web analytics

Mistério das rochas deslizantes do Vale da Morte é desvendado

O artigo abaixo não tem nada a ver com o nosso tema, mas é sempre bom saber estas informações:

Centenas de trilhas misteriosas tem sido encontradas no Vale da Morte, na Califórnia, EUA.  Há, quase sempre, uma rocha no final das trilhas, mas nunca ninguém viu uma rocha deslizar nesta superfície.  O que ocorre?  Várias décadas de especulações alegavam várias teorias.

Agora, pela primeira vez, pesquisadores observaram as rochas deslizantes em ação.  Finalmente, sob as condições certas, finas camadas de gelo, sopradas por ventos leves, empurram as rochas por sobre o lago seco.  O trabalho, que foi apelidado de ‘o trabalho mais monótono já executado‘, foi publicado no site PLoS ONE.

Durante o inverno de 2011, uma equipe liderada por Richard Norris do Instituto de Oceanografia Scripp, levou 15 rochas equipadas com unidades de GPS ativadas por movimento e as monitoraram com  a ajuda de uma estação climática de alta resolução e câmeras de ‘time-lapse‘, supervisionando a parte sudeste do local.

Pensávamos que teríamos que esperar cinco ou dez anos sem nenhum movimento“, disse Norris numa liberação de imprensa, “mas somente em dois anos no projeto, aconteceu de estarmos lá na hora certa para ver isso acontecer em pessoa“.  Na viagem de dezembro de 2013, o local estava coberto de água represada, com aproximadamente 7 centímetros de profundidade. “Em 21 de dezembro de 2013, ocorreu uma quebra no gelo por volta do meio-dia, com ruídos vindos de toda a superfície represada“, lembra Norris.  Logo após, as rochas começaram a se mover.

Para que as rochas se movam é necessário uma sequência de eventos, eles descobriram.  Primeiro, o local é inundado com água, com profundidade suficiente para forma gelo durante o inverno — mas raso o suficiente para deixar as rochas expostas.  Quando a temperatura cai à noite, finas placas de gelo se formam.  De três a seis milímetros é a espessura suficiente para mover livremente e manter a força. Então, nas manhãs ensolaradas, o gelo que cobre a enorme poça começa a derreter, quebrando o gelo em painéis que se movem pelo local com vento fraco de até cinco metros por segundo.  O gelo que boia empurra as rochas para frente deles à velocidades quase imperceptíveis de até cinco metros por minuto, ao longo das trajetórias determinadas pelo vento e pela água fluindo abaixo, deixando assim trilhas na lama macia abaixo.

Veja abaixo uma das rochas e a trilha deixada por ela:

E assim, fica desvendado o mistério das rochas que caminham.

n3m3

Fonte: www.iflscience.com

Colaboração: Fernando Ramos

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh