web analytics

Esta bactéria ama mais a Estação Espacial do que a Terra

bacteria-585x306O astronauta Scott Kelly diz ter gostado de viver na Estação Espacial Internacional (sigla em inglês – ISS) por quase um ano, mas os testes de volta à Terra mostram que seu corpo discorda de sua declaração.  Mas este não é o caso com uma bactéria que na verdade prospera dentro da ISS.  Seria ainda muito cedo para fazer um filme sobre isto?

O Projeto MERCCURI (Microbial Ecology Research Combining Citizen and University Researchers on ISS) é o trabalho da Universidade da Califórnia, e uma ação um tanto anormal entre organizações científicas e públicas, inclusive a Science Cheerleader – que é um grupo de cheerleaders (animadoras de torcidas) antigas e atuais que estão tentando seguir uma carreira em ciência e matemática.

cheerleaders-2-570x339

Science Cheerleaders

O Projeto MERCCURI envolve o envio de 48 tipos diferentes de bactérias terrestres à ISS, para ver como elas crescem sob as condições da estação espacial.  De acordo com o Dr. David Coil, microbiólogo da Universidade da Califórnia em Davis e autor do estudo publicado no PeerJ, as cheerleaders tiveram um pronto acesso à uma variedade de bactérias, devido ao fato de trabalharem em lugares com armários de vestiários, os quais são bem parecidos com a ISS.

O ambiente morno, úmido e rico em oxigênio da ISS é bem diferente do vácuo do espaço.

Após um período de tempo na ISS, 47 das 48 bactérias provaram que o Dr. Coil estava certo, pois se comportaram exatamente como elas teriam se comportado aqui na Terra no piso de um chuveiro, ou dentro de um tênis fedorendo.

A exceção foi o micróbio chamado de Bacillus safensis, que cresceu 60% mais no espaço do que na Terra.  Se esse nome for familiar, B. safensis foi primeiramente descoberto na espaçonave e nas superfícies de montagem do Centro Espacial Kennedy na Flórida, e no Laboratório de Propulsão Espacial da NASA, na Califórnia.  Infelizmente, estas bactérias foram descobertas após os jipe sondas, que foram expostas a ela, terem sido enviados a Marte em 2008. (Olha aqui a perfeita desculpa da NASA para alegar que a vida microbiana encontrada em Marte veio da Terra com os jipes-sonda.)

O destino da B. safensis possivelmente enviada à Marte é desconhecido.  A causa de seu crescimento anormal dentro da estação espacial está sendo estudada, como também está sendo seu genoma sequencial, que foi recentemente determinado.

O Dr. Coil explica o porquê:

“A compreensão de como os micróbios se comportam em microgravidade é criticamente importante para o planejamento de voos espaciais tripulados de longa duração, e também tem a possibilidade de fornecer novas visões de como estes micróbios se comportam em ambientes construídos por humanos na Terra.”

n3m3

Fontemysteriousuniverse.org

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh