web analytics

Suposta estrutura alienígena ficou ainda mais misteriosa

Há alguns meses, uma estrela pouco conhecida, chamada de KIC 8462852, ou Estrela  Tabby, se tornou nossa obsessão quando astrônomos disseram que sua luz errática poderia ser o resultado de uma megaestrutura alienígena. Maiores observações da Estrela Tabby não revelou sinais de alienígenas, mas a repentina queda em luminosidade continua e desafiar uma explicação. Agora, as coisas ficaram ainda mais estranhas.

Num trabalho publicado anteontem (06/8) no arXiv, o astrônomos da Caltech, Ben Montet, e Joshua Simon do Instituto Carnagie descreveram os resultados de novas análises fotométricas da Estrela Tabby.

Ao examinarem cuidadosamente imagens de quadro cheio coletadas durante a campanha de observação do telescópio Kepler, Montet e Simon descobriram algo impressionante: A luz da estrela não somente diminuía ocasionalmente por até 20%, mas seu fluxo estelar total diminuiu continuamente ao longo de quatro anos.

Estrela-TabbyPara os primeiros 1000 dias da campanha Kepler, a estrela Tabby decresceu sua luminosidade por aproximadamente 0,34 por cento ao ano. Pelos próximos 200 dias, a estrela diminuiu sua luminosidade mais rapidamente.  Seu fluxo estelar total caiu por 2%, antes de estabilizar. Em geral, a estrela Tabby diminuiu seu brilho por aproximadamente 3% durante os quatros que o Kepler a observou – uma quantidade absolutamente enorme e inexplicável.  Os astrônomos observaram 500 outras estrelas na vizinhança, e não viram nada similar.

“A parte que realmente me surpreendeu foi o quão rápido e não linear isso foi”, disse Montet ao Gizmodo. “Despendemos um longo tempo tentando nos convencer
que isto não era real. Não fomos capazes.”

A fotometria da KIC 8462852, como medida dos dados do Kepler. A análise revela uma lenta mas firme diminuição da luminosidade da estrela por aproximdamente 1000 dias, seguida por um período de declínio mais rápido. Imagem: Montet & Simon 2016.

A fotometria da KIC 8462852, como medida dos dados do Kepler. A análise revela uma lenta mas firme diminuição da luminosidade da estrela por aproximdamente 1000 dias, seguida por um período de declínio mais rápido. Imagem: Montet & Simon 2016.

Esta não foi a primeira vez que astrônomos alegaram que a Estrela Tabby está perdendo seu brilho. No início deste ano, Bradley Shcaefer da Universidade de Louisiana decidiu examinar as velhas chapas fotográficas do céu, datando do século XIX. Ele descobriu que, ao longo de 100 anos, a luz total da estrela diminuiu pelo enorme percentual de 19%.  Mas logo após publicar suas descobertas, outros astrônomos começaram a criticar, dizendo que a diminuição observada havia sido o resultado de dados defeituosos. Schaefer insistiu e as coisas ficaram um tanto feias.

A controversa sobre o trabalho de Schaefer foi o que induziu Montet a olhar por tendências de longo período de outra forma. “Percebemos que, para clarificarmos isto, você precisa, ou uma longa linha de base, ou dados de alta precisão”, disse Motet. “Kepler possui a última das duas maneiras”, Montet adicionou que a taxa de diminuição que ele mediu nos dados do Kepler é de aproximadamente duas vezes ao que Schaefer descobriu, que “é diferente, mas não necessariamente inconsistente.”

“Nenhum dos fenômenos considerados pode explicar por si mesmos as observações.”

Jason Wright, astrônomo da Penn State que primeiramente sugeriu que a Estrela Tabby poderia ser o local de um vasto projeto de construção alienígena, concordou que a nova análise fornece credibilidade às alegações de Schaefer sobre a diminuição ocorrendo ao longo de um século. “O novo trabalho declara, e eu concordo, que não temos quaisquer modelos que sejam bons para este tipo de comportamento”, disse ele. “Isto é excitante!”

Keivan Stassum, um astrônomo da Vanderbilt que discordou da ideia da diminuição a longo prazo, disse que a Estrela Tabby continua a desafiar as explicações. “As intrigantes novas descobertas [de Montet] sugerem que nenhum dos fenômenos considerados podem por si sós explicar as observações. No final, resolver este quebra-cabeças pode requerer a contabilização de uma combinação de efeitos.”

Algumas das explicações mais incríveis até hoje incluem um ‘enxame’ de fragmentos de cometas, o efeito de uma estrela destorcida, ou os restos de um planeta destroçado. Como Motet diz, “nada explica tudo de forma adequada.”

O que está claro é que não conseguiremos resolver este mistério até conseguirmos uma melhor observação desta estrela, o que é exatamente o que Tabby Boyajian – a astrônoma que descobriu a estrela – está se preparando para fazer.

Seguindo uma campanha de crowdfunding de sucesso para conseguir tempo na Rede de Telescópios Globais de Las Cumbres, Boyajian irá observar a estrela que tem seu nome por um ano todo, com a esperança de capturá-la no ato da perda de seu brilho. Se isso acontecer, outros telescópios ao redor do mundo serão alertados e rapidamente mobilizados. Seremos capazes de assistir a estrela piscar para nós por todo o espectro eletromagnético e, esperançosamente, decodificarmos esta mensagem.

n3m3

Fontegizmodo.com

Colaboração: Jeff Bisotto

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh