web analytics

Objetos Voadores Não Identificados: A realidade, o acobertamento e a verdade – Parte I

O seguinte artigo, que está sendo apresentado aqui no OH em duas partes, foi escrito por John Black e publicado no site ancient-origins.netEste é um artigo que vale a pena ser lido, especialmente por aqueles que insistem não haver provas concretas sobre o fenômeno dos OVNIs.  Aqui é demonstrado de forma objetiva, que só não aceita que eles existem, quem não quer exergar.

Compilação de fotos, crédito: http://www.ancient-origins.net/ John Black

Objetos Voadores Não Identificados, ou OVNIs como são comumente conhecidos, têm sido testemunhados por milhões de pessoas em todo o mundo e registrados em livros de história, mitos lendas e tradições por milhares de anos.  Porém, muitos dos relatos que são registrados em textos antigos são descartados como sendo meros mitos e lendas, enquanto os avistamentos de OVNIs que ocorreram nos últimos séculos têm sido classificados como más interpretações de fenômenos naturais, ilusões ou teorias da conspiração.

A história tem mostrado repetidas vezes que uma gama dos assim chamados mitos têm sua base na realidade.  É possível, e deveras provável, que as histórias e lendas eram uma forma das pessoas explicarem eventos reais – e talvez complicados – usando o conhecimento e as crenças de suas épocas.  Em apoio à esta teoria, um número de eventos descritos na mitologia, que foram uma vez considerados meros contos de fadas, foram agora provados, através da arqueologia, que realmente ocorreram.  Um famoso exemplo é a cidade de Tróia, que é tema central da ‘Ilíada’ de Homero.  Por muito tempo considerada um mito, a descoberta de um local real em 1869, por Heinrich Schliemann, a colocou na história.  Mesmo assim, um trecho da Ilíada ainda é visto como mito e fantasia, sem qualquer tentativa séria de se investigar o fato de haver uma verdade por detrás do conto.  O mesmo ocorre com as ‘máquinas voadoras’, das quais encontramos referência em inúmeras mitologias e em muitas culturas ao redor do mundo.

Muitas culturas possuem registros escritos e em gravuras de ‘máquinas voadoras’, todavia estes registros são descartados como mitos ou lendas. (Wikimedia Commons)

É comum vermos pessoas seletivamente decidirem o que é real e o que não é, e tudo feito em cima de suposições não substanciadas de que os povos antigos eram primitivos e tinham pouco ou nenhum conhecimento, quando comparados conosco hoje.  Ao contrário, muitas civilizações antigas, como a dos sumérios, do Vale do Indo e dos egípcios, contavam com uma estrutura social complexa, sistemas jurídicos, artes, astronomia, matemática e tecnologia, sendo que alguns desses itens ainda não são totalmente compreendidos hoje.  O Mecanismo de Antikythera, por exemplo, é um dispositovo mecânico de 2.200 anos de idade que ainda não é completamente compreendido, apesar de décadas de pesquisa por cientistas renomados ao redor do mundo.

A teoria do ‘Astronauta da Antiguidade’

O tópico dos objetos voadores e seres sobrenaturais de fora de nosso mundo é um que encontramos múltiplas referências na mitologia.  Todos estes mitos e lendas, juntos com evidências arqueológicas, tais como representações artísticas em rochas, têm criado uma onda de teorias que deram nascimento à perspectiva do ‘Astronauta da Antiguidade’, a qual liga todas estas referências e representações antigas de OVNIs e propõe que extraterrestres visitaram a Terra e fizeram contato com os humanos da antiguidade e da pré-história, influenciando assim o desenvolvimento das culturas, tecnologias e religiões humanas.

Infelizmente, há muitos charlatões que têm tentado lucrar com este movimento, ou que o diminuíram com caricaturas de pequenos homens verdes, fazendo com que esta perspectiva do antigo astronauta seja amplamente criticada e atacada, devido a falta de credibilidade.  Consequentemente, o que é de fato uma explicação plausível e possível para o que vemos na arte e nos textos antigos, agora são raramente examinados por acadêmicos, os quais temem ser ridicularizados ou terem suas carreiras profissionais danificadas.

OVNIs na arte: “Battesimo di Cristo” 1710; Fitzwilliam Museum, Cambridge (Wikimedia Commons)

 

Avistamentos de OVNIs na história recente

Mas vamos deixar a antiguidade de lado por enquanto e examinar somente os últimos 80 anos da história humana.  Milhões de pessoas, por todo o globo, têm testemunhado objetos voadores não identificados.  Muitos têm sido registrados em relatórios detalhados por policiais, pilotos, astronautas, autoridades governamentais, militares e, é claro, cidadãos comuns.  Alguns dos mais bem conhecidos casos foram testemunhados por milhares de pessoas de uma só vez.  Registros históricos tornam evidente que as aparições de OVNIs aumentaram durante e após a Segunda Guerra Mundial, inclusive com o exemplo dos famosos ‘Foo Fighters‘.

Apesar da maioria dos avistamentos poderem ser explicados como fenômenos celestes, aeronaves, planetas, fenômenos climáticos, exercícios militares, ou em alguns casos, usos de drogas e instabilidade mental, ainda há uma pequena porcentagem que não pode ser explicada como sendo qualquer uma dessas explicações.  Isto é o que dá importância ao fenômeno para que ele não seja ignorado, particularmente considerando-se que os avistamentos são frequentemente relatados em bases militares e assim, no mínimo, são uma questão tanto de segurança nacional quanto de segurança de voo.

É fato inegável que há casos de objetos voadores em nossos céus.  Isto tem sido reconhecido pela maioria dos governos de todo o mundo, simplesmente através do fato de que pesquisas oficiais têm sido conduzidas sobre o assunto nos EUA, Reino Unido, Rússia, Europa, China, América do Sul, etc.  Todas estas pesquisas, em todos os casos, concluíram que há um percentual do fenômeno que não pode ser explicado.

Na década passada, muitos países liberaram os arquivos secretos de suas pesquisas sobre OVNIs, liberando milhares de documentos através do Ato de Liberdade de Informação e tornando numerosos casos de OVNIs disponíveis para o domínio público.  Um documento recentemente liberado dos arquivos de OVNIs britânicos, revela como Winston Churchill, preocupado sobre o assunto OVNI, ordenou a ocultação das informações por pelo menos 50 anos, a fim de prevenir pânico em massa e potencialmente prejudicar as crenças religiosas.  O documento em questão também foi publicado no site da BBC News em 2010.

Através de pesquisas cuidadosas sobre o assunto, deixando de lado as óbvias histórias forjadas e fraudes, fica claro que os objetos voadores não identificados existem.  Assim, a questão não é se eles existem ou não, mas sim, o que são eles?  São eles de origem terrestre ou extraterrestre?  Qual é o seu propósito?

 

Os OVNIs e os limites da ciência

Muitos cientistas proeminentes já declararam que outras civilizações devem existir no Universo, e que seria estatisticamente impossível desse não ser o caso.  Porém, com o nosso conhecimento da ciência e tecnologia de hoje, não temos ainda meios para a viagem interestelar e já que não descobrimos ainda vida inteligente em nosso sistema solar, supõe-se que não exista uma forma dos extraterrestres viajarem até a Terra.  Porém, este argumento é claramente falho, porque ele é baseado numa estrutura dentro de nossa compreensão do Universo, e assim não leva em consideração as capacidades de civilizações que possam estar milhões de anos à nossa frente.  Esta alegação é apoiada nas seguintes suposições:

  1. Já sabemos tudo sobre a física e a realidade, assim não há nenhuma forma de que tal viagem distante possa ser conseguida.
  2. Estamos usando nossos meios para tentar contactar outras civilizações (por exemplo: as tentativas do SETI de captar sinais de rádio) e já que não percebemos quaisquer sinas do NOSSO tipo, nada deve existir lá fora.
  3. Estamos procurando por formas orgânicas de vida, exatamente como a nossa, e por planetas com as mesmas condições do nosso.

Está claro que estes argumentos mostram a arrogância da raça humana, uma raça que pode ser somente um bebê no Universo.  E isto não é nada novo.  Durante a história da humanidade, em todos os períodos, acreditávamos que sabíamos de toda a verdade, somente para tê-la substituída mais tarde por novo ‘conhecimento’.

Não há mais nada de novo para ser descoberto dentro da física agora.  Tudo que permanece são medições mais e mais precisas

– Lord Kelvin, 1901, physicist

A física quântica, ainda um campo da ciência relativamente novo e inexplorado, tem mostrado que a realidade pode ser completamente diferente daquilo que acreditamos que ela seja.  Telescópios poderosos têm mostrado planetas distantes em sistemas solares que poderiam possivelmente sustentar a vida.  As teorias dos ‘buracos de minhoca’ e dos motores de dobra espacial têm mostrado que, a nível teórico, a viagem interestelar pode ser alcançada.

“Agora parece muito claro que a Terra não é o único planeta habitado.  Há evidência de que grande parte das estrelas no céu possui sistemas planetários.  Recentes pesquisas referentes à origem da vida na Terra sugerem que os processos físicos e químicos que levaram à origem da vida podem ocorrer rapidamente na história inicial da maioria dos planetas dentro da nossa galáxia, a Via Láctea; talvez milhões deles sejam habitados por civilizações tecnológicas mais avançadas do que a nossa.  O voo interestelar está além das nossas capacidades tecnológicas atuais, mas não parece haver nenhuma objeção física fundamental para eliminar, do nosso próprio ponto de vista, a possibilidade de seu desenvolvimento por outras civilizações.”

– Carl Sagan, Ph.D. (Saudoso Professor de Astronomia e Ciências Espaciais da Universidade Cornell, EUA)

Relutância em falar sobre o assunto OVNI

A razão porque a comunidade científica não está considerando seriamente os OVNIs é devido ao fato do tópico ter sido extensivamente ridicularizado pela imprensa e nos círculos acadêmicos, com falsas informações sendo alastrados por todos os lugares.  Por razões similares, militares, astronautas, pilotos e outras categorias de profissionais não querem falar porque, ou estão sendo forçado a assinar acordos de confidencialidade, ou receiam que suas carreiras possam ser destruídas. É por isto que temos muitos exemplos de ‘confissões na cama de morte’ (pessoas que sabem que estão prestes a morrer e confessam seus conhecimentos).

Um desse casos foi o do astronauta Gordon Cooper, que contou ao mundo sobre sua experiência de encontro com um OVNI durante seu voo na cápsula do projeto Mercúrio, em 1963.  Antes de morrer, ele declarou: “Por muitos anos eu tenho vivido com um segredo, o qual foi imposto em todos os especialistas em astronáutica.  Eu agora posso revelar que todos os dias, nos EUA, nossos radares captam objetos de formato e composição desconhecidos por nós.

Apesar de grandes esforços terem sido feitos para ridicularizar e menosprezar qualquer um que tente apoiar a existência dos OVNIs, o fato permanece de que há numerosos casos muito conhecidos, os quais contam com o apoio de evidência sólida e não deveriam ser descartados…

– John Black

-Final da parte I –

Na segunda parte deste importante artigo, veja alguns dos casos mais conhecidos da nossa época.  Acesse clicando aqui: Parte II

n3m3

Fonte: ancient-origins.net

Colaboração: M3NIS

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh