesquisa para iniciar o empreendimento (seção 5). Estas incluem previsões sobre a distribuição espacial e de poder dos pulsares na galáxia, sua população, suas faixas evolutivas, possível sincronização entre os pulsares, testando a navegabilidade perto da velocidade da luz, decodificando as coordenadas galácticas, testando várias hipóteses de panspermia direcionadas, bem como a decodificação  de metadados ou mais informações sobre os pulsos dos pulsares.

Para os críticos da proposta de que os pulsares possam ser faróis de navegação, Vidal pede-lhes que imaginem que encontramos dispositivos raros de controle de tempo bem distribuídos em torno de Marte, transmitindo informações que poderiam ser facilmente usadas como um ‘Sistema de Posicionamento em Marte’. “Não seríamos obrigados”, ele pergunta, “a explorar a hipótese de que a inteligência extraterrestre está em jogo? Essa é exatamente a situação atual com os pulsares de milissegundos, mas em uma escala galáctica”.

E, de qualquer forma, ele observa que mesmo que os pulsares sejam inteiramente naturais, eles ainda podem ser usados ​​como faróis de navegação por pelo menos uma espécie: nós. Com inúmeras missões científicas propostas para enviar sondas, não só em todo o nosso sistema solar, mas também além – como o ‘Breakthrough Starshot‘ do bilionário russo Yuri Milner para enviar uma sondagem até Alpha Centauri – o que a navegação espacial precisa é de um tópico importante para a nova era de viagem espacial. E os pulsares, ele observa, “são atualmente a melhor opção para navegar no sistema solar e na galáxia com alta precisão”, e assim o tema é definitivamente digno de pesquisas futuras.

(Fonte)

Muito bom que há cientistas com mentes abertas, não atrelados à tendência predominante e corporativa, embora sejam poucos.

E enquanto isto, o instituto SETI diz que agora teremos mais chances de encontrarmos extraterrestres:

Instituto SETI diz que agora terá grande chance de encontrar extraterrestres

n3m3

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh