Civilizações extraterrestres avançadas: suas tecnologias e capacidades

Ilustração de como poderia ser uma cidade alienígena com tecnologia avançada.

Ilustração de como poderia ser uma cidade alienígena com tecnologia avançada.

Há muito tempo, Arthur C. Clarke escreveu: “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível de mágica“.

Neste artigo, damos uma olhada no que poderia estar lá fora e que tipo de tecnologia avançada eles poderia possuir.

Logo, a humanidade poderá enfrentar um choque existencial, pois a lista de dezenas de planetas extra-solares do tamanho de Júpiter cresce para centenas de planetas do tamanho da Terra, quase gêmeos idênticos de nossa vizinhança celestial.  Isto pode trazer uma nova era de nossa relação com o universo: nunca veremos o céu noturno da mesma forma novamente, percebendo que os cientistas podem finalmente compilar uma enciclopédia identificando as coordenadas precisas de talvez centenas de planetas como a Terra“, disse Michio Kaku.

Nesses planetas parecidos com a Terra, podem haver seres vivos similares a nós, ou talvez totalmente diferentes, e talvez até anos luz à nossa frente em tecnologia.  Assim, naturalmente poderíamos imaginar o quão avançada a física de civilizações extraterrestres poderia ser.

Vários cientistas, entre eles o Dr. Michio Kaku, têm debatido como classificar as civilizações extraterrestres.

Embora seja impossível prever as características precisas de tal civilização avançada, sua linhas gerais amplas podem ser analisadas pelo uso das leis da física.  Irrelevantemente de quantos milhões de anos nos separam deles, eles ainda devem obedecer as leis da física, que agora são avançadas o suficiente para explicar tudo, desde partículas subatômicas, até as estruturas de larga escala do universo, através de 43 incríveis ordens de magnitude“, disse o Dr. Kaku.

Especificamente, podemos classificar as civilizações por seu consumo geral de energia, usando os seguintes princípios:

  1. As leis da termodinâmica.  Até as civilizações mais avançadas estão sujeitas às leis da termodinâmica, especialmente à Segunda Lei, e podem assim ser classificadas pela energia ao seu dispor.
  2. As leis da matéria estável.  A matéria Bariônica, que é baseada em prótons e nêutrons, tende a se agrupar em três grandes grupos: planetas, estrelas e galáxias. (Isto está bem definido pelo produto da evolução estelar e galáctica, pela fusão termonuclear, etc.)  Assim, a energia dessas civilizações também será baseada em três distintos tipos, e isso coloca limites superiores em sua taxa de consumo de energia.
  3. As leis da evolução planetária. Qualquer civilização avançada deve aumentar seu consumo de energia mais rapidamente do que a frequência das catástrofes que ameaçam a vida (por exemplo: impactos de meteoros, idades do gelo, explosões de supernovas, etc.)  Se elas crescerem mais lentamente, elas estão destinadas à extinção.  Isto coloca os limites matemáticos mais baixos na taxa de crescimento destas civilizações.

Num documento seminal, publicado em 1964 no Jornal de Astronomia Soviética, o astrofísico russo, Nicolai Kardashev, teorizou que civilizações avançadas devem assim estar agrupadas de acordo com três tipos: Tipo I, II, e III, as quais têm dominado as formas de energia planetária, estelar e galáctica, respectivamente.

Ele calculou que o consumo de energia destes três tipos de civilizações estaria separado por um fator de muitos bilhões.

Don Goldsmith, um astrônomo de Berkeley, nos lembra que a Terra recebe aproximadamente um bilionésimo da energia solar, e que os humanos utilizam aproximadamente um milionésimo disso.  Assim, consumimos aproximadamente um milionésimo de bilionésimos da energia total do Sol.

Atualmente, a produção de energia de todo o nosso planeta é de aproximadamente 10 bilhões de bilhões de ergs por segundo.  Mas o nosso crescimento energético está crescendo exponencialmente, e assim podemos calcular quanto tempo levará para alcançarmos o status de Tipo II e III.

Goldsmith diz: “Veja o quanto aumentamos nossos usos de energia, uma vez que descobrimos como manipulá-la, como realmente começar a obter combustíveis fósseis, e como criar energia elétrica de uma hidrelétrica e assim por diante;  aumentamos os usos de energia para uma quantidade extraordinária, em somente um par de séculos, comparado com os bilhões de anos que o nosso planeta tem existido… e este mesmo tipo de coisa pode aplicar às outras civilizações“.

O físico Freeman Dyson, do Instituto para Estudos Avançados, estima que, dentro de mais ou menos 200 anos, devemos atingir o status de Tipo I.  Na verdade, crescendo à taxa moderada de 1% ao ano, Kardashev estima que levaria 3.200 anos para alcançarmos o status de Tipo II, e 5.800 anos para Tipo III.

 

Vivendo em uma civilização de Tipo I, II, ou III:

Uma civilização Tipo I é verdadeiramente planetária, e dominou a maioria das formas da energia planetária.  Sua produção de energia pode estar na ordem de milhares de milhões de vezes maior do que nossa atual produção planetária.  Mark Twain uma vez disse, “Todo o mundo reclama do clima, mas ninguém faz nada a respeito disso”.  Isto pode mudar com uma civilização Tipo I, a qual possui energia suficiente para modificar o clima.  Ela também possui energia para alterar o curso dos terremotos, vulcões, bem como construir cidades sobre os seus oceanos.

Hoje, nossa produção de energia nos classifica com o status de Tipo 0.  Extraímos nossa energia, não das forças globais, mas pela queima de plantas (petróleo e carvão).  Porém, já possuímos a semente de uma civilização Tipo I.  Já vemos o princípio de uma linguagem planetária (Inglês), um sistema de comunicação planetário (a Internet), uma economia planetária (a União Européia) e até mesmo o início de uma cultura planetária (através de TV, música rock, e filmes de Hollywood).

Por definição, uma civilização avançada deve crescer mais rápido do que a frequência de catástrofes que ameaçam a vida.  Já que impactos de grandes meteoros ocorrem uma vez a cada milhares de anos, uma civilização Tipo I deve dominar a viagem espacial, a fim de desviar os fragmentos espaciais dentro deste intervalo de tempo.  Idades do gelo podem ocorrem dentro de uma escala de tempo de milhares de anos, assim, uma civilização Tipo I deve aprender a modificar o clima dentro deste período de tempo.

Catástrofes artificiais e internas devem também ser negociadas.  Mas o problema da poluição global não é a única ameaça mortal para uma civilização do Tipo 0;  uma civilização do Tipo I tem vivido vários milênios como uma civilização planetária, necessariamente atingindo um balanço planetário ecológico.  Os problemas internos, como guerras, apresentam uma ameaça séria, mas eles contam com milhares de anos para resolver conflitos raciais, nacionais e sectários.

Finalmente, após vários milhares de anos, uma civilização Tipo I irá exaurir a energia de um planeta, e derivará sua energia do consumo de produção de energia de seu sol, ou aproximadamente, um bilhão de trilhões de trilhões de ergs por segundo.

Com sua produção de energia comparável àquela de uma pequena estrela, eles deveriam ser visíveis do espaço.  Dyson propôs que uma civilização Tipo II pode até mesmo construir esferas gigantescas ao redor de suas estrelas, para mais eficientemente utilizar sua energia total.  Mesmo se eles tentarem esconder sua existência, eles devem, de acordo com a Segunda Lei de Termodinâmica, emitir calor.  Do espaço, seu planeta pode brilhar como um ornamento de árvore de Natal.  Dyson até mesmo propôs procurar especificamente por emissões infravermelhas (ao invés de sinais de rádio e TV) para identificar estas civilizações Tipo II.

Talvez, a única ameaça séria para uma civilização Tipo II seria uma explosão de supernova em sua vizinhança, cuja erupção repentina poderia queimar seu planeta com um pulso de raios-X, o que mataria todas as formas de vida.  Assim, talvez a civilização mais interessante seria a do Tipo III, pois seria verdadeiramente imortal.  Eles teriam exaurido toda a energia de uma única estrela, e alcançaram outros sistemas estelares.  Nenhuma catástrofe conhecida pela ciência seria capaz de destruir uma civilização Tipo III.

Explosão de supernova

Uma explosão de supernova poderia aniquilar uma civilização Tipo II.

Ameaçados por uma supernova, uma civilização Tipo III teria várias alternativas, tais como alterar a evolução de uma estrela vermelha gigante que está prestes a explodir, ou sair deste sistema estelar e ‘terraformar’ outro sistema planetário próximo.

Porém há obstáculos para uma civilização emergente Tipo III.  Eventualmente, ela irá se deparar com outra lei da física, a teoria de relatividade.  Dyson estima que isto possa atrasar a transição de uma civilização do Tipo III por talvez milhões anos.

Mas mesmo com a barreira da luz, há um número de formas de expansão em velocidades próximas a da luz.  Por exemplo, a medida final de capacidade de foguetes é mensurada por algo chamado de ‘impulso específico’ (definido como o produto do empuxo e a duração, expressado em unidades por segundo).  Foguetes químicos podem atingir impulsos específicos de várias centenas, até vários milhares de segundos.  Motores de íon podem obter impulsos específicos de dezenas de milhares de segundos.  Mas para obter uma velocidade próxima à da luz, se faz necessário atingir um impulso específico de aproximadamente 30 milhões de segundos, que é muito além de nossa atual capacidade, mas não para uma civilização Tipo III.  Uma variedade de sistemas de propulsão poderiam estar disponibilizados para sondas de velocidade sub-luz.

Na ficção científica, a procura por mundos habitáveis tem sido imortalizada na TV pelos heróicos capitães, ousadamente comandando uma nave interestelar solitária, ou então por uma quantidade de Borgs assassinos (uma civilização Tipo III que absorve uma civilização Tipo II).  Porém, o método matemático mais eficiente para explorar o espaço é bem menos glamoroso: enviar esquadrilhas de ‘sondas *Von Neumann’ por toda a galáxia (*John Von Neumann estabeleceu as leis matemáticas de sistemas de auto replicação).

Uma sonda Von Neumann é um robô projetado para alcançar sistemas estelares distantes e criar fábricas que poderão reproduzir cópias de si mesmos, aos milhares.  Uma lua morta, ao invés de um planeta, é o destino ideal para as sondas Von Neumann, já que elas podem facilmente aterrissar e decolar destas luas, e também porque estas luas não possuem erosão.

Estas sondas viveriam da terra, usando os depósitos de ferro, níquel, etc., que ocorrem naturalmente, para criar matéria prima para construírem a fábrica de robôs.  Elas criariam milhares de cópias de si mesmas, as quais então se espalhariam para outros sistemas solares.

Um exemplo de sonda Von Neumann

Um exemplo hipotético de sonda Von Neumann

De forma similar a um vírus que coloniza um corpo, finalmente haveria uma esfera de trilhões de sondas Von Neumann expandindo em todas as direções, aumentando à uma fração da velocidade da luz.  Desta forma, mesmo uma galáxia de 100.000 anos luz de largura poderia ser completamente analisada dentro de, digamos, meio milhão de anos.

Se uma sonda Von Neumann somente encontrar evidência de vida primitiva (tal como uma civilização selvagem e instável do Tipo 0), elas poderiam simplesmente ficar dormentes em sua lua, esperando silenciosamente para que essa civilização evoluísse para o Tipo I.  Após esperarem silenciosamente por vários milênios, elas poderiam ser reativadas quando a civilização emergente Tipo I for avançada o suficiente para construir uma colônia lunar.

O Físico Paul Davies, da Universidade de Adelaide, levantou a possibilidade de que uma sonda Von Neumann esteja esperando em nossa própria lua, deixada lá por uma visitação anterior ao nosso sistema solar, eras atrás. (Se isso parecer familiar, é porque foi a base para o filme ‘2001, Uma Odisséia no Espaço‘. Originalmente, Stanley Kubrick começou o filme com uma série de cientistas explicando como sondas como essas seriam os métodos mais eficientes de explorar o espaço.  Infelizmente, no último minuto, Kubrick cortou o segmento de abertura de seu filme, e os monolitos se tornaram entidades místicas.)

Também há a possibilidade de que uma civilização Tipo II ou II possa ser capaz de alcançar a cogitada energia de Planck com suas máquinas (10^19 bilhões de eletro volts).  Esta energia é um quatrilhão de vezes maior do que nosso esmagador de átomos mais poderoso.  Esta energia, fantástica quanto possa parecer, está, por definição, dentro do alcance de uma civilização Tipo II ou III.

A energia de Planck somente ocorre no centro de buracos negros e no instante do Big Bang.  Mas com os avanços recentes em gravidade quântica e a teoria das supercordas, há um interesse renovado entre os físicos sobre energias tão vastas, que os efeitos quânticos rasgam o tecido do espaço e tempo.

Embora não seja de forma alguma certo que a física quântica permita buracos de minhoca estáveis, isto levanta a remota possibilidade que civilizações suficientemente avançadas possam ser capazes de se mover dentro desses buracos pelo espaço.  E se estas civilizações puderem navegar através de buracos de minhoca estáveis com sucesso, então a obtenção de um impulso específico de um milhão de segundos já não seria mais problema.  Elas meramente pegariam um atalho através da galáxia.  Isso cortaria grandemente a transição entre uma civilização Tipo II para III.

Naves extraterrestres poderiam estar usando buracos de minhoca para atravessarem a galáxia

Naves extraterrestres poderiam estar usando buracos de minhoca para atravessarem a galáxia.

 

A habilidade de abrir buracos no espaço pode ser útil um dia.  Astrônomos, que analisaram a luz de supernovas distantes, concluíram recentemente que o universo possa estar acelerando, ao invés do contrário.  Se isso for verdade, pode haver uma força anti gravitacional (talvez a constante cosmológica de Einstein), a qual está agindo contra a atração gravitacional de galáxias distantes.  Mas isto também significa que o universo pode estar expandindo para sempre, em direção a um Grande Congelamento, até que as temperaturas se aproximem a zero absoluto.  Vários estudos têm recentemente apresentado como tal triste universo poderia parecer.  Seria uma visão de causar pena: qualquer civilização que sobrevivesse estaria desesperadamente agrupada próxima às estrelas minguantes de nêutron e buracos negros.  Toda a vida inteligente deve morrer, quando o universo morrer, explicou Dr. Kaku.

Tudo isso nos faz pensar se é inevitável a morte da vida inteligente, irrelevantemente do quão avançada sua civilização tenha se tornada.

O astrônomo John Barrows, da Universidade de Sussex, escreve: “Suponha que estendêssemos a classificação.  Membros de civilizações hipotéticas do Tipo IV, V, VI, … e assim por diante, seriam capazes de manipular as estruturas do universo em escalas cada vez mais amplas, rodeando grupos de galáxias e super agrupamentos de galáxias“.

Civilizações além do Tipo II podem ter energia suficiente para escapar nosso universo moribundo, através de buracos no espaço“, disse o Dr. Kaku.

n3m3

Fonte: www.messagetoeagle.com

Arquivado em: OH, Opinião Tags: , ,

PARA COMPARTILHAR ESTE ARTIGO EM SUA REDE SOCIAL, UTILIZE OS ÍCONES ACIMA, OU À ESQUERDA DA TELA.

...

SE VOCÊ NÃO ACESSOU NOSSA PÁGINA PRINCIPAL, ESTÁ PERDENDO UM UNIVERSO DE INFORMAÇÕES: OVNIHOJE.COM

...

Outros artigos de interesse:

Teriam bases alienígenas sido descobertas nas montanhas Bucegi, na Romênia? Parte III Teriam bases alienígenas sido descobertas nas montanhas Bucegi, na Romênia? Parte III
Alienígenas na Lua: A verdade exposta Alienígenas na Lua: A verdade exposta
Cientistas alegam que existiu uma supercivilização na Terra, antes da humanidade Cientistas alegam que existiu uma supercivilização na Terra, antes da humanidade
Teriam bases alienígenas sido descobertas nas montanhas Bucegi, na Romênia? Parte II Teriam bases alienígenas sido descobertas nas montanhas Bucegi, na Romênia? Parte II
86 comments
cecilia
cecilia

" Embora seja impossível prever as características precisas de tal civilização avançada, sua linhas gerais amplas podem ser analisadas pelo uso das leis da física. Irrelevantemente de quantos milhões de anos nos separam deles, eles ainda devem obedecer as leis da física (...) " - Controverso, as leis da física podem variar.

http://arxiv.org/abs/1008.3907

http://arxiv.org/abs/1202.4758

Dinho Pisces
Dinho Pisces

As sondas poderiam repassar informações ainda mais rapidamente quando houver o domínio da ação fantasmagórica à distância, que é pelo menos 10.000 vezes mais rápida que a luz, organizando partículas quânticas de modo a compor uma informação, que poderia ser vista instantaneamente do outro lado da galáxia. Uma civilização milhares de anos a nossa frente talvez não exista mais na forma física. Olhando o desenvolvimento das novas novidades tecnológicas, artigos sobre o desenvolvimento de IA, e a crescente empatia entre homens e máquinas, pode num futuro próximo levar os humanos a preferir adotar máquinas como descendentes. Provavelmente começaria com adoções de filhos geneticamente otimizados, para numa fase seguinte haver a predileção pelos ginoides. Uma lógica eficientista pode surgir em nossas vidas e, talvez possa nos fazer chegar a conclusão de que a humanidade não reside em seu corpo de carne ou matéria artificial, mas em sua história, experiências, ciências e filosofias. E que isso poderia existir digitalmente numa entidade também digital criada por IA. Isso faria com que a humanidade não dependesse mais de naves espaciais mas, apenas de sondas para replicação e transmissão de seus indivíduos. Fantasmas surfando em ação fantasmagórica. Ótimo artigo, dá para viajar.

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=acao-fantasmagorica-distancia-mais-rapida-luz&id=010130130402

http://hypescience.com/casais-japoneses-adotam-bebe-robo/

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI187138-17770,00-ROBO+JAPONESA+ESTREIA+COMO+ATRIZ.html

http://super.abril.com.br/tecnologia/universo-existe-446743.shtml

Ayrton Cavalo
Ayrton Cavalo

Naquela imagem referente ao suposto pato aparecem outras supostas anomalias e algumas bem interessante, uma em particular parece ser uma pessoa sentada de costas com a mão apoiada no chão, olhando para uma pedra onde parece uma figura na minha impressão, fica a disposição a outros comentários.

Sirius
Sirius

O problema destas teorias é que são limitadas ao que conhecemos e julgamos conhecer. Na verdade, a maioria das civilizações que visitam a Terra, são mais avançadas do que podem imaginar. Esses povos conhecem e fazem uso das Dimensões extra e usam telepatia para comunicar.

Se a maioria das pessoas não entendem isto, como é que podem querer contactar essas civilizações?

Estou farto de repetir o mesmo! Como se diz no Brasil, é como dar murro em ponta de faca.

Marcelino S. de Melo
Marcelino S. de Melo

E eu achei que fosse uma foguetinho UAU é um baita foguetão, belo teste, pensei isso sendo usado para transporte de carga de uma estação espacial em orbita marciana até o solo do planeta!

UniInverso
UniInverso

*Esqueci de compartilhar:

Teste bem sucedido do foguete Grasshopper, da empresa "privada" Space X.

Reparem no salto tecnologico em que estamos começando a demostrar para a massa do nosso planeta!!! Vem coisa grande aí em pouco tempo minha gente!!!

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2t15vP1PyoA

( O foguete sobe 250 metros, voa 100 metros de lado, paira no ar e depois pousa verticalmente.)

Abraços e Saudações a todos,

UniInverso
UniInverso

Uma das melhores matérias que já lí aqui "parabéns n3m3!!!"

Imaginei um pouco de como seria criado "isso se já não existe, e acho que já existe" a união de seres de outros planetas como "guardiões de certos sistemas solares e raças"

para preservar certos sistemas solares, planetas, estrelas "portões intergaláticos" e diversas raças unidas com essa objetivo de preservação e proteção.

Dá pra lembrar de vários filmes lendo essa excelente matéria e um que me fez lembrar foi da tecnologia empregada e união de "guardiões" de seres de outros planetas para defender um ideal "como no filme último do Lanterna Verde".

O futuro está com certeza nas estrelas com os nossos futuros navegantes do mar infinito do universo e acredito que para que seja preservada uma civilização "além de contar com a sorte (de não ter uma explosão que possa varrer um planeta ou sistema solar inteiro), tem que se criar laços, alianças e organizações planetárias com outras raças"

Abraços e Saudações,

Dorival
Dorival

Basear o nível de uma civilização através da energia que ela gasta é uma boa forma de se começar a estudar os vários níveis de civilizações que podem existir no espaço. Mas não é a única. Há milhões de variáveis!

Nos tomando por base, se conseguirmos nos livrar de cânceres que nós mesmos insistimos em alimentar como a guerra, já estamos no caminho certo. As guerras já nos trouxeram muitos avanços, mas se nossa mentalidade mudasse, se percebêssemos que estamos todos no mesmo barco e que deveríamos trabalhar em prol do avanço tecnológico e espiritual da raça humana como um todo, as guerras seriam completamente descartáveis. Mas nossas nações por enquanto preferem se armar até os dentes para se proteger uma das outras, para proteger seu território, seus recursos naturais etc. Não percebem que chegamos num ponto em que se uma guerra acontecer não só seus inimigos morrem como eles também viram pó. E aí nossa civilização vira uma ejaculação precoce, termina antes mesmo de começar.

Num dado momento em civilizações como a nossa percebemos que a matéria orgânica nos prende e para continuar a evoluir temos de nos livrar dela. A singularidade tecnológica como os entendidos dizem está batendo às nossas portas, nossa consciência é preciosa demais para permanecer num corpo frágil, melhor transferi-la para máquinas.

Quanto a buracos de minhoca, acredito que dominamos o teletransporte muito antes de termos a tecnologia e energia necessários para estabilizar um, o teletransporte ao menos já deu seus primeiros passos.

Dá pra viajar legal nesse tema, por isso é tão interessante.

DARKBIRD
DARKBIRD

Cada civilização alienígena avançada e a nossa apresenta diferenças,sejam ellas físicas,culturais ou morais.

Mas elas podem ter coisas em comum.Por mais que tenham evoluído em mundos diferentes,essas civilizações passam ou passaram pelos mesmos desafios que estamos passando.

Os avançados encontraram o equilíbrio em sua própria existência e estão por aí.

Nós,seres humanos,somos uma espécie que,ao mesmo tempo,é isolada de contato,é visitada e estudada.

Civilizações avançadas evoluem com o passar do tempo.Se aprimoram.Atingem um nível tecnolõgico e evolutivo que os façam serem capazes de moldadarem suas próprias evoluções.

São capazes de cobrir enormes distâncias no Universo afim de saber mais.

Se como alguns dizem,somos donos,residentes de nossos corpos e a nossa essência é pura energia,então a nossa existência,no futuro,será debatida e procurada em busca de uma razão.

Uma raça alienígena passa por desafios para sobreviver,e a recompensa disso é a livre capacidade de saber mais.Todo mundo aqui já deve ter se perguntado muito.

Creio que a nossa existência seje,ao mesmo tempo,complexa e simples.

Se somos produtos de seres superiores,então o que eles querem com isso?

Penso que quando se atinge um nível evolucionário alto,se ultrapassa as barreiras temporais,espaciais e físicas.Somos levados à um novo plano existencial.A uma realidade diferente.

As poucas raças que conseguiram fazer tal feito desapareceram do Universo,e só retornam para observar seu antigo lar.

Esses seres são feitos e compostos de coisas diferentes que o nosso Universo não conhece.São capazes de driblar as leis da física e desaparecer e reaparecer em qualquer lugar.Devem conhecer o nosso Universo com a palma da mão.

Eles podem criar até seus prórpios mundos.

Deve ser assim que os deuses surgem.

Em relação à tudo isso,eu não tenho muita vontade de saber mais.Isso fica encarregado para pessoas que são capazes de entender.

Por mais que saibamos sobre o nosso mundo,existem muitos e muitos mistérios dentro dele que são,em maioria,difíceis de compreender.Não é da noite para o dia que os entendemos.

Simplesmente precisamos evoluir mais.

E por esse fato que os mistérios que rondam nossas mentes ficarão escondidos por muito e muito tempo.

Denis
Denis

isto é fascinante !!!

Moyses
Moyses

Bom Doc a todos:

Contato Extraterrestre - 07 - CAÍDOS EM TERRA (2013)

http://bit.ly/1cMIoj4

Sinopse:

Vários objetos são vistos no México, caindo em Puebla, e aparentemente não são aviões. Além disso, a dúvida cresce na fronteira entre Argentina e Bolívia, quando uma nave cai levando tudo em sua passagem e alguns alegam sem convicção que era um avião americano acidentado, deixando uma grande incógnita em seu caminho. E no misterioso Roswell, especialistas da América Latina e dos Estados Unidos procuram dar uma nova explicação para a queda de uma nave no Novo México.

Dan Galante
Dan Galante

A considerar esse sistema de classificação pode-se entender que a Terra é visitada por civilizações do tipo III, já que todas elas estão viajando entre as estrelas e devem possuir colônias em outros planetas além da sua orbe natal (ou seja, nossos visitantes extraterrestres pertencem a essas civilizações "imortais", segundo o conceito descrito no post do site).

Já que tudo é até o momento é um "exercício de imaginação", acho muito mais provável que:

1) As civilizações avançadas obtenham a sua energia não do seu planeta, ou da sua estrela, ou da sua galáxia, mas de uma fonte "inesgotável", a matéria escura/energia escura, que compõe a maior parte do nosso universo. Essa matéria escura/energia escura pode ser o resultado das flutuações quânticas (ou "energia do ponto zero" ou "efeito casimir" ou "energia do vácuo"), em que a energia é obtida através da radiação que está presente em qualquer lugar do universo o tempo todo, a misteriosa radiação quântica. O laboratório nacional de Los Alamos já pesquisa isso há anos (http://lanl.arxiv.org/abs/hep-th/0609151 + http://lanl.arxiv.org/abs/1308.2707 + http://lanl.arxiv.org/abs/1307.6083 + http://lanl.arxiv.org/abs/1303.4067). Teoricamente, qualquer dispositivo ou nave pode ser continuamente abastecido por essa energia (o tempo todo!). Se entendermos a matéria como onda de energia (como preconiza a teoria das cordas) talvez seja possível para uma civilização tecnicamente avançada converter matéria em energia (isso nós já fazemos, mas com baixa eficiência) e energia em matéria (isso para nós ainda é mágica)!

2) As civilizações avançadas se utilizem da distorção do espaço-tempo (pontes Einstein-Rosen, ou "buracos de minhoca", ou "dobra espacial") e/ou que mudem a frequência de vibração da matéria, pulando de uma "dimensão" para outra, conseguindo através desses meios percorrerem grandes distâncias no espaço sem a necessidade da perda de milhões de anos para estudar a galáxia.

Tudo isso é mera fantasia? Acho que não, pois os indícios de que isso pode ser viável já estão aí e as pesquisas tem sido feitas pela "ciência oficial" (entre parênteses, pois acho que os "black projects" já utilizam parte dessas tecnologias, segundo os ufólogos).

DUBAL
DUBAL

BAITA ARTIGO N3M3 PARABÉNS!

ACHO EXTREMAMENTE PLAUSÍVEIS E FUNDAMENTADAS TODAS AS IDEIAS. FICO FELIZ PELO LADO DE ESTAR DESCOBRINDO TECNOLOGIA, MESMO QUE EU E A MAIORIA DAS PESSOAS NÃO SEJAMOS OS RECEPTORES DAS NOVIDADES TECNOLÓGICAS QUE SÃO DESCOBERTAS - LIBERADAS MUITAS VEZES PELOS EXTRATERRESTRES QUE TRABALHAM EM PARCERIA COM OS CIENTISTAS TERRESTRES - E UM POUCO FRUSTRADO POR EM ESCALA EVOLUCIONÁRIA UNIVERSAL, ESTAR AINDA NO ZERO. MAS TAH VALENDO.

calimêro
calimêro

Enquanto as grandes companhias estiverem lucrando com as atuais energias usadas,não veremos grande progresso.

Eduardo LBM
Eduardo LBM

Nossa ciência, nossa física e nossa tecnologia, só não são mais avançadas atualmente, porque, no passado recente, foram engessadas pela "Interpretação de Copenhagen (1927)".

.

Vilson Censi
Vilson Censi

Mais uma vez teorias baseadas apenas no que conhecemos!

UniInverso
UniInverso

Olá Feanaro,

que escultura fantástica, (na minha opinião) acho que se basearam nela para cirar o filme "Prometheus" pq se reparar parece que o "astro-nauta" sentado na "nave" se parece um pouco com a roupa utilizada no filme e na escultura acho que a "cabeça", "capacete" está quebrada.

Segue o link com uma foto para comparar:

http://1.bp.blogspot.com/-69V8aCWhPa0/T_S-UOOcHaI/AAAAAAAAIEU/E1wKHC1O03o/s640/prometheus-movie-alien-space-jockey-500x444.jpg

Abraços e Saudações,

UniInverso
UniInverso

Olá Marcelino,

mas o bicho é grande mesmo :) e perfeito o seu pensamento de transporte de carga.

Agora fico imaginando também que será que essa tecnologia desse foguete já não existe "faz um bom tempo" e já é usado para pousos, cargas secretas e etc?

Vai saber né!

Abraços e Saudações,

Marujo
Marujo

O pessoal do controle de voo deve ter feito figa até com as pernas, porque o bicho saiu do chão corcoveando um bocado.

- Seguuuura, peão!!!!

Mas, como diria o CEO W. Shakespeare, "tudo está bem, quando acaba bem".

Ufa!

n3m3
n3m3

Obrigado!

Marujo
Marujo

Tudo isso é mera fantasia? Também acho que não!

n3m3
n3m3

Obrigado Dubal.

Jam
Jam

Calimêro e ademais, olhem isto:

.

Brasileiro inventor de 'luz engarrafada' tem ideia espalhada pelo mundo (É o velho jeito com a mágica mania dos brasilerios de darem um jeito para tudo, é um pouco antiga a matéria com a idéia do (Sr. Alfredo Moser) da cidade de Uberaba, Minas Gerais.

.

Mas esta em foco novamente: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/08/130813_lampada_garrafa_gm.shtml - Que idéia genial a dele...

fran
fran

Enquanto algo grande não modificar a humanidade, a tendência é piorar.

Hannah
Hannah

É isso mesmo: " É a ignorança (e tb a ganança) que astravanca o pogresso!"

UniInverso
UniInverso

Boa Marujo!

isso só mostra que tudo está conectado, ligado desde o nosso passado em terras antigas e em cada canto dos continentes com as suas civilizações

.

Cada vez mais acho que uma bela definição (não sei quem escreveu ela) é da seguinte frase:

"O ser humano precisa resgatar/ estudar o passado para entender mais o presente e construir assim o seu futuro".

Ou seria também: "O ser humano precisa estudar o passado para entender mais o presente e resgatar o seu futuro" ?

Acho que é isso.

Abraços e Saudações,

UniInverso
UniInverso

*Me fez pensar também nas seguintes opções sobre a origem destas esculturas antigas (de inspiração de quem as criou na época).

1º Pode ter sido feita por civilizações antigas que retrataram o que viram pessoalmente (nos céus ou descendo na terra)

2º Pode ter sido a retratação feita por civilizações antigas "em transe mediúnico" que tiveram uma visão de um futuro distante (da nossa ou de outras civilizações e suas tecnologias)

3º Pode ter sido rastros do berço de civilizações antigas de outros planetas

(da tecnologia "perdida" e cultura de onde viemos).

4º Pode ter sido retratação feita por civilizações antigas que retrataram viajantes do tempo "que voltaram no tempo e visitaram eles na época".

5º Pode ser um tipo de "brecha" no espaço e tempo de dimensões, em que as civilizações antigas tiveram acesso ao passado, nosso futuro, outros mundos e etc...

Tô queimando meu cranio depois dessas "boas viagens" :)

Abraços e Saudações a todos!

UniInverso
UniInverso

*E o mais interessante que esqueci de escrever acima "perceba a precisão da aterrissagem " do foguete nesse "teste"! Na minha opinião um "espanto tecnológico" de abrir os olhos e cair o queixo :O

Abraços e Saudações,

UniInverso
UniInverso

Olá Marujo,

rsrsrs... foi mesmo, imagina a cara dos controladores vendo o bicho levantando voo "puxando mais para um lado do que para o outro", com certeza ficaram tensos nessa hora e só restam torcer mesmo fazendo figa até com a língua. :)

Mostrei esse vídeo para um amigo do trabalho e ele disse que parecia tecnologia da armadura do Homem de Ferro... rsrsrs...

Gostei do "CEO" W. Shakespeare, mais pura verdade.

Abraços e Saudações,

fran
fran

Também não acho que seja fantasia mas, que já esteja sendo utilizada, tenho minhas dúvidas.

Se essa tecnologia para viajar pelo Universo já estivesse sendo utilizada por algumas agências, a ISS não estaria a 400km de altura e esse tipo de informação já teria vindo à tona.

Uma que o país que detiver esse tipo de tecnologia vai querer deixar bem claro que tem, justamente, pelo poderio que pode representar.

Outra: a tecnologia de espionagem, hoje em dia, é mais sofisticada e, mesmo quando essa não funciona, sempre aparecem os altruístas que contam para "salvar o mundo" ou "ganhar dinheiro e fama".

Ainda acho que o máximo é 400 km de altura, meses até Marte e 36 anos na borda do sistema solar(Voyager 1)

Marujo
Marujo

(não vou perguntar, não vou perguntar, não vou perguntar, ...)

Fran, o que poderia ser tão "grande", a ponto de provocar esta transformação?

Marujo
Marujo

Versão pop: O ser humano precisa estudar mais, para não ser "passado pra trás".

Marujo
Marujo

Sei lá, sou apenas marujo, mas fosse um automóvel, o motora seria "chamado às pua".

- Pópara, desce e sopra no bafômetro!

Dan Galante
Dan Galante

Olá fran! Com relação a isso, pelo que é dito pela ufologia, essa tecnologia dos "black projects" está em poder de um governo paralelo, que às vezes nega até ao próprio presidente do país o acesso à essas informações (ainda segundo relatos dos ufólogos). Quem dá a palavra final (autorização) do uso dessas tecnologias são os próprios aliens (já ouviu falar do comandante KRLL?). Sendo assim o país não tem autonomia para exibir seus "brinquedinhos" abertamente. Esses relatos são fantasia ou realidade? Não sei, mas é o que circula no meio ufológico ;) !

fran
fran

I don`t Know.

Talvez, algum evento provocado pela natureza que dê uma sacudida na humanidade e que faça com que todos se conscientizem que todos moramos na mesma casa(Terra) e que somos somente um ponto azul, perdidos na imensidão do Universo.

UniInverso
UniInverso

Excelente Marujo! :)

Abraços e Saudações,

Dan Galante
Dan Galante

É, infelizmente é muito difícil saber o que existe de verdade nisso. Mas, se for verdade, explicaria porque naves como o TR-3B e OVNIs da Área 51 e afins não são exibidos abertamente.

© 2014 OVNI Hoje!…. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Proudly designed by Theme Junkie.

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

close next picture next picture
Original Picture...
,