web analytics

Sistema de propulsão ‘impossível’ pode funcionar, sugere teste da NASA

Credito: NASA/Glenn Research Center

Começa a parecer que a tecnologia de propulsão espacial ‘impossível’ na verdade funciona.

Pesquisadores do Johnson Space Center da NASA, em Houston, descobriram que um sistema de propulsão de micro ondas, que não requer nenhum propelente, realmente gera uma pequena quantidade de empuxo, reportou o Wired UK em 31 de julho passado.  Se a tecnologia realmente funcionar, ela poderá tornar o voo espacial muito mais barato e muito mais rápido, potencialmente abrindo o cosmos para a exploração, dizem seus defensores.

Os resultados dos testes indicam que o projeto de propelente ressonante de cavidade por rádio frequência (RF), que é um sistema de propulsão elétrico único, está produzindo uma força que não é atribuível ao fenômeno eletromagnético clássico e, assim, está demonstrando potencialmente uma interação com o plasma virtual quântico do vácuo“, escreveu a equipe da NASA em seu estudo, o qual foi apresentado em 30 de julho, no 50ª Conferência de Propulsão em Cleveland.

As raízes do sistema de propulsão testado pela equipe da NASA vão até um pesquisador britânico chamado Roger Shawyer, o qual alega que o que ele chama de “EmDrive” gera empuxo através de jatos de micro ondas em uma câmara.  Não há a necessidade de um propelente, pois a força solar pode ser usada para produzir micro ondas.

Shawyer diz que sua companhia, a Satellite Propulsion Research Ltd., testou com sucesso versões experimentais do sistema de propulsão.  Mas muitos cientistas tinham descartado ou menosprezado tais alegações, dizendo que o sistema de propulsão viola a lei da conservação do momento físico.

Porém, em 2012, uma equipe de pesquisadores chineses construíram sua própria versão do sistema e descobriram que ele realmente funciona, gerando empuxo suficiente para um satélite.  Então, um cientista estadunidense chamado Guido Fetta construiu seu próprio aparelho, o qual ele chama de “Cannae Drive“, e convenceu a equipe da NASA – a qual conta com o pesquisador de ‘motor de dobra’ Sonny White – a testar o sistema.  E foi exatamente isso que fizeram durante oito dias em agosto de 2013.

Os cientistas da NASA determinaram que o Cannae Drive produz de 30 a 50 micronewtons de empuxo – menos do que 0,1 por cento do que foi medido pela equipe chinesa, mas mesmo assim sugerindo que a tecnologia funciona.

O sistema de propulsão funciona através da coleta de partículas subatômicas que continuamente nascem e morrem no espaço, sugeriram os pesquisadores da NASA.  Os resultados e a tecnologia prometem o suficiente para que maiores pesquisas sejam feitas, a equipe escreveu no estudo.

Planos para futuro testes incluem verificações independentes e validações em outras instalações de testes“, escreveram os pesquisadores.

Você pode ler o resumo em inglês do trabalho feito pela equipe da NASA no seguinte link:  http://ntrs.nasa.gov/search.jsp?R=20140006052

n3m3

Fontewww.space.com

Colaboração: G33k, Gilmar Júnior, Brender Anjos dos Santos, Josemir Fortunato, Marcelo Manhães de Amorim

Termos recém pesquisados por leitores:

ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprio autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.

Ad Blocker Detectado

Olá leitor. O OVNI Hoje depende dos anúncios aqui publicados para que seja possível pagar sua hospedagem e trazer notícias a você de forma gratuita. Por favor, considere nos apoiar desabilitando o seu bloqueador de anúncios. Obrigado

Refresh