web analytics

Cargueiro espacial Progress continua caindo em direção à Terra


A nave russa Progress M-27M continua em queda e nos últimos dias já baixou quase 10 km desde que ficou fora de controle no último dia 28. De acordo com o site parceiro Satview.org, a nave deve explodir na atmosfera entre os dias 8 e 10 de maio.

Previsao de queda da Progress
Clique para ampliar
Segundo o Satview, a Progress está agora em uma órbita elíptica menos achatada, de 247×183 (247 km de apogeu e 183 km de perigeu), contra 259×187 observados no último dia 29. Esse “arredondamento” da orbita pode indicar alguma tentativa automática de estabilização, mas sem sinais de telemetria isso não pode ser aferido.

Com a perda de controle da nave confirmada pela agência espacial russa, a queda da Progress é apenas uma questão de tempo.

O cálculo da evolução orbital realizado pelo Satview prevê que em cerca de 10 dias a nave deve baixar muito e atingir o ponto de ruptura entre 120 e 140 km de altitude, quando queimará durante a reentrada na atmosfera da Terra.

“Ainda não é possível afirmar com exatidão o dia da queda, mas a data mais provável é que seja entre 9 e 10 de maio, com mais chance de ser no dia 10”, afirma Rogério Leite, diretor dos sites Apolo11.com e Satview.org, especializado em acompanhamento de satélites.

Segundo Leite, a atividade solar é fator determinante para a previsão da reentrada. “O fluxo solar modifica tremendamente a densidade das camadas mais altas da atmosfera, aumentando ou diminuindo o arrasto sobre a Progress. Por enquanto, a atividade solar está calma e a previsão tem mais chances de estar certa”, explicou.

Pelo último boletim divulgado na manhã de sexta-feira, a Progress M-27M deve entrar na atmosfera às 16h40 BRT do dia 9 de maio, acima do oceano Índico a sudoeste da Indonésia. No entanto, o modelo de evolução orbital indica que a cada dia o momento da queda atrasa em algumas horas, o que pode adiar ligeiramente o instante da reentrada.
Pode cair no Brasil?
Sim, a Progress M-27M pode cair em nosso país.

Devido à inclinação da órbita, a Progress pode cair em qualquer região da Terra localizada entre as latitudes 51.6 graus ao norte ou sul equador. Isso exclui as regiões acima do extremo norte da Europa e Canadá, Alasca, Groenlândia, extremo sul da América do Sul e Antártica. Por outro lado, inclui a parte mais populosa do planeta.

A massa total da Progress é de 7.3 toneladas, que serão consumidas em uma gigantesca bola de fogo ao penetrar na atmosfera. No entanto, peças maiores podem resistir ao calor e chegarem à superfície intactas.
Girando e Caindo
A Progress M-27M (identificada pela NASA como Progress 59 ou 59P) foi lançada com sucesso a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, no dia 28 de abril de 2015, as 07h09 UTC de terça-feira (04h09 pelo horário de Brasília BRT).

O objetivo era levar 4.7 toneladas de suprimentos à Estação Espacial Internacional, ISS, incluindo 2375 quilos de combustível.

Logo após a separação do terceiro estágio do foguete propulsor um problema ainda não identificado impediu que os controladores de voo recebessem sinais vitais da espaçonave, além de não poderem determinar se as antenas de navegação haviam sido abertas.

Após isso, diversas tentativas de comunicação com a nave foram realizadas, mas não surtiram efeito. De acordo com a Roscosmos, a agência espacial russa, a nave está sem controle e a missão foi abortada.

SATVIEW – Clique aqui para Rastrear a Progress
 Apolo11.com – Todos os direitos reservados

Termos recém pesquisados por leitores:

Loading...

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh